Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270266
Type: TESE
Title: O acusativo preposicionado do portugues classico : uma abordagem diacronica e teorica
Author: Gibrail, Alba
Advisor: Galves, Charlotte, 1950-
Abstract: Resumo: Esta Dissertação descreve os contextos de formação do acusativo preposicionado do português europeu dos séc. XVI - XIX. Textos de autores nascidos entre 1502 - 1850, integrantes do Corpus Tycho Brahe, formam o corpus da pesquisa. Proponho com este trabalho investigar o uso do acusativo preposicionado naquela gramática ao longo dos séculos e os fatores que motivam a formação concomitante de estruturas de variação. Esta investigação me dá condições de apresentar um quadro evolutivo da manifestação desse tipo de ocorrência, da freqüência de realização e dos fatores de mudança que provocaram o uso menos freqüente da forma preposicionada a partir do séc. XVIII. Para a realização desta tarefa, apóio-me nos trabalhos de Ramos ( 1992 ), que descreve o acusativo preposicionado do português do Brasil dos séc. XVII - XVIII; Lois ( 1982 ) e Dobrovie-Sorin ( 1987 ), que descrevem este tipo de ocorrência no espanhol e romeno modernos, respectivamente. A coocorrência no corpus de estruturas de redobramento de clítico, formadas nos mesmos contextos e em condições de uso semelhantes às estruturas de acusativo preposicionado, motiva um trabalho paralalelo que busca o assentamento da hipótese por mim levantada dessas estruturas como formas variantes de realização de um único fenômeno lingüístico. Assumo que nessas estruturas a inserção da preposição é o fator que assegura a natureza referencial dos objetos sem violação do princípio B da teoria de ligação. Considerando as ordens variantes de realização do acusativo preposicionado do português clássico, assumo uma gramática de natureza V2 responsável por esta formação. Palavras-chave: Português Clássico; Acusativo Preposicionado; Redobramento de clíticos; C-comando; Referencialidade; Língua V2; Spec CP

Abstract: This essay describes the contexts of the formation of the prepositional accusative of the european portuguese trom 16 th century to 19th century. Texts of the authors that were bom between 1502 - 1850 parts ofthe Corpus Tycho Brahe, form the corpus of the research. I propose on this paper to investigate the usage of the prepositional accusative in that grammar througtout the centuries and the concomitant causes of the variation of the structures. This investigation allows me to presente the evolution of the manifestation of this kind of occurrenc~, how trequent it happened, and the causes of the less trequent usage of the prepositional form trom the century 18 th. I support this with the works of Ramos ( 1992 ) that describes the prepositional accusative of the portuguese trom Brazil in the centuries 17 th - 18 th, Lois ( 1982 ) and Dobrovie - Sorin ( 1987 ) that describe this kind of occurrence in the Spanish and romanian, respectively. The occurrence in the corpus of the clitic doubling structures at the same time, formed in the contexts and in similar usage conditions of the prepositional accusative, requests a parallel work seeking to confirm the hipotesis lifted by me that these stuctures are variant forms of only one linguistic phenomenon. I propose that in these structures the inserting of the preposition assures the referenciality ofthe objects without violating the principIe B ofthe linking theory. Considering the classical portuguese prepositional accusative variant orders of occurrence, I assume if s a grammar ofthe nature V2 responsible for this formation. Key words: Classical portuguese; Prepositional accusative; Clitic doubling; C - command; Referenciality; V2 languages; Spec CP
Subject: Contexto (Linguística)
Gramática comparada
Referência (Linguística)
Linguas românicas
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2003
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Gibrail_Alba_M.pdf7.51 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.