Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270256
Type: TESE
Title: Critica, memoria e narração : um estudo dos textos memorialisticos de Antonio Candido
Title Alternative: Criticism, memory and narrative : a study of Antonio Candido's memorialistcs wrintings
Author: Cerqueira, Rodrigo, 1980-
Advisor: Hardman, Francisco Foot, 1952-
Abstract: Resumo: Que Antonio Candido, a despeito ¿ ou por causa ¿ de sua formação sociológica, tenha se tornado um dos maiores críticos literários brasileiros, ninguém ignora. Muito menos conhecido é um viés de sua prática que começa a ganhar força a partir das décadas de 70 e 80, mas que, de uma forma ou de outra, tem estado sempre presente na sua obra: o recurso à memória. Ainda quando jovem, aos 27 anos, Candido já se valia desse procedimento para se aproximar da obra de Mário de Andrade, que acabara de morrer. Mas foi depois de três décadas que ela passou a ser um dos motivos principais dos seus escritos. Sentindo-se um tanto deslocado pelos rumos seguidos pelo mundo e cansado dos seus esforços aparentemente em vão, a memória passou a ser um espaço tranqüilo no qual ele podia transitar com segurança. Embora pareça querer fazer da memória uma fuga, em contato com seus outros textos e com sua experiência de vida, ela assume outras funções: por um lado, é um recurso que o permitia corrigir os erros críticos de jovem ¿ como foi o caso da reabilitação intelectual de Oswald de Andrade ¿; por outro, servia-lhe como uma forma de pagar dívidas intelectuais ignoradas até por ele mesmo, como nos textos sobre Roger Bastide; e, por fim, havia certos movimentos de confirmação de suas próprias crenças através do reconhecimento das mesmas nas obras ou nos atos de seus amigos mais próximos, como foi o caso do resgate de uma dimensão humana de um socialismo derrotado

Abstract: It is not ignored that Antonio Candido, despite ¿ or because of ¿ his graduation in Sociology, became one of the most important Brazilian literary critics. Not so well known, nevertheless, is a trend of his texts which begins to become more evident in the 70¿s and 80¿s, but which, in a way or another, has always been a presence in his work: memory as a stylistic element. Candido used such resource when he was still a 27 year-old critic as a way to get closer to the work of Mario de Andrade, who had just died. But it was after three decades that the memory became one of the leitmotiv of his writings. Feeling a little bit strange by the direction which the world was taking, and tired due to his unrewarding efforts, memory became a quiet space in which he could walk safely. Although he seems to want memory to be configured like an escape, in contact with his other writings and his life experience, it assumes different faces: on the one hand, it¿s a way to correct some critical errors of early texts, as he did to Oswald de Andrade; on the other hand, it was used to pay some intellectual debts ignored even by himself as, for example, the texts about Roger Bastide; and, after all, it was also a way to confirm some of his own beliefs by recognizing them in the works and in the acts of his closest friends, as he did to rescue a human face of a defeated socialism
Subject: Candido, Antonio, 1918-
Literatura brasileira - História e crítica
Memória
Literatura moderna
Socialismo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2008
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Cerqueira_Rodrigo_M.pdf1.57 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.