Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270144
Type: TESE
Title: O espelho da nação : a antologia nacional e o ensino de portugues e de literatura (1838-1971)
Author: Razzini, Marcia de Paula Gregorio
Advisor: Lajolo, Marisa, 1944-
Lajolo, Marisa Philbert, 1944-
Abstract: Resumo: Para entender a Antologia Nacional (1895-1969) de Fausto Barreto e Carlos de Laet, uma seleta escolar usada durante mais de setenta anos, foi feito um histórico do ensino de Português e de Literatura na escola secundária brasileira, tomando como referência os Programas de Ensino do Colégio Pedro II (escola secundária padrão) e a legislação vigente. Até 1931, a conclusão do curso secundário não era obrigatória para entrar nos cursos superiores, cuja seleção era feita pelos "Exames Preparatórios". Isto fez com que, na prática, o currículo do curso secundário ficasse dependente destes exames. Assim, até 1869 o ensino de Português era insignificante no currículo da escola secundária, onde predominavam as disciplinas clássicas, sobretudo o Latim. Depois de 1869, quando o exame de Português foi incluído entre os Preparatórios, houve a ascensão desta disciplina no Colégio Pedro H, cujo desenvolvimento, ainda que sujeito a variações, foi sempre crescente. A literatura nacional era ensinada no currículo de Retórica e Poética, disciplina exigida nos Preparatórios das faculdades de Direito até 1890, quando foi excluída dos exames e do curso secundário. Em seu lugar era ensinada a História da Literatura Nacional, cuja ausência dos Exames Preparatórios tirou-a também do curso secundário (1911). A Antologia Nacional (1895) nasceu logo após a Proclamação da República, quando novos ventos sopravam a favor da implantação de uma cultura nacional na escola brasileira, reservando ao ensino de Português e de Literatura o papel de representar a pátria. A organização da Antologia Nacional (oficialmente adotada nas aulas de Português) e seu sucesso editorial refletem o momento nacionalista e a centralização do ensino secundário a partir do Colégio Pedro II, cujos programas e compêndios tornaram-se referência legal para as demais escolas secundárias, públicas e privadas. Os autores e excertos (brasileiros e portugueses) selecionados na Antologia Nacional eram apresentados de forma moderna, divididos por períodos históricos (e não mais por gêneros), dispostos na ordem cronológica inversa, "do 19°ao 16° Século", privilegiando os brasileiros contemporâneos (já separados dos portugueses), por onde o estudo do vernáculo começava. A adoção compulsória (até 1930) e as sucessivas reedições (a última, a 43a edição, é de 1969) indicam que a Antologia Nacional foi um livro de leitura "intensiva" de várias gerações de brasileiros que passaram pela escola secundária. A pouca importância da literatura nacional no currículo secundário, resultado de sua ausência nos Exames Preparatórios, maximizou o papel da Antologia Nacional na transmissão e conservação da literatura brasileira, tomando-a representante da nação. As inclusões maciças de brasileiros contemporâneos e o deslocamento da Antologia Nacional para as séries finais do curso secundário, reforçaram seus laços com a literatura nacional, inserida no currículo de Português e nos exames vestibulares em 1943. A legislação de 1971 trocou o "bem falar e bem escrever" dos textos literários antológicos por uma profusão de textos de origens diversas que transmitissem a eficácia da comunicação e a compreensão da "Cultura Brasileira", sucateando a Antologia Nacional, até então difusora e reprodutora da "vernaculidade" brasi-lusa

Abstract: In order to understand the Antologia Nacional (1895-1969) by Fausto Barreto and Carlos de Laet, a school selection used for more than seventy years, a historical study of Portuguese Language and Literature instruction in Brazilian secondary school was carried out, taking as reference the Teaching Programs of Colegio Pedro II (a model Brazilian secondary school) and the appropriate teaching legistlation. Until 1931, the completion of a secondary education was not obligatory to begin a superior education; selection for the latter was carried out through "Preparatory Examinations". This meant that, in practice, the curriculum for secondary school courses was dependent on these examintaions. Until 1869 Portuguese language instruction was insignificant in the secondary school curriculum, where the classics, above all Latin, prevailed. After 1869, when a Portuguese language examination was included in the Preparatory Examinations, Portuguese language instruction rose in importance among the disciplines at Colegio Pedro II; the development of these disciplines was constant, albeit subject to variations. ... Note: The complete abstract is available with the full electronic digital thesis or dissertations
Subject: Antologias
Ensino secundario - Brasil - História
Lingua portuguesa - Livros de leitura
Literatura e história
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2000
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Razzini_MarciadePaulaGregorio_D.pdf66.76 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.