Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/269873
Type: TESE
Title: Vocalidade em Guimarães Rosa
Title Alternative: Vocality in the work of Guimarães Rosa
Author: Nogueira, Erich Soares, 1971
Advisor: Meneses, Adélia Bezerra de, 1944-
Meneses, Adélia Toledo Bezerra de, 1944-
Abstract: Resumo: Esta tese de doutorado investiga a vocalidade na obra de Guimarães Rosa. O conceito de vocalidade, definido a partir dos trabalhos de Paul Zumthor, considera a voz não apenas como suporte ou veículo sonoro da palavra, mas também como manifestação de sentido que reverbera aquém e além da palavra. No texto literário de Guimarães Rosa, a dimensão da vocalidade é trabalhada no próprio corpo sensório da palavra poética, que produz feixes de sentido que escapam às determinações da linguagem e, dessa maneira, conseguem aludir ao que seria indizível no sertão rosiano. Além disso, as mais variadas e estranhas vozes escutadas nesse sertão ocupam um lugar central no desenvolvimento de algumas narrativas, como "Meu tio o Iauaretê", "Buriti" e "O recado do morro", que são detidamente analisadas. Em "Meu tio o Iauaretê", a vocalidade alia-se à questão da animalidade no decorrer da metamorfose do narrador em onça, cuja fala é continuamente atravessada por ruídos aquém do humano, quando a linguagem corre o risco de ser devorada pela irrupção de uma voz animal. Em "Buriti", a voragem sonora das noites do sertão é apreendida pela escuta hipersensível da personagem Chefe Zequiel, capaz de alcançar um núcleo insondável da noite, uma "voz de criatura" que mal resvala o sentido, mas que será revertida no erotismo pujante dessa novela. Em "O recado do morro", um recado enviado pelo Morro da Garça vai se formulando de modo fragmentado e confuso, à medida que é passado e alterado por sete mensageiros. Essa transmissão depende do entusiasmo (enthousiasmós, em grego = com um deus dentro de si) que se manifesta na voz das personagens para além das palavras do recado, até ele se organizar e se revelar na forma de um poema cantado. Por fim, essas questões são retomadas e expandidas com o objetivo de mostrar como a vocalidade ganha extensão em outras narrativas de Guimarães Rosa e elabora a seu modo importantes eixos temáticos dessa obra ficcional

Abstract: This doctoral thesis investigates the vocality in the work of Guimarães Rosa. The concept of vocality, defined from the works of Paul Zumthor, considers the voice not just as a support or a sonorous vehicle of the word, but also as a manifestation of meaning that reverberates beneath and beyond the word. In Guimarães Rosa¿s literary text, the dimension of vocality is crafted into the sensory body of the poetic word itself, which produces sheafs of meaning that escape the determinations of language and thus can allude to what would be unspeakable in Rosa¿s backlands. Furthermore, the most varied and strange voices heard in this backlands occupy a central place in the development of some narratives, such as "Meu tio o Iauaretê" ["My uncle the Iauaretê"], "Buriti" and "O recado do morro" ["The message of the hill"], which are analyzed in detail here. In "Meu tio o Iauaretê", the vocality blends with the question of animality throughout the metamorphosis of the narrator in a jaguar, whose speech is continually punctuated by noises short of the humanity, when language is in danger of being devoured by the irruption of an animal voice. In "Buriti", the sonorous maelstrom of the nights in the backlands is grasped by the hypersensitive hearing of the character Chefe Zequiel, able to reach an unfathomable core of the night, a "creature¿s voice" that barely brushes meaning but that will be converted in the vigorous eroticism of this novella. In "O recado do morro", a message sent by the Morro da Garça [Heron Hill] formulates itself in a fragmented and confused fashion along the way as it passes through and is altered by seven messengers. This transmission depends on the enthusiasm (in Greek, enthousiasmós = having a god within you) that manifests itself in the voices of the characters beyond the words of the message, until it is organized and unfolds in the form of a sung poem. Finally, these issues are taken up and expanded with the goal of showing how the vocality gains amplitude in other narratives of Guimarães Rosa and elaborates in its own way important thematic axes of this fictional work
Subject: Rosa, João Guimarães, 1908-1967 - Crítica e interpretação
Rosa, João Guimarães, 1908-1967. Buriti
Voz
Rosa, João Guimarães, 1908-1967. Meu tio o Iauaretê
Rosa, João Guimarães, 1908-1967. O recado do morro
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Nogueira_ErichSoares_D.pdf1.73 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.