Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/269592
Type: TESE
Title: As voltas com Babel : Derrida e a tradução (catacrestica)
Author: Silva, Francisco de Fatima da
Advisor: Ottoni, Paulo, 1950-2007
Ottoni, Paulo Roberto
Abstract: Resumo: Nosso objetivo foi caracterizar um tipo de tradução observada nos textos de Derrida. O foco de nosso empreendimento foi o ensaio de intitulado ¿Des tours de Babel¿ (¿Às voltas com Babel¿) que teve sua publicação em livro numa situação de tradução, traduzido para o inglês, em Difference in translation (Ed. Graham), traz como apêndice sua versão em francês que seria republicada dois anos mais tarde em Psyché: inventions de l¿autre I. Além dessa tradução, foi ainda vertido para o espanhol, por Olmedo e Peñalver, para o italiano, por Rosso e para o português brasileiro, por Barreto. Mesmo com a existência de sua tradução em português, a decisão de retraduzi-lo foi possibilitar uma leitura crítica fundamental para o nosso trabalho de análise. Para tanto, tomamos de empréstimo as figuras da retórica, em especial, a catacrese para falar da tradução em Derrida. O interesse pelo tema geral da tradução em Derrida se justifica por seu caráter praticamente inédito no âmbito das reflexões realizadas no Brasil, não fosse o empenho do grupo de pesquisa, intitulado Traduzir Derrida: políticas e desconstruções, que procura preencher essa lacuna, na qual se insere a presente pesquisa. Após ter justificado a escolha do tema, passamos a esboçar a problemática que guiou essa pesquisa. Derrida lança mão de mecanismos retóricos, tais como os tropos, com o intuito de refletir sobre a tradução, sempre dentro de uma linguagem filosófica, tendo como pando de fundo, o texto de Benjamin, ¿A tarefa do tradutor¿, procurando suplementar Benjamin de várias formas. Explorando, principalmente as antinomias do discurso benjaminiano sobre a tradução, Derrida constrói um discurso no qual surge a questão do nome próprio, sua quase intraduzibilidade, problematizando definições de tradução como a de Jakobson; discorre sobre a questão da dívida a que se submete o tradutor e interpreta as metáforas benjaminianas, por meio das quais comenta noções como direito de autoria, verdade, código religioso e assinatura. A dificuldade maior de nossa tese está em construir um discurso sobre a tradução, em Derrida, que leve, em conta seus múltiplos aspectos, suas muitas metáforas, bem como lidar com a impossibilidade de reduzir um texto como tal a seus efeitos de sentidos, de conteúdo, de tese ou de tema. A hipótese diretiva de nossa pesquisa é a de que a boa tradução deve abusar, como num efeito de torção do sentido. O ato tradutório se encontra sempre em uma situação aporética, num interminável doublé bind. A tese se estrutura em partes assim denominadas: ¿Observações introdutivas¿ procura refletir de forma geral sobre a tradução do ensaio, discutindo ainda a questão do método, questionando se haveria um método da desconstrução, e por conseqüência, da tese que trata da desconstrução em tradução. ¿A este título intraduzível: observações sobre a homofonia em Des tours de Babel¿ trata da intraduzibilidade e as conseqüências de se traduzir o título do ensaio de Derrida. Partindo de uma discussão sobre a homofonia, fala-se sobre o jogo de palavras que se perde ou se ganha na tradução para remeter finalmente à questão do abuso na e da tradução. A análise se concentra principalmente nas notas das traduções do ensaio que procuram justificar a tradução ou a não tradução do título. ¿Da tradução catacréstica em Derrida: a retórica da invenção¿, destaca-se uma postura freqüente nos textos de Derrida: o recurso à aposição de notas e a inserção de palavras na língua de origem do texto analisado. Um tipo de tradução que denominamos de catacréstica. Trata-se ainda da questão da fetichização, da metáfora no ato tradutório e da conceituação no interior do discurso da tradução em especial em Derrida. ¿Os nós do intraduzível: indecidibilidade¿ focaliza a indecibilidade do sentido, da significação. Partindo da noção de que há uma produção de sentido, desconstroi-se o argumento que haja um significado intrínseco. propõe ainda o questionamento sobre a crença geral dos críticos na possibilidade da existência de um significado imanente ao dito original, fazendo-nos refletir sobre ¿essência do significado¿ e suas implicações para a tradução. O que nos interessa particularmente aqui é a hipótese de Derrida sobre a instabilidade do significado de qualquer texto, um pressuposto que se revela nos posicionamentos em relação à tradução que serão abordadas nessa tese.¿Desconstruções ou Retórica do Canibalismo?¿ teve como objetivo provocar o leitor em relação ao que seria mais típico em termos de desconstrução no Brasil, fazendo uma possível relação com o canibalismo. A denominação ¿tradução catacréstica¿ surge de uma catacrese, a torre de Babel, que Derrida utiliza para pensar e traduzir a própria tradução, que neste caso, caracterizar-se-ia pela questão do comentário, da aposição de notas e da propensão ao uso de palavras estrangeiras, sempre em situação parentética. Se não é um caráter exclusivo, são essas características que a definem, conquanto que ela esteja dissolvida dentro de um comentário mais geral, de caráter mais filosófico, como se quer demonstrar neste trabalho

Abstract: Our aim was to characterize a kind of translation seen into the Derrida¿s texts. The focus of our task was the essay titled ¿Des tours de Babel¿ (¿Às voltas com Babel¿). The Derrida¿s essay had its edition in a translation situation, translated into the English, in Difference in translation (Ed. Graham), it brings as appendix its French version reedited two years later in Psyché: inventions de l¿autre I. Besides that translation, it has been translated into the Spanish, by Olmedo and Peñalver, into the Italian, by Rosso and into the Brazilian portuguese, by Barreto. Even with the existence of the translation into the Portuguese language of this essay, the decision of translating it again is due to the possibility of a critical reading very important to our analysis work. What we dare to do has been to borrow the rhetoric figures, specially, the catachresis to speak of translation in Derrida. The interesting by the general theme of translation in Derrida justifies itself through the practically unpublished character into the domain of the reflections made in Brazil, exception made to the research group called Traduzir Derrida: políticas e desconstruções, which looks for to fulfill this gap, into which the present research comes into. After we have justified the choice of our theme, we begin to expose our problematic issue that guided this research. Derrida makes uses of the rhetorical devices, such as the tropes, with the aim to reflect about the translation, always into a philosophical language, with the Benjamin¿ text, ¿The task of translator¿, as background, searching for supplementing Benjamin in many ways. Exploring, mainly the antinomies of his discourse about the translation, Derrida builds a discourse into which the question of the proper name, its almost untranslatability, arises. It also rises questions about the translation definitions as the Jakobson¿s ones; he discourses about the question of the debt to which the translator submit himself and interprets the benjaminian metaphors, through which he comments notions as author right, truth, religious code, and signature. The greatest difficulty of our thesis is to build a discourse about translation in Derrida that consider its multiples aspects, its many metaphors. The difficulty is also to handle with the impossibility of reducing a text as such to its effects of senses, of contents, of thesis or theme. The directional hypothesis of our research is that the good translation should abuse, like in a torsion effect of the sense. The translatory act is always in an aporetical situation, in an endless double bind situation. The thesis is structured in parts called as: ¿Observações introdutivas¿ looks for to reflect in a general way about the essay translation, discussing still the method question, questioning if there would be a deconstruction method, and consequently, of the thesis that treats the deconstruction in translation. ¿A este título intraduzível: observações sobre a homofonia em Des tours de Babel¿ treats the untranslatability and the consequences of translating the essay title of the Derrida¿s essay. From a discussion about the homophony, one speaks about words play that one loses or wins into the translation to refer finally to the question of abuse into and of the translation. The analysis concentrates mainly into the translation notes of the essay that search to justify the translation or not of the title. ¿Da tradução catacréstica em Derrida: a retórica da invenção¿, one shows a usual posture into the Derrida¿s text: the resource to the apposition of notes and the insertion of words in the source language of analyzed text. A kind of translation one calls catachrestical. It treats also of the question of fetishism, of metaphor into the translatory act and the conceptualization into the discourse of translation especially in Derrida. ¿Os nós do intraduzível: indecidibilidade¿ focalizes the indecibility of sense, of signification. From the notion that there is a production of sense, one deconstructs the argument that there is an intrinsecal signified. It proposes the questioning about the general belief of the critics in the possibility of the existence of an immanent signified to the called original, making us to reflect about the ¿essence of signified¿ and its implications to the translation. What interests us particularly here is the Derrida¿s hypothesis about the instability of the signified of any text, a presupposition that reveals into the positions in relation to the translation that are written in this thesis. ¿Desconstruções ou Retórica do Canibalismo?¿ has as objectif to provoque the reader concerning to what would be more tipical in terms of deconstruction in Brazil, making a possible relation to the canibalism. The denomination ¿catachrestical translation¿ rises from a catachresis, the Babel tower, that Derrida utilizes to think and translate the translation itself, that in this case, characterizes through the commentaries question, the notes apposition and the tendency to the use of foreign words, always in parenthetical situation. If it is not an exclusive character, theses characteristics define it, even it is dissolved inside a more general commentary of a more philosophical character, as one intends to demonstrate in this work
Subject: Tradução
Filosofia
Literatura
Desconstrução
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_FranciscodeFatimada_D.pdf747.37 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.