Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/269496
Type: TESE
Title: O discurso universitário-científico na contemporaneidade : marcas e implicações na constituição identitária do pesquisador em formação
Title Alternative: The scientific-university discourse in the contemporary society : marks and implications on the identity constitution of researchers in training
Author: Da Rosa, Marluza Terezinha, 1985-
Advisor: Coracini, Maria José Rodrigues Faria, 1949-
Abstract: Resumo: Nesta pesquisa, colocamos em discussão o discurso em formulação e circulação no âmbito universitário, compreendido não apenas como um lócus de observação, mas também de problematização e de possível transformação de sentidos já-dados, naturalizados ou reafirmados. Ancoramo-nos nos estudos discursivos, em sua relação constitutiva com a psicanálise lacaniana e com a desconstrução, viés que implica um gesto constante de reformulação teórico-conceitual. Nosso olhar se dirige ao processo de formação para a pesquisa científica - processo no qual não apenas o conhecimento, mas também os pesquisadores estão em (trans) formação -, por entendermos que, no domínio universitário em que tal processo ocorre, a ciência não é dada como pronta, diferentemente do modo como é veiculada nos discursos de divulgação científica, por exemplo. Em outros termos, tomamos como lugar de observação e problematização não o produto, mas o processo de produção e a transmissão de conhecimentos (a ciência em desenvolvimento). Nesse âmbito, mais do que os resultados, importa a inscrição do pesquisador em formação, sua constituição identitária, inevitavelmente atravessada pela heterogeneidade discursiva que permeia essa outra cena e que presentifica uma memória de dizeres. Importa "o drama subjetivo do cientista", seus conflitos, que, como fios, enodam-se, servindo como condição para esta reflexão. Com base na articulação teórico conceitual empreendida, defendemos a hipótese de que a identidade do pesquisador em formação se constitui em um movimento tenso de aproximação-afastamento com relação a uma imagem ideal e espectral, a figura do cientista, definida e reafirmada a partir de uma matriz de sentidos que pode ser compreendida pela referência à designação ciência moderna, a qual é, também, passível de questionamento, principalmente, por seu caráter idealista. Tomamos como objeto de estudo o dizer de pesquisadores em formação de diferentes disciplinas, inscritos em três grandes áreas: ciências humanas, biológicas e exatas. A análise do corpus incidiu prioritariamente sobre regularidades linguísticodiscursivas (como a recorrência da relação com o outro, de uma imagem do conhecimento científico como forma de se chegar à almejada completude, da expressão de uma revolta resignada frente aos modos de produção desse conhecimento, submetido aos discursos da universidade, da ciência e do capitalismo), presentes em segmentos recortados dos dizeres, os quais obedeceram, em sua maioria, a uma estrutura narrativa linear, com passado e presente, organizados pelo olhar retroativo de um eu-narrador. Trata-se de um modo de interpretar (-se) (n) a produção de conhecimentos, que se ancora em uma "estrutura de ficção". Ao olhar para esses dizeres, não buscamos empreender uma metaciência, que viria lançar luz sobre certo lado obscuro dos domínios teóricos em questão, mas possibilitar a compreensão dos modos de funcionamento do(s) discurso(s) nesses domínios, potencializando o conflito e o desequilíbrio dentro das muralhas de nossa própria torre

Abstract: This research study opens up a discussion of the discourse that is being formulated and disseminated in the academic world, understood both as a place where observation occurs and that involves the problematization and possible change of senses that have already been expressed, naturalized or restated. This research is grounded on discursive studies in its constitutive ties with Lacanian psychoanalysis and with deconstruction, a standpoint that involves a constant gesture of theoretical-conceptual reformulation. In our approach, the study addresses the question of training in scientific research - a process in which not only knowledge, but also the researchers themselves undergo changes. By this we mean that in the university domain where this process occurs, science is not regarded as readymade, unlike the way that it is expressed in discourses in scientific publications, for example. Expressed in another way, it is not the product that is taken as the place of observation and problematization, but the production process and transmission of knowledge (i.e. science in development). What matters more than the results in this area, is the inscription of the researcher in training, and his/her identity constitution (which is inevitably characterized by the discursive heterogeneity which pervades this other scene and which embodies a "memory of sayings"). What is also of importance is that the "subjective drama of the scientist" and his conflicts, which are like threads that become entangled, can provide the right conditions for this kind of reflection. On the basis of this implicit theoretical-conceptual correlation, we support the hypothesis that the identity of the researcher in training represents a tense moment of withdrawal-approximation with regard to the ideal and spectral image of the figure of the scientist. This can be defined and restated on the basis of a range of senses, which can be understood by reference to the term "modern science" which is also open to question, mainly because of its idealistic character. The object of this study is what is said by the researchers in training who are from different subjects but mainly enrolled in three areas: the human, biological and exact sciences. The analysis of the corpus largely focused on linguistic-discursive regularities (such as the adoption of a relationship with another, of an image of scientific knowledge as a means of arriving at a desired completeness, and of the reaction of a backlash which is accepted in light of the modes of production of this knowledge when subjected to the discourses of the university, science and capitalism) that can be found in the extracts of their comments, most of which follow a linear design from past to present and are arranged in terms of a retrospective hindsight by a first person narrator. It is a question of a mode of interpreting (or being interpreted in) the production of knowledge that is grounded in a "framework of fiction". In looking for these remarks, we do not seek to understand a metascience that can throw light on a particularly obscure area of the theoretical domains in question, but to allow an understanding of the way discourse(s) operate(s) within these domains through a potential conflict and an imbalance within the walls of our own tower
Subject: Ciência
Universidades e faculdades
Análise do discurso
Pesquisadores - Identidade
Pesquisadores - Formação
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
DaRosa_MarluzaTerezinha_D.pdf1.43 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.