Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/269110
Type: TESE
Title: Pragmatica da violencia : o Nordeste na midia brasileira
Title Alternative: Pragmatic of violence : the Nordeste in the media of Brazil
Author: Silva, Daniel do Nascimento e
Advisor: Rajagopalan, Kanavillil, 1945-
Abstract: Resumo: A presente tese, inscrita no campo da Pragmática Lingüística em seu estreito diálogo com a Antropologia Lingüística, a Filosofia e a Psicanálise, persegue uma conseqüência possível de uma das hipóteses fundamentais da virada lingüística nas ciências humanas - a idéia de que a linguagem é uma forma de ação. Está em questão aqui a tese de que, dentro das possíveis formas que essa ação pode assumir, a violência é uma das mais salientes. Na medida em que a violência é não apenas um conceito destrutivo, mas também produtivo, procuro fazer entender como a significação mesma se torna possível e se delineia a partir da violência. De forma a esboçar a silenciosa, porém danosa violência que assombra o uso da língua, procedo a uma análise das formas simbólicas (violentas) por meio das quais o Nordeste, a região mais pobre do Brasil, é representada pela mídia hegemônica do país. Analisam-se, principalmente, cartografias comunicáveis que emergem nos jornais Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e O Globo e na revista Veja. Os modos pelos quais subjetividades subalternas são diminuídas, depreciadas, desdenhadas e abominadas em diversas reportagens da mídia brasileira revelam modos em que a linguagem é usada para ferir o Outro, especialmente aquele que representa o gênero, a raça e o espaço que não se quer habitar. Esta discussão sobre o papel central da constituição, produção e comunicabilidade da violência no uso da língua significa, em última instancia, que a Pragmática Lingüística e outras abordagens críticas nos estudos da linguagem deveriam incluir a questão da violência em sua agenda de pesquisa

Abstract: This dissertation, inscribed in the field of Linguistic Pragmatics in its interface with Linguistic Anthropology, Philosophy and Psychoanalysis, pursues a possible consequence of a core assumption made by the linguistic turn in the human sciences -namely, the idea that language is a form of action. At stake is the claim that among the shapes that this action might assume, violence is a very salient one. Inasmuch as violence is not only a destructive concept, but also a productive one, I seek to understand how signification itself is rendered possible and shaped by violence. Aiming at depicting the silent but nonetheless painful symbolic violence that haunts language use, I undertake an analysis of the (violent) symbolic forms through which the Northeast of Brazil (Nordeste), the country's poorest geographical area, is represented in the Southeastern media, mainly in the wealthiest state of São Paulo. The ways in which subaltern subjectivities are demeaned, derogated, ridiculed, despised in many pieces of Brazilian media reveal ways in which language is used to hurt the other, specifically the other who represents the gender, the race and the space that one does not want to inhabit. A discussion of the central role of the constitution, production, and communicability of violence in language use means ultimately that critical linguistics should bring in, along the lines of recent approaches of the relation between violence and signification, the question of violence as one of its avenues of inquiry
Subject: Pragmática
Violência
Significação (Filosofia)
Atos de fala (Linguistica)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_DanieldoNascimentoe_D.pdf72.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.