Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/269029
Type: TESE
Title: A ênclise em orações dependentes na história do Português Europeu (Séc. 16 a 19)
Title Alternative: The Enclisis on subordinate clauses in the history of European Portuguese
Author: Lopes, Ana Luiza Araújo
Advisor: Galves, Charlotte, 1950-
Galves, Charlotte Marie Chambelland, 1950-
Abstract: Resumo: A dissertação investiga a ênclise em orações dependentes na história do PE - entre os séculos 16 e 19. A colocação pronominal é um dos assuntos mais estudados da língua portuguesa, mas sempre priorizando as orações principais finitas onde há grande variação na colocação dos clíticos, com a mudança gramatical ocorrida no século 18 (Galves, Brito e Paixão de Sousa 2005, Galves, Namiuti e Paixão de Sousa2005; Paixão de Sousa, 2004). As orações dependentes sempre foram consideradas como contexto de próclise categórica. No entanto, nos dados extraídos do Corpus Histórico Tycho Brahe, apesar da predominância proclítica, foram atestados dados de ênclise em dependentes. A ênclise ocorre em orações dependentes nas gramáticas do Português - Clássico e Europeu moderno- sempre que há pelo menos um constituinte entre o complementador e o verbo. A ênclise ocorre em todo o período - Português Clássico ao Português Europeu moderno - em vários tipos de oração: relativas, completivas, dependentes iniciadas em porque. Mostro ainda que há uma estabilidade ao longo do tempo na colocação de clíticos em orações dependentes, ao contrário do que acontece nas orações principais A pergunta a ser respondida foi: como estas duas gramáticas geram a ênclise nas dependentes? Analiso o fenômeno com base no CP expandido de Rizzi (1997), e ainda retomando a proposta de Galves e Sandalo 2009 para a colocação de clíticos no PCl e no PE

Abstract: The aim of this work is to investigate the enclisis on subordinate clauses in the history of the European Portuguese. The clitic placement is one of the most popular subjects about the Portuguese language, but these researches always focus on the main clauses, there is a large variation on the clitics placement, after the language change around 18 century (Galves, Brito e Paixão de Sousa 2005; Paixão de Sousa 2004). The subordinate clauses were always considered as categorical proclisis context. Nevertheless, despite the high rates of proclisis on subordinates clauses, there are enclisis data from Tyhco Brahe Parsed Corpus of historical Porutuguese. The enclisis is only possible on subordinate clauses in Classical Portuguese and European Portuguese, when there is at least on constituent between the complement and the verb. The enclisis occurs in all type of subordinate clauses: relatives, completives, dependent clauses beginning with porque (because), during all the period - from Classical Portuguese to European Portuguese, and there are a stability during time. The aim of this work was to answer the question: How these two grammar produce the enclisis on subordinates? The phenomena was analyzed based on expanded CP proposed by Rizzi (1997), and the proposal from Galves and Sandalo (2009) for clitic placement on Classical Portuguese and European Portuguese
Subject: Gramática comparada e geral - Orações subordinadas
Língua portuguesa - Português clássico - Séc. XVI-XIX
Grámatica comparada e geral - Clíticos
Mudanças linguísticas
Gramática comparada e geral - Sintaxe
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Lopes_AnaLuizaAraujo_M.pdf507.91 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.