Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/268961
Type: TESE
Title: Fazenda Maracuja : sua gente, sua lingua, suas crenças
Title Alternative: Maracuja Farm : its people, its language, its beliefs
Author: Parcero, Lucia Maria de Jesus
Advisor: Alkmim, Tania Maria, 1949-
Abstract: Resumo: Este trabalho tem como objetivo depreender as crenças, valores, e atitudes sobre a língua de uma comunidade afrodescendente a partir de duas perspectivas: dos próprios moradores da fazenda bem como dos moradores da sede do município, com base em um corpus constituído de entrevistas estruturadas e semi-estruturadas aliado a outros mecanismos de coleta de dados. A comunidade denominada Fazenda Maracujá está situada no Município de Conceição do Coité, na região sisaleira do semi-árido baiano. Os estudos são desenvolvidos a partir dos pressupostos metodológicos da sociolingüística que estuda a língua não só no seu aspecto lingüístico, mas também na sua relação com questões sociais, portanto no extralingüístico. Assim, considerando-se que as atitudes lingüísticas e, portanto, as representações da língua e de suas variantes fazem parte do objeto da sociolingüística, acrescenta-se à concepção teórica mencionada a abordagem das representações sociais, segundo a qual uma atitude advém das representações que se fazem de um objeto (a língua). Desse modo, são essas teorias que, através das noções de conflito e contradição, dão suporte para justificar as crenças e julgamentos, nos discursos dos informantes a respeito da variante local. Em primeiro lugar, aborda-se o conjunto de variações lingüísticas que ocorrem nos níveis fonológico e morfossintático da comunidade, com o objetivo de fundamentar a discussão desenvolvida sobre as atitudes lingüísticas dos falantes e separam-se as variações mais gerais já incorporadas ao português brasileiro, daquelas que caracterizam o falar rural, sobretudo, nas regiões mais isoladas. Comparam-se estes resultados a estudos sobre outras variantes regionais, a fim de observar se há algum traço específico do português rural e/ou alguma construção ou palavras de origem africana em uso entre aquelas que são estigmatizadas na fala da comunidade. Com base na concepção de que uma variante lingüística carrega um conjunto de valores socioculturais agregados às formas lingüísticas, o segundo aspecto a ser considerado refere-se à análise da língua do ponto de vista das relações sociais. Para isso, analisam-se os trechos sobre as atitudes e a avaliação da língua de acordo com o objetivo proposto, tomando-se o grupo GR1 (de informantes não escolarizados e que pouco saem da comunidade) como uma espécie de contraponto, confrontando-se seus discursos aos do GR2 (de informantes escolarizados que mantêm algum tipo de relação regular fora da comunidade) e do GR3 (de informantes da sede do município). A partir daí, observam-se as crenças, as atitudes preconceituosas materializadas na linguagem, produzidas dentro e fora da comunidade e que, de certo modo, podem contribuir para a estigmatização daquela comunidade

Abstract: This thesis aims at depicting the beliefs, values, and attitudes towards language in an Afro-American community, from two perspectives: the farm inhabitants themselves', together with the municipality inhabitants'.The corpus is composed of structured and semi-structured interviews, as well as other mechanisms of data collection. The Fazenda Maracujá community is located at the Conceição do Coité municipality, in the sisal producer region from Bahia's semiarid. The studies were developed from the methodological background of sociolinguistics, which conceives language in terms of both its linguistic aspects and in its relation with social issues, hence in the extra-linguistic domain. Thus, considering that the linguistic attitudes and, therefore, the representations of language and its variants are part of the object of sociolinguistics, we add to the abovementioned theoretical conception the social representation approach, according to which an attitude derives from the representations that are part of an object (language). Thus, these theories are the ones which, through the notions of conflict and contradiction, support the justification of beliefs and judgments in the informants' discourses concerning the local variant. Firstly, we approach the set of linguistic variations occurring in the phonological, morphological and syntactical levels of the community, so as to support the discussion o n the linguistic attitudes of the speakers. Then we separate the most general variations, already incorporated into the Brazilian Portuguese, from those characterizing rural speech, mainly in the further regions. We compare such results with studies on other regional variants, in order to observe whether there is any specific feature of rural Portuguese and/or any construction or words with African origin being used amidst those stigmatized in the community speech. Based on the conception that a linguistic variant conveys a set of socio-cultural values attached to the linguistic forms, the second aspect to be considered refers to the analysis of language from the point of view of social relations. Thus, we analyze excerpts on attitudes and language evaluation according to the proposed objective, taking the GR1 group (composed of illiterate informants, who spend most of their time in the community) as a type of parameter, comparing its discourses to GR2 (composed of literate informants, who keep a certain kind of regular relation to the outside of the community) and to GR3 (composed of informants from the seat of the municipality). From this, we observe the beliefs, the prejudiced attitudes materialized in language, produced inside and outside the community, which, somehow, may contribute to the stigmatization of such community
Subject: Sociolinguística
Atitudes
Língua portuguesa - Variação
Comunidade
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2007
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Parcero_LuciaMariadeJesus_D.pdf1.5 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.