Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/268947
Type: TESE
Title: Privatizar para tornar "publico" : uma analise do discurso sobre a privatização das telecomunicações em jornais
Title Alternative: Privatize to become "public" : an alalysis of the discourse surrounding the privatization of telecommunications in the press
Author: Pachi Filho, Fernando Felicio
Advisor: Lagazzi, Suzy, 1960-
Abstract: Resumo: Nos anos 90, o Brasil passa por mudanças em seu modelo de desenvolvimento, com a retirada do Estado de atividades econômicas. Neste período, são realizadas as privatizações de empresas estatais, entre elas as de telecomunicações. Consideramos assim que o discurso sobre as privatizações constitui-se num lugar relevante para a observação da recente história brasileira. Neste trabalho, que toma como base princípios téoricometodológicos da Análise do Discurso Francesa, tradição inaugurada por Michel Pêcheux, procuramos compreender o funcionamento do discurso sobre a privatização das empresas de telecomunicações na imprensa, tomando como corpus de análise textos dos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo. Nesse sentido, com o objetivo de observar como se estabelecem fronteiras discursivas entre ¿público¿ e ¿privado¿, propomos inicialmente uma análise da nominalização ¿privatização¿, que concentra a carga histórica de sinalizar um processo e uma mudança em direção a um outro modelo ¿ privado - , bem como das diferentes designações ¿ ¿desestatização¿ e ¿venda¿ para o mesmo acontecimento. Analisamos também os deslocamentos na memória constituída entre ¿estatal¿/¿público¿/¿nação¿. Se estas identificações foram possíveis, é porque elas têm como base uma memória que as constituiu, que as definiu e estabilizou ao longo da história. No discurso da imprensa, alimenta-se, porém, o imaginário de um passado que produziu efeitos negativos para a sociedade, devendo, portanto, ser rejeitado e negado em sua continuidade. Como conseqüência, promove-se uma construção imaginária do futuro, em que há benefícios para todos e sem vínculos com o passado, numa prática discursiva que visa instalar a privatização como marco simbólico de um período de prosperidade. Esta gestão do tempo histórico produz uma linha de continuidade entre presente e futuro e uma ruptura entre passado e presente. Há, portanto, uma trajetória na qual se operam deslocamentos na relação ¿estatal¿/¿público¿/¿nação¿, considerada ultrapassada, e que aponta para uma concentração de sentidos positivos no ¿privado¿, relacionado ao futuro, à modernidade e à construção da cidadania. Assim, a tomada de posição privatista dos jornais analisados tenta cristalizar o sentido de ¿privado¿ como algo benéfico, atraindo para si igualmente o sentido anterior de ¿público¿, que se refere à construção do bem comum, e rejeitando formações que visam manter a memória entre ¿estatal¿/ ¿público¿/ ¿nação¿. Assim, neste discurso, ¿privado¿ é base para formação de ¿público¿

Abstract: In the 1990¿s, Brazil was going through changes in its development patterns due to the withdrawal of the State from economic issues. At that time, there were privatizations of companies, among which the telecommunications ones. We consider the discourse surrounding privatizations to be of relevance when observing recent Brazilian History. In this work, which has as its basis the theoretical-methodological principles of French Discourse Analysis, tradition started by Michel Pêcheux, we seek to understand the functioning of discourse about the privatizations of telecommunication companies in the press, having as corpus analysis texts from the newspapers O Estado de S. Paulo and Folha de S. Paulo. This way, with the objective of observing how discourse boundaries between ¿public¿ and ¿private¿ are established, we initially propose an analysis of the nominalization ¿privatization¿, which concentrates historical features in order to signal a process and a modification towards another model ¿ private ¿, as well as other designations ¿ ¿unnationalization¿ and ¿sale¿ to the same event. We also analyze the memory moves including ¿state¿/¿public¿/¿nation¿. If these identifications have been possible, that is because they have as a basis a memory which has formed them, defined them and stabilized them along History. The press discourse encourages the imagery of a past that had a negative outcome for the society and should, therefore, be rejected and neglected in its continuity. Consequently, an imagery of the future is produced, in which there are benefits for everyone and no attachment to the past, in a type of discourse that aims to have the privatization process as a symbol of a period of prosperity. This managing of historical time produces a line of continuity between the present and the future and a breakage between past and present. There is, as a result, a path in which changes in the relation State/public/nation take place, considering it old-fashioned, and points at a concentration of positive meanings in the ¿private¿, related to the future, to modernity and to the construction of citizenship. This way, the taking of privatizing position of the newspapers analyzed attempts to crystallize the meaning of ¿private¿ as something beneficial, attracting to itself the previous meaning of ¿public¿, which refers to the construction of welfare, and rejecting references that try to keep the relation State/public/nation. Thus, in this discourse, ¿private¿ is the basis for the construction of the ¿public¿
Subject: Privatização
Análise do discurso
Imprensa - Poços de Caldas (MG) - História
Memória
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2008
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
PachiFilho_FernandoFelicio_D.pdf1.32 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.