Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/268938
Type: TESE
Title: A geometrização do dizer no discurso do infográfico = The geometrification of language in the infograph discourse
Title Alternative: The geometrification of language in the infograph discourse
Author: Nunes, Silvia Regina, 1969-
Advisor: Lagazzi, Suzy, 1960-
Lagazzi, Suzy Maria, 1960-
Abstract: Resumo: A pesquisa se inscreve na área da Análise de Discurso materialista e tem como objetivo a compreensão do funcionamento do infográfico nas suas formas impressa e eletrônica. A inquietação sobre os diferentes modos de leitura na contemporaneidade, que são condicionados pela circulação de materiais formulados a partir da relação entre diferentes elementos significantes, tais como a imagem, o som e a palavra, fundamentou a produção da pergunta que orienta esta pesquisa: como a leitura se organiza na textualidade espaço-temporal do discurso do infográfico? Refletimos sobre o discurso da informação e o modo como foram se constituindo, historicamente, efeitos de evidência sobre a necessidade de se informar. Compreendemos a emergência de um efeito de necessidade sobre "certa" forma de formulação para a informação que seria sustentada no efeito de evidência da estatística, do numérico. Historicizamos a constituição da infografia e apresentamos o modo como a relação entre a constituição da informação e também da informática administra sentidos para a constituição de um discurso (do) infográfico. Fizemos um trajeto pelos discursos sobre o infográfico e demos visibilidade ao modo como uma administração de sentidos sobre seu modo de formulação e circulação são determinantes para a produção de práticas de leitura sustentadas na rapidez-velocidade, no esquemático. Mostramos que o discurso sobre o infográfico mobiliza uma concepção de língua instrumental para a sustentação de um efeito de eficácia comunicativa deste objeto. Demos visibilidade a um efeito de leitura que designamos como zig zag e funil, visto que há uma organização dos elementos significantes que demanda uma leitura em ir e vir sobre o objeto analisado, um deslocamento do olhar entre estes elementos. Apresentamos como a produção de uma posição-sujeito leitor da informação infografada se constitui na relação com a textualidade infográfica. A compreensão das análises nos levou a visualizar a produção de, pelo menos, três efeitos de sentidos que se materializam simultaneamente no discurso do infográfico: o efeito de relevância, o de síntese e o de ordenação. Tais efeitos foram determinantes para darmos visibilidade ao movimento de esquematização, um duplo movimento que abriga estabilidade e deslocamento, ou seja, um ritual que administraria os modos de leitura, contudo passível de ser quebrado pela força material das relações históricas de produção dos sentidos. Apreendemos a constituição de uma geometrização do dizer no discurso do infográfico, marca fundante da ideologia da informação e reiterada nos efeitos constituídos no movimento de esquematização. Contudo, a geometrização do dizer designa também a abertura dos sentidos, funcionando como uma rede de relações heterogêneas que possibilitaria práticas de leitura em espiral. A relação entre informação-infografia, atravessada institucionalmente pelo discurso jornalístico, mostra a produção de efeitos de sentidos de produto para a informação, e circulando como sendo um produto, inevitavelmente, fica apagado seu tenso processo histórico de constituição, visto que a relação com o consumo, com a propriedade e com o consenso está fundada neste movimento. Marcado pelo determinismo informacional, o infográfico marca e mostra um específico modo de leitura, contudo, nesse mesmo movimento, esbarra no devir da abertura dos sentidos

Abstract: Current research lies within materialist Discourse Analysis and aims at understanding the function of printed and electronic infographs. The issue on contemporary different reading modes, conditioned on the circulation of material made up from the relationship between different and significant factors, such as pictures, sound and words, foregrounded the question inherent to current research. "How is reading organized within space and time textuality in the infograph discourse?" Information discourse and the manner that evidence effects on information needs were historically constructed are debated. The emergence of a necessary effect on a "certain? formulation form for information is understood. This would be foregrounded on the effect of statistical and number evidence. The constitution of the infograph is historicized and the manner the relationship between information constitution and informatics manages meanings for the formation of an infograph discourse is brought forward. Discourses on infographs have been analyzed and the mode by which a management of meaning on its formulation and circulation are determinant for the production of reading practices based on speed schemes was revealed. Discourse on infographs mobilizes a concept of instrumental language to foreground the object?s efficaciousness communicative effect. A reading effect, denominated zigzag and funnel, has also been revealed. In fact, there is an organization of significant elements that requires a forward and backward reading on the analyzed object, or rather, a displacement of sight between the elements. The production of reading subject of infograph information is related to infograph textuality. Analyses showed the production of at least three meaning effects that materialize simultaneously in the infograph discourse, namely, relevance, synthesis and ordination effects. The latter were determinant to reveal the schematization movement, a double movement with stability and displacement, or rather, a ritual that manages reading modes. It may be broken by the material forces of historical relationships of the production of meanings. The constitution of a geometrification of language in the infograph discourse has been comprehended. It is the foundation of information ideology and repeated in the effects within the schematization movement. On the other hand, the geometrification of language is an opening of meanings. It functions as a network of heterogeneous relationships that would make possible spiral reading practices. The information-infograph relationship, institutionally worked through by the journalistic discourse, shows the production of the product?s meaning effects for information. When it is spread as a product, its constitutional historical tense process is inevitably erased. This is due to its relationship with consumption, propriety and consent based on this movement. Since it is marked by informational determinism, the infograph marks and shows a specific reading mode and, through the same movement, is hindered by the opening of meaning
Subject: Comunicação - Métodos gráficos
Análise do discurso
Movimento
Informação - Imprensa
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2012
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Nunes_SilviaRegina_D.pdf5.03 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.