Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/268894
Type: TESE
Title: Permanencia e (re)atualização do discurso racista em proverbios e piadas
Author: Perez, Joubert Castro
Advisor: Possenti, Sírio, 1947-
Abstract: Resumo: Esta dissertação toma como objeto principal de estudo o discurso racista presente nos provérbios que circul(ar)am no Brasil, tendo o negro como tema. Lançaremos num primeiro instante um olhar analítico sobre o funcionamento desse discurso nos provérbios, mas sempre e imediatamente reforçaremos a argumentação recorrendo às piadas que tratam do mesmo tema. Os provérbios, considerados popularmente como suporte da '"sabedoria das nações", da "verdade dos povos", guardariam mais afinidade com os objetos que concemem ao "sagrado" que ao "profano". As piadas, por outro lado, ocupariam o espaço do profano, do irreverente. Esta pesquisa buscará mostrar que tanto as piadas quanto os provérbios servem, na verdade, de suporte de discursos bastante reacionários, que estão longe de poderem ser considerados a verdade, ou a sabedoria. Depois das considerações iniciais do capítulo I, estaremos, no seguinte, discutindo alguns conceitos caros à AD, que julgamos úteis à pesquisa, como o de paráftase discursiva, formação discursiva, e interdiscurso, por exemplo. No capítulo lU, tentaremos desestabilizar alguns lugarescomuns que se construíram em tomo dos provérbios. No capítulo IV, veremos como o discurso racista produzido da perspectiva do branco seleciona fórmulas e/ou recursos lingüísticos diferentes cujo efeito é sempre o mesmo: a exclusão do negro. Consideraremos, ainda e principalmente, os diversos enunciados desse discurso que giram em tomo de núcleos semânticos representados pelos seguintes enunciados de base (EBs). No capítulo V, veremos como o discurso que decidimos chamar em nosso texto de discurso "de branco" encontra seu contraponto nos diversos enunciados que se reúnem em tomo dos enunciados de base que sintetizam o discurso da cultura negra. É nesse capítulo, ainda, que identificaremos a dissimetria radical - quantitativa e qualitativa - que parece caracterizar os dois discursos. Quantitativa, por causa do número expressivamente maior de enunciados do discurso produzido pela cultura branca; qualitativa, em virtude da ausência quase completa do traço [+ ataque] no discurso da cultura negra. E, finalmente, no capítulo VI, num movimento de análise inverso ao dos dois capítulos anteriores, tentaremos mostrar como o retomo do "mesmo" discurso põe em movimento as ftonteiras da formação discursiva, por acrescentar ao velho discurso um aspecto de novidade, de (re)atualização. Essa necessidade de enunciação do velho discurso sob novas formas funciona como a respiração de uma formação discursiva e não pode ser pensado sem a atividade do sujeito. Por isso, encerraremos o capítulo VI, tematizando o trabalho do sujeito

Abstract: This dissertation takes as its focal point the racist discourse in Brazilian popular proverbs, in which black people are the main theme. Firstly, we will present an analytical glance considering how this kind of discourse works in the proverbs, reinforcing this idea by recurring to the jokes about the same subject. The proverbs, popularly considered as a support of "the wisdom of the nations" and "the truth of the peoples", would have an affinity for the objects related to the "holy things" while the jokes could be placed in the realm of profane and irreverent things. This text intends to show that both proverbs and jokes, in fact, stand up for a quite conservative discourses far from being the truth or the wisdom. Secondly, we will approach some important concepts to the Discourse Analysis we consider useful to our research as discursive paraphrase, interdiscourse and discursive formation. After that we will discuss some clichesbuilt around some proverbs and we will try to tum them unstable through our analysis. Thirdly, through the reduction of a great deal of utterances in this kind of discourse, we will check how the racial discourse by the perspective of the white people select some specific formulas or different linguistic resources whose result is always the same: exc1usionof the blacks. Following our discussion, we will observe how this discourse we decided to call "discourse of the white" in this work meets its counterpoint, or its rival discourse, in a plenty of utterances that meet together around the basis utterances that summarize the discourse of black culture. We will also identify the existence of a radical asymmetry - quantitative and qualitative - that seems to characterize both discourses. At last, we will seek to show how the retum of the "same"discourse moves the frontiers of the discursive formation by adding to the old discourse a new aspect and a renewal. The necessity of uttering the old discourse under new shapes works as the breathing of a discursive formation and it cannot be thought without the subject activity, that is why we will finish our text discussing briefly the work of the subject
Subject: Análise do discurso
Parafrase
Racismo na linguagem
Provérbios
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2000
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Perez_JoubertCastro_M.pdf31.01 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.