Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/26825
Type: Artigo de periódico
Title: Accuracy of the serological ELISA test compared with the polymerase chain reaction for the diagnosis of cytomegalovirus infection in pregnancy
Author: Parmigiani, Silvana Varella
Barini, Ricardo
Costa, Sandra Cecília Botelho
Amaral, Eliana
Silva, José Carlos Gama da
Pinto e Silva, João Luiz de Carvalho
Abstract: CONTEXT: The most frequently used methods for detecting antibodies are the indirect immunofluorescence test and the enzymatic immunoassay (ELISA). The polymerase chain reaction is a molecular biology technique in which the production of large amounts of specific DNA fragments is induced from very low concentrations of complex substrates aloowing the detection of very low amounts of viral particles. OBJECTIVE: To assess the accuracy of serological/ELISA tests in comparison with the polymerase chain reaction in maternal blood to diagnose cytomegalovirus infection. DESIGN: A descriptive study was performed. SETTING: High-risk outpatient clinic of Campinas University (Unicamp). PARTICIPANTS: We selected 243 pregnant women. All of them had been indicated for blood sampling because of suspicions of cytomegalovirus infection and also because of other infections. MAIN MEASUREMENTS: The group was tested for cytomegalovirus. Serological tests were run and compared to the polymerase chain reaction, which was considered to be the gold standard. Status analyses were done using Fisher's exact test, via the SAS software. RESULTS: The previous cytomegalovirus infection rate was 94.6%. The main reasons for inclusion in the study were fetal nervous system malformation (25.5%), maternal toxoplasmosis (25.5%) and Rh isoimmunization (14.8%). Only two women were included because of positive serological immunoglobulin M test for cytomegalovirus. The sensitivity and specificity of the serological tests were 94% and 6% for immunoglobulin G. CONCLUSION: Serological tests had lower sensitivity in comparison with the polymerase chain reaction test when diagnosing cytomegalovirus infection. The consequences of positive polymerase chain reaction and negative immunoglobulin M in women remain unknown.
CONTEXTO: Os métodos mais freqüentemente utilizados na detecção de anticorpos são a imunofluorescência indireta e o ensaio imunoenzimático (Elisa). A reação de polimerase em cadeia é uma técnica de biologia molecular em que a produção de grande quantidade de fragmentos específicos de DNA é induzida a partir de baixas concentrações de substratos, permitindo a detecção de pequenas quantidades de partículas virais. OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi estudar a acurácia do teste sorológico Elisa (enzyme linked immunosorbent assay) no diagnóstico de infecção materna pelo citomegalovírus avaliada pela reação de polimerase em cadeia por meio de amostragem de sangue materno. TIPO DO ESTUDO: Descritivo. LOCAL: Ambulatório de Pré-Natal Especializado do Centro de Assistência Integral à Saúde da Mulher (PNE/CAISM) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). PARTICIPANTES: 243 gestantes atendidas no serviço. As gestantes que constituíam a amostra foram aquelas que tinham indicação de análise sangüínea. METODOLOGIA E ANÁLISE ESTATÍSTICA: As pacientes foram submetidas à coleta de sangue venoso periférico para pesquisa de citomegalovírus utilizando-se comparativamente o teste sorológico em relação à reação de polimerase em cadeia. Neste estudo, o padrão-ouro utilizado foi a reação de polimerase em cadeia em amostras de sangue. A análise estatística foi feita pelo teste Exato de Fisher usando o programa SAS. RESULTADOS: As principais indicações para a análise foram diagnóstico de malformação do sistema nervoso central (25,5%), toxoplasmose materna (25,5%) e isoimunização pelo fator Rh (14,8%). A freqüência de infecção pregressa pelo citomegalovírus foi de 94,6% na população estudada. Duas das pacientes apresentavam suspeita de infecção ativa pelo citomegalovírus por positividade para imunoglobulina M. Comparando os testes diagnósticos em sangue materno, encontramos uma sensibilidade de 94% e especificidade de 6% da imunoglobulina G materna. CONCLUSÃO: Os testes sorológicos mostraram baixa acurácia diagnóstica em relação à reação de polimerase em cadeia na identificação de gestantes com infecção ativa pelo citomegalovírus na população estudada. As conseqüências da positividade na reação de polimerase em cadeia em imunoglobulina M negativa em gestantes não estão esclarecidas.
Subject: Vírus
Gestação
Sorologia
Reação de polimerase em cadeia
Virus
Pregnancy
Serology
Polymerase chain reaction
Editor: Associação Paulista de Medicina - APM
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S1516-31802003000300002
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802003000300002
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802003000300002
Date Issue: 1-Jan-2003
Appears in Collections:Unicamp - Artigos e Outros Documentos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S1516-31802003000300002.pdf181.7 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.