Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/266308
Type: TESE
Title: Obtenção e caracterização de microparticulas de quitosana contendo papaina
Title Alternative: Obtetion and characterization of chitosan micropartcles modified with papain
Author: Goulart, Gilberto Alessandre Soares
Abstract: Resumo: A utilização de polímeros naturais como biomateriais tem crescido nos últimos anos. Existem polímeros naturais, como a quitosana, por exemplo, que têm grande potencial de uso nas áreas farmacêuticas, médicas, de engenharia de tecidos e engenharia biomédica (reconstituição de ossos), e matriz de liberação controlada de fármacos, com propriedades biológicas interessantes, tais como: biocompatibilidade com tecidos e órgãos humanos, não toxicidade, capacidade hemostática, bactericida, fungicida e principalmente propriedade cicatrizante. Este polímero pode ser utilizado juntamente com outros compostos, como a papaína, que é uma enzima proteolítica extraída do mamão e que possui propriedade antiinflamatória, fungicida facilita a cicatrização de tecidos epiteliais. O objetivo deste trabalho foi estudar a de utilização da quitosana e papaína no reparo de tecidos epiteliais. Para tal, foram produzidas micropartículas de quitosana com papaína sorvida em diferentes concentrações e também com a utilização de agentes reticulantes como o glutaraldeído 0,75% em massa e o tripolifosfato de sódio (TPP) 10% m/v, com a finalidade de imobilizar a enzima sobre as micropartículas de quitosana. As micropartículas foram testadas quanto a sua capacidade de liberação de papaína e avaliadas quanto ao tempo de armazenamento. Analises morfológicas (MEV), cristalográficas (DRX) e térmicas (TGA e DSC) foram realizadas para caracterização das micropartículas de quitosana, com a finalidade de verificar a influência do agente reticulante na liberação de papaína sorvida nas micropartículas de quitosana. Foi observado que as micropartículas utilizadas na forma natural com papaína sorvida sofriam deterioração com o decorrer do tempo. Por esse foi mais indicado o uso de um agente reticulante, com a finalidade de imobilizar a papaína e manter sua atividade enzimática constante. O agente reticulante escolhido foi o TPP, pelo fato de não possuir toxicidade. Foi observado que a imobilização da papaína ocorreu de forma efetiva pelo uso do TPP, pois se conseguiu manter constante a atividade enzimática nas micropartículas de quitosana reticuladas por um período de tempo de 6 meses

Abstract: The use of natural polymers as biomaterials has been growing in the last years. Natural polymers as chitosan, consists in good examples with great potential for use in pharmaceutical and medical areas, tissue and biomedical engineering (reconstitution of bones), and controlled release of drugs. Chitosan presents interesting biological properties, such as: biocompatibility with tissue and organs, non toxicicity, hemostatic, anti-bacterial, anti-fungal properties and mainly healing properties. It can be used associated with other active molecules, such as papain, that is a proteolitic enzyme of papaya and also possesses anti-inflammatory property, being able to facilitate the healing of epithelial tissues. The objective of this study was to evaluate the possibility of using of chitosan for wound healing. Hence, microparticles of chitosan with sorbed papain (in several concentrations) associated with the use of crosslinking agents as glutaraldehyde 0.75% (w/w) solution and sodium tripoly-phosphate (TPP) 10% (w/v) solution in order to immobilize the enzyme. The produced microparticles were tested on its capacity of papain release and the time of storage. Morphological (SEM), crystallographic (DRX) and thermal (TGA and DSC) analyses were performed for microparticles characterization, with the purpose to verify the influence of the crosslinking agent in the release of papain from the microparticles. As results, microparticles used in the natural form with sorbed papain underwent deterioration with elapsing of the storage time. For this reason, TPP was used to immobilize papain and keep its enzimatic activity, without presenting toxicicity. The immobilization of the papain using TPP occurred in a sactisfactory way, keeping the enzymatic activity of papain in chitosan microparticles even after a long shelf life
Subject: Quitosana
Papaina
Cicatrização de feridas
Biomateriais
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:FEQ - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Goulart_GilbertoAlessandreSoares_D.pdf3.29 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.