Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/26289
Type: Artigo de periódico
Title: O uso das luvas de proteção no corte manual da cana-de-açúcar
Title Alternative: Protective gloves for manual harvesting of sugar cane
Author: Gonzaga, Maria Cristina
Abrahão, Roberto Funes
Braunbeck, Oscar Antonio
Abstract: This study on the personal protective equipment (PPE) and the tools used for the manual harvesting of sugar cane resulted from a tripartite negotiation between FUNDACENTRO, the Rural Workers Union in Araraquara, and the Santa Cruz sugar mill. The subject came out while workers were trying to adapt themselves to the set of tools and PPE (Personal Protective Equipment) demanded not only by the Regulating Standard Rural nº4 set by the Ministry of Labor and Employment, but also to their companies internal rules. One of their strategies to improve their gloves adherence to the handles of their knives was covering them with rubber. Four models of gloves were analyzed not only from the point of view of their quality, through questionnaires distributed to 47 workers, but also their quantity, through the average static friction coefficient (µ) produced by the gloves when holding the wooden knife handles. Clean wood and wood covered with rubber, new and used gloves were tested. The qualitative research showed that workers prefer gloves made of leather and nylon scrapings because they fit their hands comfortably, without causing aches or blocking their movements. The static friction coefficient (µe) is determined by the glove material, its condition and the kind of surface.
Uma negociação tripartite entre a Fundacentro, o Sindicato dos Empregados Rurais de Araraquara e a Usina Santa Cruz permitiu a realização do estudo sobre o uso dos equipamentos de proteção individual (EPI) e das ferramentas de trabalho durante a execução da atividade de cortar manualmente a cana-de-açúcar. A problemática se manifestou frente às estratégias utilizadas pelos trabalhadores para viabilizar o uso conjunto das ferramentas e dos EPI, prescritos como obrigatórios pela Norma Regulamentadora Rural nº 4 (Ministério do Trabalho e Emprego) e pelas normas internas da empresa. A principal estratégia desenvolvida pelos trabalhadores foi emborrachar o cabo do facão com o objetivo de minimizar o efeito da falta de aderência entre a luva de proteção e o cabo da ferramenta. A metodologia utilizada no presente estudo foi analisar qualitativamente, através da aplicação de questionários, quatro modelos de luvas junto a 47 trabalhadores, além de analisar quantitativamente o coeficiente médio de atrito estático (µ) desenvolvido entre as luvas e a madeira com que é confeccionado o cabo do facão. Os experimentos foram feitos com madeira limpa e emborrachada e com luvas novas e usadas. A pesquisa qualitativa apontou a luva de proteção de raspa de couro e nylon como a preferida dos trabalhadores, pelo conforto advindo do fato desta luva se ajustar bem às mãos, de não prejudicar os movimentos e não ocasionar danos às mãos. O coeficiente de atrito estático (µe) depende do tipo de luva, da condição da luva e do tipo de superfície.
Subject: luva de proteção
atrito estático
cana-de-açúcar
protective gloves
static friction
sugar cane
Editor: Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0303-76572005000100005
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0303-76572005000100005
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572005000100005
Date Issue: 1-Jun-2005
Appears in Collections:Unicamp - Artigos e Outros Documentos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0303-76572005000100005.pdf203.42 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.