Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/258059
Type: TESE
Title: Influência de muros vivos sobre o desempenho térmico de edifícios
Title Alternative: Influence of living walls on the thermal performance of buildings
Author: Caetano, Fernando Durso Neves, 1986-
Advisor: Labaki, Lucila Chebel, 1943-
Abstract: Resumo: Nas cidades, os materiais utilizados para o revestimento do solo possuem propriedades que alteram o balanço dos ciclos naturais, induzindo a formação de fenômenos danosos como as ilhas de calor e as inundações urbanas. A partir desta constatação, atualmente muitas cidade vêm buscando uma recuperação da vegetação enquanto alternativa tecnologia que proporcione conforto ambiental sem prejudicar o desenvolvimento sustentável. Mas apesar de seu potencial para a amenização ambiental passiva, nem sempre é possível uma inserção considerável de áreas verdes nas cidades, tendo em vista que a valorização e demanda pelo uso do solo relegam-na a um segundo plano. Neste sentido, os revestimentos vegetais oferecem uma alternativa ao utilizarem a envoltória dos edifícios para introduzir a vegetação nas cidades; normalmente as coberturas e paredes dos edifícios configuram espaços subutilizados, mas com uma influência direta sobre o ambiente interno. Por causa disto, a tecnologia dos revestimentos vegetais tem atraído a atenção de muitos pesquisadores da área de clima urbano e conforto ambiental. Dentro deste contexto o trabalho aborda uma variação da tecnologia conhecida como muros vivos, que propõe a criação de uma pele vegetal sobre a alvenaria dos edifícios. A pesquisa teve como enfoque a análise térmica, utilizando para isto um delineamento experimental com medições comparativas. O objetivo principal consistiu em verificar a extensão em que o uso de um muro vivo externo influencia o comportamento térmico da envoltória e do interior de um edifício. O experimento ocorreu no campus da Universidade Estadual de Campinas, dentro da realidade construtiva e climática da região sudeste do Brasil. Durante a sua realização foram medidos parâmetros ambientais (temperaturas superficiais, do ar, e de globo negro; umidade relativa) em dois edifícios similares (um exposto e outro protegido com a pele verde) durante meses de verão (outubro de 2013 a janeiro de 2014). Além da influência sobre o comportamento térmico do edifício, a pesquisa também avaliou a viabilidade de uso de diferentes espécies vegetais em sistemas de muro vivo, assim como parâmetros técnicos referentes à irrigação, nutrição e fixação das plantas. Os principais resultados obtidos demonstraram que o sistema proporcionou um amortecimento térmico médio de até 19 °C na temperatura superficial externa da envoltória, e um atraso térmico médio de até 4 horas; no interior, a presença da pele verde proporcionou uma amenização média de até 2,73 °C na temperatura operativa no horário mais quente do dia típico

Abstract: In cities the materials used to cover the ground have properties that change the balance of natural cycles, leading to the shaping of harmful phenomena as the heat islands and urban floods. From this evidence many towns currently seek the restoration of vegetation cover as a way to provide environmental comfort without neglecting the sustainable development. But despite its potential for passive mitigation, not always the insertion of large green areas in cities is feasible due the high value and demand for land use. In this sense the green skins provide an alternative when using the buildings envelope in order to add vegetatios in cities; usually, the roofs and walls of buildings characterize underutilized areas, but with a direct influence on its internal environment. Because of this, the technology of vegetal coatings has attracted the attention of many researchers in the field of urban climate and environmental comfort. Within this context, this research addressed a variation of this technologies known as living walls, which proposes the creation of a vertical greenery system attached to the masonry of the buildings. The research had a focus on the thermal analysis, using for this an experimental approach with comparative measurements. Its main objective has been to verify the extent to which an external living wall influences the thermal behavior of the envelope and the interior of a building. The experiment took place at the State University of Campinas campus, within the constructive and climatic reality of southeastern Brazil. During its realization were measured environmental parameters (air, superficial, and black-globe temperatures; relative humidity) in two similar buildings (one exposed and other protected with the vegetal skin) during the summer months (October 2013 to January 2014). In addition, the research also evaluated the feasibility of using different plant species in the system, as well as technical parameters referring to irrigation, nutrition and plants attachment. The main results showed that the living wall provided an average thermal damping up to 19° C at the outer surface temperature of the envelope, and an average thermal lag of up to 4 hours for the warmer hours of the day; inside, the presence of the vegetal skin provided a mitigation up to 2,73 ° C in the operative temperature to the hottest hours of the average day
Subject: Conforto térmico
Vegetação
Bioclimatologia
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FEC - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Caetano_FernandoDursoNeves_M.pdf9.17 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.