Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/25764
Type: Artigo de periódico
Title: Membranas de poli (ácido lático-co-ácido glicólico) como curativos para pele: degradação in vitro e in vivo
Title Alternative: Poly (lactide-co-glycolide) membranes as skin repair: in vitro and in vivo degradation
Author: Rezende, Camila A.
Luchesi, Carolina
Barbo, Maria de Lourdes P.
Duek, Eliana A. R.
Abstract: Poly (lactide-co-glycolide) is a polymer with bioabsorption and biodegradation properties. The physical and chemical properties of this polymer have been studied in order to modulate its susceptibility to degradation and its interaction with cells and biological fluids, aiming at medical and dental applications. In this work, membranes of poly (lactide-co-glycolide) with and without plasticizer were prepared by solvent evaporation and characterized by in vitro and in vivo experiments. In vitro studies showed that the glass transition temperature decreased due to the addition of plasticizer and, consequently, their flexibility increased. During degradation, crystalline areas and porous appear. In vivo studies showed that the polymer degraded rapidly without causing inflammation and protected areas that were exposed to external agents. Furthermore, membranes improved wound healing time, indicating that they can be potentially used in skin repair.
O poli (ácido lático-co-ácido glicólico) é um copolímero biodegradável e bioreabsorvível. Suas propriedades físico-químicas têm sido estudadas com o intuito de modular sua suscetibilidade à degradação e suas interações com células e fluidos biológicos para aplicações na área médica e odontológica. Neste trabalho, membranas de poli (ácido lático-co-ácido glicólico) com e sem plastificante foram preparadas pela técnica de evaporação do solvente e caracterizadas in vitro e in vivo. Os resultados in vitro mostraram que a adição de plastificante diminui a temperatura de transição vítrea (Tg) das membranas e, conseqüentemente, aumenta a flexibilidade das mesmas. Com o avanço da degradação, verifica-se o aparecimento de regiões cristalinas e de poros. Os estudos in vivo mostraram que o polímero degradou rapidamente em contato com a pele sem causar inflamações sérias e protegeu a área ulcerada da ação de agentes externos. Além disso, a cicatrização das feridas foi mais rápida na presença das membranas mostrando que as mesmas podem ser potencialmente utilizadas como curativos para pele.
Subject: Poli (ácido lático-co-ácido glicólico)
degradação in vivo
degradação in vitro
cicatrização
membrana
Poly (lactide-co-glycolide)
in vivo degradation
in vitro degradation
cicatrisation
membrane
Editor: Associação Brasileira de Polímeros
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0104-14282005000300015
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-14282005000300015
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-14282005000300015
Date Issue: 1-Jul-2005
Appears in Collections:Unicamp - Artigos e Outros Documentos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0104-14282005000300015.pdf1.03 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.