Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/256586
Type: TESE
Title: Caracteristicas da floculação de leveduras causada por Lactobacillus fermentum
Author: Santos, Miriam Teresinha dos
Advisor: Yokoya, Fumio, 1937-
Abstract: Resumo: O mecanismo, da floculacão de leveduras Sacch. cerevisiae causada por algumas linhagens de Lactobacillus fermentum foi investigada através da avaliação do efeito da presença de íons metálicos e de carboidratos e dos tratamentos térmico, enzimático e ácido, realizados em suspensões aquosas com aqueles microrganismos. A adição de íons cálcio intensifica a ocorrência da floculacão. Os íons manganês e magnésio foram capazes de promover a floculacão, porém em concentrações maiores do que cálcio. Na presença dos íons potássio, sódio, cobre e bário, as células de leveduras não foram floculadas. O valor de pH 4,5 favoreceu a ocorrência da floculacão, quando não havia adição de íons cálcio. Ao contrário, em pH 3,0 e 6,2 não houve floculação na ausência de cálcio. Em pH 4,5, com a adição de íons magnésio e manganês em concentrações superiores a 2 X 10-²M e 10-²M respectivamente, foi observada a inibição da floculação. O carboidrato manose mostrou-se um agente desfloculante efetivo em concentrações superiores a 7 X 10-²M. Frutose apresentou um efeito inibidor menor, enquanto glicose, sacarose, maltose não mostraram nenhum efeito. O tratamento térmico das células bacterianas eliminou a sua ação floculadora; o efeito do calor mostrou-se dependente do pH, sendo mais eficiente em valor de pH mais baixo(4,5). O tratamento térmico das células de levedura não alterou suas propriedades floculativas. O tratamento com pronase E (protease de Streptomyces griseus) sobre as células de bactéria destruiu a sua habilidade floculante. O mesmo efeito não foi observado com este tratamento sobre as células de leveduras ou sobre a material floculado. Outras enzimas como lisozima e zimoliase não afetaram as propriedades floculadoras das células. Estes resultados mostraram que uma proteína bacteriana com atividade semelhante à lectina, capaz de interagir com a parede celular das células de leveduras, está envolvida na floculação. O possível mecanismo da floculacão é discutido

Abstract: The flocculation of yeast cells by some strains of Lactobacillus fermentum has been presently elucidated. The effect of metal ions, carboydrates, pH, heat and enzymes treatments, was investigated. Calcium ions were required for flocculation. Manganese and magnesium ions were able to replace calcium but large amount was required. Potassium, sodium, copper and barium ions were not effective. The value of pH 4,5 favored flocculation compared to pH 3,0 or 6,0 when calcium ion was absent. With excess of magnesium (2 x 10-¹M)) or manganese ion (10-²M), apparent flocculation inhibition was observed. Mannose was effective deflocculant at concentration above 7 X 10-²M. Fructose showed little effect but glucose, sucrose and maltose had any effect. Heat tretment of bacterial cells destroyed flocculating ability. It was pH dependent and more effective at lower pH. Heat treatment of yeast cells did not affested flocculation properties. Pronase E (protease of Streptomyces griseus) treatment of bacterial cells destroyed flocculation ability. The same effect was not observed if treatment was carried out on yeast cells or on flocculated system. Other enzymes, such lysosyme and zymoliase did not affected flocculation of cells These results showed that yeast flocculation is involved with a lectin-like structure bacterial protein. The possible mechanism of flocculation is discussed
Subject: Floculação
Levedos1
Microbiologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1991
Appears in Collections:FEA - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santos_MiriamTeresinhados_M.pdf2.76 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.