Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/255267
Type: TESE
Title: Compostos antioxidantes em polpa de tomte : efeito do processamento e da estocagem
Title Alternative: Antioxidant compounds in tomato paste : effect of processing and storage
Author: Alves, Adriana Barreto
Advisor: Bragagnolo, Neura, 1954-
Abstract: Resumo: Estudos epidemiológicos têm demonstrado que o consumo de frutas e vegetais tem um efeito benéfico na redução da incidência de várias doenças como o câncer e doenças cardiovasculares. Esse efeito tem sido relacionado com a presença de compostos antioxidantes nesses alimentos, sobretudo os flavonóides. O tomate (Lycopersicum esculentum Mill.) é um dos vegetais mais consumidos no mundo, in natura ou processado, e também é rico em compostos antioxidantes como carotenóides, vitaminas e flavonóides. Os alimentos processados, frequentemente, são tidos como menos nutritivos que os alimentos in natura, devido, principalmente, ao fato de que alguns nutrientes são degradados pelas altas temperaturas empregadas. Assim, torna-se importante avaliar o efeito do processamento e da estocagem sobre os compostos antioxidantes do tomate e também sobre sua atividade antioxidante. Um planejamento experimental foi realizado para otimizar as condições de extração dos compostos fenólicos e concentração dos flavonóides em polpa de tomate concentrada. O método otimizado foi validado para as determinações de compostos fenólicos totais e flavonóides totais por espectrofotometria e também para a determinação de flavonóides por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE). Os métodos espectrofotométricos foram validados nos parâmetros repetibilidade e exatidão. A determinação de flavonóides por CLAE foi validada nos parâmetros seletividade, linearidade, precisão, exatidão e sensibilidade. O efeito do processamento e da estocagem sobre os compostos antioxidantes do tomate foi avaliado. Foram analisados os teores de compostos fenólicos totais, flavonóides totais, flavonóides por CLAE, ácido ascórbico, licopeno e ß-caroteno, bem como a atividade antioxidante das frações hidrofílicas e lipofílicas pelos métodos ABTS e DPPH. Verificou-se que, durante o processamento, em geral, não houve perdas dos compostos antioxidantes. Durante o armazenamento, observou-se grande degradação do ácido ascórbico, porém, os demais compostos mantiveram-se estáveis, e não foi observada nenhuma alteração na atividade antioxidante. O efeito do processamento sobre a atividade antioxidante do extrato fenólico foi também avaliado por espectroscopia de ressonância de elétron-spin (ESR) usando sal de Fremy e em sistema-modelo de lipossomas. Esses e os outros resultados de atividade antioxidante obtidos previamente foram correlacionados com os teores de compostos fenólicos totais a fim de melhor estudar os mecanismos de ação antioxidante envolvidos. A ação antioxidante das amostras de tomate, coletadas em diferentes etapas do processamento, foi testada em carne de frango processada sob alta pressão a 300, 600 e 800 MPa e armazenada sob refrigeração por 15 dias. A adição de 0,30% de subproduto (pele + semente) ou 0,10% de polpa concentrada resultou em uma fase lag de 6 dias para a formação de produtos secundários da oxidação lipídica na carne de frango processada a 600 MPa. O subproduto apresentou efeito similar também para a carne de frango processada a 800 MPa. O resultado deste trabalho mostrou que, embora o processamento e a estocagem de polpa de tomate possam ter degradado substâncias mais sensíveis como o ácido ascórbico, os demais compostos antioxidantes não sofreram alterações deletérias, e, para alguns, o processamento foi benéfico, aumentando sua disponibilidade. De forma semelhante, as atividades antioxidantes dos produtos processados foram iguais ou maiores que as das amostras in natura e se mantiveram estáveis durante o armazenamento por um ano. Além disso, o subproduto do processamento pode ter boas chances de aplicação como antioxidante em outros produtos alimentícios

Abstract: Epidemiological studies have shown that the consumption of fruits and vegetables has a beneficial effect on reducing some diseases like cancer and cardiovascular diseases. These benefits have been associated to the presence of antioxidant compounds in those foods, mainly flavonoids. Tomato (Lycopersicum esculentum Mill.) is one of the most worldwide consumed vegetables, in natura or processed. Moreover, tomato is rich in many antioxidant compounds like carotenoids, vitamins and flavonoids. Frequently, thermoprocessed foods are taken as less healthy than in natura foods, mainly because nutrient losses caused by high temperature. So, it is very important to evaluate the effect of processing and storage on tomato antioxidant compounds and on their antioxidant activity. A response surface methodology was used to optimize the phenolics extraction conditions and flavonoids concentration from concentrated tomato paste. The optimized method was validated for total phenolics and total flavonoids spectrophotometric determinations and also for flavonoids quantification by high performance liquid chromatography (HPLC). The spectrophotometric methods were validated for repeatability and recovery. Flavonoids determination by HPLC was validated for selectivity, linearity, precision, recovery and sensibility. Processing and storage effect on tomato antioxidant compounds was evaluated. Total phenolics, total flavonoids, flavonoids by HPLC, ascorbic acid, lycopene and ß-carotene were determined and also the antioxidant activity of hydrophilic and lipophilic fractions were studied using ABTS and DPPH methodologies. It was observed that during processing, in general, there was no loss of the antioxidant compounds present in tomato. During the storage time there was a great loss of ascorbic acid, but all other antioxidant compounds were stable and no changes in their antioxidant activity were observed. The effect of tomato paste processing on the antioxidant activity of phenolic extract was also analyzed through electron-spin resonance spectroscopy (ESR) using Fremy¿s salt, and in a liposome model-system. These and the other antioxidant activity results previously obtained were correlated with the total phenolics content found in the samples in order to better study the antioxidant mechanisms involved. The antioxidant action of tomato samples, collected at different processing steps, was analyzed during 15 days chill storage of high-pressure treated chicken meat balls at 300, 600, and 800 MPa. Addition of 0.30% tomato waste (skin + seeds) or of 0.10% final tomato paste to minced meat led to a lag phase of 6 days for formation of secondary oxidation products in meat treated at 600 MPa. The waste product seemed especially efficient in protecting chicken meat pressurized at 800 MPa, as a notably lower rate of formation of secondary oxidation products was found. This work showed that, although processing and storage of tomato paste might result in loss of the most labile substances like ascorbic acid, the other antioxidant compounds were not affected, and, for some of them, processing increased their availability. Similarly, the antioxidant activities of final products were equal to or greater than the in natura ones and remained unaltered during one year storage. In addition, waste material may have good chances of application as antioxidant in other foods
Subject: Compostos antioxidantes
Polpa de tomate
Flavonóides
Atividade antioxidante
Processamento
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2009
Appears in Collections:FEA - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Alves_AdrianaBarreto_D.pdf4.39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.