Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/255261
Type: TESE
Title: Degradação do colesterol submetido ao aquecimento na presença de ácidos graxos e antioxidantes = estudo em sistemas-modelo
Title Alternative: Cholesterol thermal degradation in the presence of oxidants and fatty acids : model-system study
Author: Nogueira, Gislaine Chrystina
Advisor: Bragagnolo, Neura, 1954-
Abstract: Resumo: Uma das rotas de degradação do colesterol, quando submetido ao aquecimento em presença de oxigênio, é a formação de óxidos de colesterol (COP). Estes compostos têm sido associados a uma série de efeitos biológicos e doenças degenerativas e sua formação pode ser influenciada pela presença de outras substâncias, como antioxidantes e ácidos graxos. A influência dos antioxidantes está associada ao seu mecanismo de ação, que podem atuar nas fases de iniciação ou de propagação da oxidação lipídica. Já a influência dos ácidos graxos está associada com o grau de insaturação na molécula, em função da formação de radicais livres. Com o objetivo de verificar o comportamento do colesterol durante o aquecimento frente a influencia dessas substâncias, sistemas modelo contendo colesterol e ß-caroteno, TBHQ, vitamina E, ácido esteárico (saturado) ou ácido linolênico (com 3 insaturações), foram estudados. Os sistemas foram submetidos a 140, 180 e 220 °C, na presença de oxigênio, até que pelo menos 75% do colesterol fossem degradados. Os teores de colesterol, 7- hidroperoxicolesterol e COP foram avaliados ao longo do período de aquecimento. A degradação do colesterol foi observada em todas as temperaturas investigadas, ocorrendo em velocidade diretamente proporcional ao aumento da temperatura, totalizando aproximadamente 8 minutos a 220 °C, 20 minutos a 180 °C e 1 hora a 140 °C. De acordo com os resultados obtidos, a formação de COP atinge um máximo e a seguir sofre degradação, exceto na temperatura de 140 °C, em que o máximo da formação de COP só foi observado nos sistemas adicionados de ácidos graxos. A presença de ácidos graxos acelerou a formação de COP, entretanto, os sistemas contendo ácido linolênico apresentaram menores teores totais em todas as temperaturas estudadas e os sistemas contendo ácido esteárico apresentaram menores teores apenas a 220 °C, em comparação ao colesterol puro. Com exceção do TBHQ, a 140 °C, todos os antioxidantes estudados reduziram e/ou retardaram a formação de COP durante o aquecimento

Abstract: One of the pathways of cholesterol degradation, when it is submitted to heat, is the production of cholesterol oxidation products (COP). Those compounds have been associated to several biological effects and degenerative diseases and their formation can be influenced by other substances, such as antioxidants and fatty acids. The influence of the antioxidants is related to their mechanisms, which can act in the initiation and or propagation phases of the lipid oxidation. The influence of the fatty acids is associated to their degree of unsaturation, because of the free radical formation. In order to verify the cholesterol behavior during heating with the influence of those substances, model systems containing cholesterol and ß-carotene, TBHQ, vitamin E, stearic acid or linolenic acid, were studied. The model systems were heated at 140, 180 and 220 °C until at least 75% of cholesterol was degraded. The amount of cholesterol, COP and 7-hydroperoxycholesterol ¿ an intermediate compound of COP formation ¿ was evaluated during heating process. Cholesterol degradation was observed at all studied temperatures, occurring at a velocity directly proportional to the temperature increase, totalizing approximately 8 min at 220 °C, 20 min at 180 °C and 1 h at 140 °C. According to the obtained results, COP are formed reaching a maximum content and after that are degraded, but at 140 °C, the maximum was reached only at the systems containing fatty acids. The presence of fatty acids accelerated COP formation; however, the systems containing linolenic acid showed lower total content at all studied temperatures, on the other hand, the systems containing stearic acid showed lower content only at 220 °C, when compared to the pure cholesterol system. Except TBHQ, at 140 °C, all antioxidants were able to reduce and/or delay the maximum amount of total COP during heating
Subject: Óxidos de colesterol
Termo-oxidação
Antioxidantes
Ácidos graxos
Sistemas modelo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FEA - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Nogueira_GislaineChrystina_D.pdf822.87 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.