Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/255068
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: In vivo antioxidant potential of passion fruit (Passiflora Edulis) peel = Potencial antioxidante in vivo da casca do maracujá (Passiflora Edulis)
Title Alternative: Potencial antioxidante in vivo da casca do maracujá (Passiflora Edulis)
Author: Da Silva, Juliana Kelly, 1987-
Advisor: Maróstica Junior, Mário Roberto, 1980-
Junior, Mario Roberto Marostica
Abstract: Resumo: O maracujá (Passiflora edulis) é uma variedade cultivada no Brasil, destinada principalmente à indústria de suco, mas seu processamento gera muitos resíduos. Estes subprodutos podem ser fontes de compostos bioativos, atuando na prevenção e tratamento do estresse oxidativo e agravos à saúde. Neste sentido, o escopo deste trabalho foi avaliar a ação antioxidante da farinha da casca de P. edulis (PPF) em ratos saudáveis e com colite induzida. Também foi avaliada a ação da PPF na microbiota cecal e na produção de ácidos graxos de cadeia curta (AGCC) dos animais saudáveis. A caracterização química mostrou que a PPF possui aproximadamente 48 % de fibra insolúvel e 17 % de fibra solúvel. O teor de fenóis totais na PPF foi 2,53±0,03 mg GAE g-1, de acordo com análise de Folin-Ciocateau. Nos ensaios biológicos foram utilizados ratos Wistar machos (77 dias de idade). Para o preparo da dieta experimental (Peel) 50% do teor de celulose da dieta padrão foram substituídos por fibra de PPF. No primeiro ensaio, os animais foram divididos em 2 grupos: Peel e Control (n=4). Após 15 dias os animais foram anestesiados e sacrificados. O grupo Peel apresentou maior ingestão diária de dieta, sem alteração ponderal, porém mostrou menores níveis de albumina sérica e proteína total em comparação ao grupo Controle. Não houve diferenças no potencial antioxidante sérico de acordo com ensaio de FRAP e TBARS, mas o grupo Peel demonstrou menor capacidade antioxidante comparado ao grupo Controle, de acordo com a análise de ORAC. Nos rins dos animais do grupo Peel houve diminuição na peroxidação lipídica e atividade da enzima Superóxido Dismutase (SOD) em comparação aos animais Controle. Porém, no fígado dos animais que consumiram PFF, houve maior nível de TBARS e atividade de Glutationa Redutase (GR), e redução da atividade de Glutationa Peroxidase (GPx). O teor de AGCC foi maior no conteúdo cecal do grupo Peel, sem alteração na microbiota ou pH fecal. Estes achados sugerem que a ingestão de PPF pode melhorar saúde intestinal ao promover aumento da produção AGCC, além de reduzir a peroxidação lipídica nos rins em ratos Wistar. Há ainda evidências que a PPF possa conter compostos termogênicos. No segundo ensaio biológico, os animais foram divididos em 4 grupos: Casca Colite, Casca Controle, AIN Colite e AIN Controle (n=6). Após uma semana de adaptação à dieta, foi realizada injeção retal de ácido 2,4,6-trinitrobenzenosulfônico (TNBS) para indução da colite nos animais; no grupo Controle, o procedimento foi realizado utilizando solução salina 0,9 m/v em substituição ao TNBS. Os animais tratados mostraram melhora no potencial antioxidante sérico, segundo os ensaios de TBARS e ORAC, bem como modulação das enzimas antioxidantes SOD (cérebro e fígado), GR e GPx (fígado) em relação aos grupos AIN. Porém, nos grupos Peel houve elevação da peroxidação lipídica no fígado. Apesar da casca de maracujá ser boa fonte de fibras e compostos fenólicos, sendo uma alternativa de ingrediente para indústria de alimentos com ação antioxidante, além de amenizar a geração de resíduos, é preciso investigar melhor seus efeitos a nível hepático.

Abstract: Passion fruit (Passiflora edulis) is a broadly cultivated variety in Brazil and mainly used in the juice industry. Passion fruit processing results in several residues which may represent 50% fruit's gross weight. Fruit byproducts, as the peels, oftentimes have greater amount of bioactive compounds, including antioxidant substances, which could act in the prevention or treatment of the oxidative stress and pathologies. The aim of this study was to evaluable antioxidant action of P. edulis peel flour (PPF) in healthy rats, beyond its effect in rats with induced colitis. The determination of PPF proximate composition showed 48 % of insoluble fiber and 17 % of fiber soluble. Total phenolic was 2.53 ± 0.03 mg GAE g-1 by Folin-Ciocateau assay. In the biological assays seventy seven-days-old male Wistar rats were used. The experimental diet was prepared with fifty percent of the cellulose content of standard diet replaced by fiber from PPF. In the first assay, the animals were divided in 2 groups: Peel and Control (n= 4). After 15 days of diet intake, the animals were naesthetized and sacrificed. PPF group consumed greater amount of diet without alterations in body weight of animals, but serum levels of total albumin and protein were lower than Control group. The animals that received PPF in the diet showed no differences in serum antioxidant status (FRAP and TBARS assays), but they presented lower antioxidant potential according to ORAC assay. Animals from Peel group showed a reduction in kidneys lipid peroxidation and SOD activity compared to the control group. In addition, the livers of the animals fed with PPF showed high TBARS levels, increased GR activity and decreased GPx activity. The SCFA in the cecal content were greater in Peel group, without alteration in microbiota or fecal pH. These findings suggest that the PPF intake could improve bowel health by increasing in SCFA production, further it reduced lipid peroxidation in kidneys. Some evidences show that P. edulis peel could contain thermogenic/ ergogenic compounds. In the second biological assay, the animals were divided in 4 groups: Peel Colitis, Peel Sham, AIN Colitis, AIN Sham (n= 6). After one week of adaptation, the colitis induction was performed by rectal injection of TNBS. The animals that received PPF showed improvements in serum antioxidant potential (ORAC and TBARS assays), as well as modulation of antioxidant enzymes activities in brain (SOD) and liver (SOD, GR and GPx) relative to AIN groups. On the other hand, hepatic lipid peroxidation in Peel groups was increased. P. edulis peel is a rich source of fiber and phenolic compounds and could be an alternative ingredient to food industry which might avoid the oxidant action and to reduce the residue production. However, more investigations are necessaries to investigate possible hepatic effects
Subject: Passiflora edulis
Estresse oxidativo
Antioxidantes
Fibras
Doenças inflamatórias intestinais
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:FEA - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_JulianaKellyda_M.pdf1.3 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.