Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/254958
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Desenvolvimento e uso de testes olfatórios em estudos com portadores de epilepsia
Title Alternative: Development and use of olfactory testing in studies of patients with epilepsy
Author: Natalicio, Maria Angelica, 1977-
Advisor: Silva, Maria Aparecida Azevedo Pereira da, 1954-
Abstract: Resumo: Testes sensoriais para a avaliação da função olfatória de indivíduos têm sido validados e utilizados em diagnósticos da população em geral, e em portadores de desordens cerebrais e pesquisas em neurociência em particular. No Brasil, testes para serem utilizados com segurança e eficiência para a avaliação da capacidade de identificação e discriminação de odores de indivíduos ainda não foram adequadamente desenvolvidos e validados. Assim, os objetivos da presente pesquisa foram: i) desenvolver, testar e validar testes de identificação e discriminação de odores para avaliar a função olfatória de indivíduos brasileiros, ii) avaliar a potencialidade das metodologias desenvolvidas para uso em pré-diagnóstico clínico de indivíduos da terceira idade e pacientes portadores de epilepsia, iii) verificar o desempenho, em portadores de epilepsia, de uma metodologia já validada e utilizada mundialmente para avaliar a capacidade de identificação de odores de indivíduos e, iv) avaliar em portadores de epilepsia, funções que são processadas por substratos neurais comuns à função olfatória, neste caso, a capacidade de reconhecimento de emoção facial e vocal. Para o teste de identificação de odores, foi desenvolvido um instrumento intitulado &quot;Pastilhas de Odor¿ contendo em pastilhas individuais, 36 odores familiares aos brasileiros. Os odores foram caracterizados quanto à intensidade, aceitação, pungência, refrescância e familiaridade, sendo considerados adequados para comporem um teste de avaliação da função olfatória. A identificação dos odores de &quot;Pastilhas de Odor¿ foi realizada através de um teste de múltipla escolha contendo quatro alternativas, das quais apenas uma é a correta. Para o desenvolvimento do teste de discriminação de odores, 24 voláteis odoríferos puros (P.A.), associados a 6 diferentes categorias de odor - doce, verde, frutal, cítrico, floral e desagradável - foram selecionados e diluídos em propilenoglicol. Com essas amostras, 36 testes de comparação pareada foram construídos, onde em cada categoria de odor, uma amostra alvo foi selecionada para ser comparada com as demais da mesma categoria. O desempenho de cada indivíduo neste teste é analisado utilizando-se a teoria &quot;signaldetection¿, através dos seguintes parâmetros: taxa de acertos (HR), taxa de falsos alarmes (FR), poder discriminativo (d¿L) e vício de resposta (CL). Os dois testes desenvolvidos - &quot;Pastilhas de Odor¿ e teste de discriminação - foram validados com a participação de três grupos de indivíduos: grupo controle, grupo da terceira idade e grupo de indivíduos portadores de epilepsia do lobo temporal (ELT). A capacidade de identificação de odores, de pacientes norte-americanos portadores de ELT foi também avaliada, utilizando-se com esse fim, o teste já validado, denominado &quot;University of Pennsylvania Smell Identification Test¿ (UPSIT), o qual consiste em um teste de múltipla escolha, composto por 40 estímulos odoríferos microencapsulados. Adicionalmente, avaliou-se nesses pacientes, a capacidade de reconhecimento de emoção facial e vocal, utilizando-se uma nova ferramenta intitulada &quot;Comprehensive Affect Testing System¿ (CATS). Com relação à capacidade de identificação de odores dos indivíduos brasileiros, os resultados obtidos através do teste &quot;Pastilhas de Odor¿ revelaram significância estatística tanto para o efeito &quot;sexo¿ (p=0,0003), como para o efeito &quot;idade¿ (p<0,001). O teste também permitiu identificar que os portadores de ELT, sem cirurgia e após ressecção do lobo temporal, apresentavam menor capacidade de identificação de odores comparativamente ao grupo controle (p= 0,05); este mesmo resultado foi observado ao aplicar o UPSIT em portadores de ELT norte-americanos, antes e após os mesmos terem sido submetidos à mencionada cirurgia. O teste &quot;Pastilhas de Odor¿ mostrou ser de fácil manuseio e aplicação em indivíduos adultos, apresentou alto coeficiente de confiabilidade no teste-reteste (r=0,87, p<0,001) e suas pastilhas apresentaram boa estabilidade ao armazenamento durante 3 meses. Por sua vez, os dados obtidos através do teste de discriminação de odores identificaram que tanto o grupo da terceira idade como o dos portadores de ELT apresentaram poder discriminativo e taxa de acertos inferiores (p=0.05) aos indivíduos do grupo controle. Os resultados obtidos pela aplicação do teste CATS em indivíduos norte-americanos, revelaram que pacientes ELT tanto pré- como póscirúrgicos apresentaram menor reconhecimento de emoção facial e vocal quando comparados com o grupo controle, principalmente para as emoções negativas. O fato dos testes &quot;Pastilhas de Odor¿ e de discriminação de odores desenvolvidos na presente pesquisa terem detectado deficiência olfatória nos indivíduos brasileiros da terceira idade e portadores de epilepsia, constrói validade para a utilização dos mesmos em diagnósticos clínicos associados a essas populações

Abstract: Sensory tests to evaluate olfactory function have been validated and used in the diagnosis of subjects, mainly in brain disorders patients, and in the neuroscience research. In Brazil, reliable tests of odor discrimination and identification have not been appropriately developed and validated. The aims of the present study were: i) to develop, test and validate odor discrimination and identification tests to assess olfactory function of Brazilian population; ii) to evaluate the methodologies performance in the diagnosis of elderly subjects and epilepsy patients. For odor identification test, the developed instrument was entitled &quot;Odor Tablets¿, with 36 different odors familiar to Brazilians; to verify the performance in patients with epilepsy, a methodology previously validated and used worldwide to evaluate the ability to identify odors of individuals, and iv) to evaluate in patients with epilepsy, functions that are processed by common neural substrates for olfactory function, in this case, the ability of recognition of voice and facial emotion. Odors were rated as to their intensity, pleasantness, pungency, coolness and familiarity and they were considered suitable for composing a test to assess olfactory function. &quot;Odor Tablets¿ proceeded through multiple-choice test with four alternatives which only one was correct. For the development of odor discrimination test, 24 pure odorants, associated with six different odor categories ¿ sweet, green, fruity, citric, floral and unpleasant - were selected and diluted in propylene glycol. With these samples, 36 paired comparison tests were constructed, where in each odor category, a target sample was selected to be compared with the others in the same category. The participant¿s performance in the odor discrimination test was analyzed using the &quot;signal-detection" theory through the following parameters: hit rate (HR), false-alarm rate (FR), discrimination measurement (d 'L) and bias response (CL). Both tests, &quot;Odor Tablets¿ and odor discrimination test, were validated with three groups of subjects: control group, elderly group and temporal lobe epilepsy patients group (TLE). The ability to identify odors from North American TLE patients was also measured, using for this purpose, the validated test "University of Pennsylvania Smell Identification Test" (UPSIT), a multiple choice test consisting of 40 microencapsulated odor stimuli. In addition, the ability of recognition of voice and facial emotion of TLE patients were evaluated using a new tool entitled "Comprehensive Affect Testing System" (CATS). For the subject¿s ability to identify odors, there were significant differences for gender (p=0.0003) and age (p<0.001). Also, for this test, the results showed that pre- and postsurgery epilepsy patients presented lower performance than the control group (p= 0.05); This same result was observed when applying the UPSIT in American TLE patients before and after surgery. &quot;Odor Tablets¿ proved to be easy to administer in adult subjects, showed a high coefficient of the test-retest reliability (r = 0.87, p<0.001), and the tablets presented a storage stability for 3 months. The discrimination test results showed that elderly and epilepsy patient groups presented lower performance in the discrimination measurement and hit rate parameters than the control group. The results obtained using the CATS test in American TLE patients revealed that both pre-and post-surgery showed deficits in the facial and vocal emotions when compared with the control group, especially for negative emotions. The fact that the &quot;Odor Tablets¿ and the discrimination odor test developed in the present study had detected olfactory dysfunction in elderly subjects and epilepsy patients, provides their validity for use in the diagnoses of these population
Subject: Olfato
Epilepsia
Disfunção olfatória
Teste de identificação de odores
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: NATALICIO, Maria Angelica. Desenvolvimento e uso de testes olfatórios em estudos com portadores de epilepsia. 2012. 132 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia de Alimentos, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/254958>. Acesso em: 19 ago. 2018.
Date Issue: 2012
Appears in Collections:FEA - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Natalicio_MariaAngelica_D.pdf1.11 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.