Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/254710
Type: TESE
Title: Fumonisinas em produtos e em variedades de milho argentinos
Author: Hennigen, Mara Rubia
Advisor: Soares, Lucia Maria Valente, 1947-
Abstract: Resumo: O milho (Zea mays L.) é um dos três cereais de maior importância a nível mundial, depois do trigo e do arroz. Os Estados Unidos da América são responsáveis por cerca de 40% do total da produção mundial. São seguidos pela República Popular da China e pelo Brasil. A Argentina coloca no mercado 2% do total da produção mundial de milho. O cultivo deste cereal ocupa o terceiro lugar, tanto em relação a área cultivada, como em relação à produção agrícola daquele país, depois da soja e do trigo. Aproximadamente 50% da produção de milho argentino é destinada ao mercado de exportação, principalmente a países da Ásia e ao Brasil. As fumonisinas são metabólitos tóxicos produzidos principalmente pelo Fusarium moniliforme, um fungo ubíquo, que comumente está presente no milho. As fumonisinas causam diversas micotoxicoses, tais como leucoencefalomalácia equina e edema pulmonar em suínos. A fumonisina B1 foi apontada como hepatocarcinogênica em ratos e causadora de hemorragia cerebral em coelhos. As fumonisinas tem sido detectadas em milho e em produtos a base de milho em várias partes do mundo. Além disso, a alta incidência de câncer de esôfago em humanos em regiões tais como Transkei, na África do Sul, e Linxian, na China, tem sido epidemiologicamente correlacionada com a presença de fumonisinas em produtos à base de milho que são consumidos nestas regiões. O presente trabalho teve como primeiro objetivo coletar dados sobre o milho e produtos derivados produzidos por um país vizinho e importante parceiro comercial, com relação à incidência de fumonisinas. Um segundo objetivo do trabalho foi investigar fatores que possam influir na contaminação do milho no campo. Os fatores pesquisados foram: cultivar, tipo de endosperma, ciclo vegetativo, temperatura, umidade relativa e precipitação pluviométrica. Visando atingir estes objetivos foram investigados: a) os níveis de fumonisinas em produtos a base de milho oferecidos aos consumidores em Buenos Aires, Argentina; b) a incidência de fumonisinas em diferentes genótipos de milho cultivados na Argentina durante duas estações de plantio subsequentes. Os níveis de fumonisina B1 e B2 foram determinados em 35 amostras de farinha de milho e canjica destinados ao consumo humano, adquiridos diretamente de pequenos mercados e supermercados durante o período de outubro de 1996 a janeiro de 1997 e durante o mês de janeiro de 1998. Durante o primeiro período de coleta, 16 das 19 amostras foram encontradas contaminadas. Considerando todas as 19 amostras, os níveis de contaminação variaram entre não detectado e 1869 ng/g FB1, com uma média de 300 n9/g, e entre não detectado e 768 ng/g, com uma média de 95 ng/g. Durante o segundo período, todas as 16 amostras estavam contaminadas com níveis entre 75 a 4987 ng/g FB1, com uma média de 844 ng/g e entre não detectado e 1818 ng/g FB2, com uma média de 304 ng/g. Os níveis de FB1 e FB2 nas amostras coletadas durante janeiro de 1998 foram significativamente mais elevadas que nas amostras coletadas durante o período de outubro de 1996 a janeiro de 1997. Nenhuma diferença significativa foi encontrada entre amostras com marcas ou comercializadas à granel em termos de níveis de fumonisinas. A ocorrência de fumonsinas 81 e 82 foi investigada em 37 híbridos de ciclo normal e 29 de ciclo intermediário cultivados em Junin e 42 híbridos de ciclo normal e 32 de ciclo intermediário cultivados em Pergamino, durante os períodos de outubro de 1995 a abril de 1996 e outubro de 1996 a abril de 1997, respectivamente. Os híbridos cultivados em Junin durante o primeiro período continham fumonisina 81 em níveis variando de não detectado a 838 ng/g (concentração média de 131 ng/g) para híbridos de milho de ciclo intermediário e de não detectado a 662 ng/g para F82 (concentração média de 58 ng/g). Fumonsinas 81 e 82 variaram de não detectado a 470 ng/g para F81 (concentração média de 62 ng/g) e de não detectado a 138 ng/g para F82 (concetração média de 13 ng/g) para híbridos de ciclo normal. Os híbridos cultivados em Pergamino durante o segundo período do estudo continham fumonsinas 81 e 82 em níveis variando de 66 a 11160 ng/g de F81 (concentração média de 3183 ng/g) e de 27 a 3526 ng/g para F82 (concentração média de 995 ng/g) para híbridos de ciclo intermediário. Os níveis de contaminação variaram de 499 a 10791 ng/g para F81 (concentração média de 3846 ng/g) e de 87 a 4597 ng/g para FB2 (concentração média de 1166 ng/g) para híbridos com ciclo normal. Quarenta e quatro híbridos foram plantados durante ambos os períodos. Nenhuma correlação foi encontrada entre os níveis de fumonisinas e tipo de endosperma, tipo de hibridização e ciclo vegetativo. Os níveis de fumonisinas assim como a humidade relativa média mensal foram significativamente diferentes de um período de cultivo para outro, porém o mesmo não ocorreu com a temperatura média mensal e o índice pluviométrico mensal

Abstract: Com, or maize (Zea mays L.), is the world third leading cereal crop, after wheat and rice. The United States produces nearly 40% of the total world production. The next largest comproducing countries are the People's Republic of China and Brazil. Argentinean com accounts for 2 percent of the total world production. In Argentina com occupies a third of the cultivated area and ranks third among cereals, after soybean and wheat. About 50% of Argentinean com is destined to export markets, mainly Asian countries and Brazil. Fumonisins are toxic metabolites of Fusarium moniliforme, which occurs widely in com. They cause mycotoxicosis in animais, such as equine leukoencephalomalacia and porcine pulmonary edema. Fumonisin B1 has been showed to be hepatocarcinogenic to rats. Fumonisins appear to be endemic in com and have been detected in a wide array of com-based products. In addition, the high incidence of human esophageal cancer in certain parts of the world, such as in Transkei, South Africa, and in Linxian, China, has been correlated with fumonisins presence in the food consumed locally. The first aim of the present work was to collect data on fumonisins incidence on com and com products produced by a neibouring country which is also an important Brazilian commercial partner. A second objective was to investigate possible factors responsible for fumonisins production in the field. The factors chosen were: cultivar, endosperm type, vegetative cycle length, temperature , relative humidity, and rainfall. With these objectives in mind (a) Fumonisin levels were investigated in com products offered to consumers in Buenos Aires, Argentina, and (b) Maize genotypes grown in Argentina during two consecutive growing seasons were examined for the incidence of fumonisins. Fumonisins B1 and B2 were determined in 35 samples of com flour and com grits destined to human consumption and purchased directly from Buenos Aires food shops and supermarkets during October 1996 to January 1997 and during the month of January 1998. During the first period of sample collecting, 16 out of 19 samples were found contaminated. Considering ali 19 samples contamination levels were between not detected and 1860 ng/g FB1, with an average of 300 ng/g, and from not detected to 768 ng/g FB2, with an average of 95 ng/g. During the second period ali 16 samples were found contaminanted with levels ranging from 75 to 4987 ng/g FB1, with an average of 844 ng/g, and from not detected to 1818 ng/g FB2, with an average of 304 ng/g. The levels of FB1 and FB2 in the samples collected during January 1998 were significatively higher than the samples collected during the period of October 1996 to January 1997. No signifficative difference was found in terms of fumonisins levels between the branded and the unbranded samples. The natural occurrence of fumonisin 81 (F81) and fumonisin 82 (F82) has been investigated in 37 full cycle hybrids and 29 intermediate cycle hibrids grown in Junin, and 42 full cycle hybrids and 32 intermediate cycle hybrids grown in Pergamino during the growing season of October 1995 to April 1996 and the growing season of October 1996 to Apri11997, respectively. The maize hybrids grown in Junin during the first season contained fumonisin 81 at levels ranging from not detected to 838 ng/g (mean concentration 131 ng/g) for intermediate cycle maize hybrids and from not detected to 662 ng/g for F82 (mean concentration 58 ng/g). Fumonisins 81 and 82 ranged from not detected to 470 ng/g for F81 (mean concentration of 62 ng/g) and from not detected to 138 ng/g for F82 (mean concentration of 13 ng/g) for full cycle maize hybrids. The maize hybrids grown in Pergamino during the second season contained fumonisins 81 and 82 at levels ranging from 66 to 11160 ng/g for F81 (mean concentration of 3183 ng/g) and from 27 to 3526 ng/g for F82 (mean concentration of 995 ng/g) for intermediate cycle maize hybrids. The levels of contamination ranged from 499 to 10791 ng/g for F81 (mean concentration of 3846 ng/g) and from 87 to 4597 ng/g for F82 (mean concentration of 1166 ng/g) for full cycle maize hybrids. Forty four of the com hybrids were planted during both growing seasons. No correlation was found between fumonisins levels and endosperm type, number of crosses of the hybrid, and vegetative cycle length. The fumonisins levels were significantly different from one growing season to the other as was the average monthly relative humidity but not the average monthly temperature and the total monthly rainfall
Subject: Milho - Argentina
Farinhas
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1998
Appears in Collections:FEA - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Hennigen_MaraRubia_D.pdf5.11 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.