Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/254507
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Exposição alimentar à própolis : resposta de biomarcadores inflamatórios e da microbiota intestinal em camundongos C57BL/6 tratados com dieta obesogênica
Title Alternative: Dietary exposure to propolis : response of inflammatory biomakers and intestinal microbiota in C57BL/6 mice fed a high-fat diet
Author: Roquetto, Aline Rissetti, 1990-
Advisor: Amaya-Farfán, Jaime, 1941-
Abstract: Resumo: A obesidade é um dos maiores problemas de saúde pública no mundo, sendo associada a diversas doenças metabólicas como inflamação, resistência insulínica, dislipidemia, esteatose hepática, entre outras. Recentemente, tem sido demonstrado que alterações nas proporções dos filos que compõem a microbiota intestinal repercutem negativamente sobre o metabolismo e processos fisiológicos do hospedeiro. A dieta moderna é apontada como um dos fatores capazes de modular as bactérias intestinais e desencadear respostas inflamatórias. Diante deste cenário e tendo conhecimento de que a própolis, resina produzida por abelhas que possui ação anti-inflamatória e antimicrobiana, a presente pesquisa teve como objetivo avaliar o efeito da suplementação da própolis em camundongos tratados com dieta hiperlipídica sobre a microbiota intestinal e biomarcadores inflamatórios. Quarenta camundongos da linhagem C57BL/6 foram divididos em 4 grupos (n=10) aleatoriamente: grupo controle ¿ dieta baseada na AIN-93G; grupo hiperlipídico (HF) ¿ dieta com 37% de gordura; e grupos HFP2 e HFP5 tratados com dieta hiperlipídica, seguida de suplementação com própolis 0,2% nas duas e cinco semanas que antecederam ao sacrifício respectivamente. Foram coletadas amostras de sangue e músculo para determinações bioquímicas e indicadores de inflamação, o conteúdo cecal foi extraído para sequenciamento do DNA da microbiota intestinal. Os resultados não mostraram diferenças no ganho de peso entre os grupos experimentais, mas o tratamento com própolis por 5 semanas foi efetivo em reverter a disbiose causada pela dieta HF, com relação aos filos Firmicutes, e Proteobacteria. Os níveis de lipopolissacarídeos (LPS) no soro, bem como a expressão de toll-like receptor-4 (TLR4) e de citocinas pró-inflamatórias no músculo foram reduzidos pelo tratamento prolongado com própolis. Além disso, esta intervenção melhorou os níveis séricos de glicose e triacilgliceróis. Estes resultados sugerem a possibilidade de que a própolis exerça ação benéfica modificando o microbioma que limita a permeabilização da parede intestinal, regulando a translocação de componentes bacterianos para a corrente sanguínea e, consequentemente, conduzindo a uma menor expressão de citocinas inflamatórias

Abstract: Obesity is a major world-wide public health problem and is associated with metabolic disorders as generalized inflammation, insulin resistance, dyslipidemia, hepatic steatosis, among others. Recently, it has been demonstrated that changes in the proportions of phyla that make up the gut microbiota have a profound effect on the metabolism and physiology of the host. The modern diet has been identified as one of the factors that modulate the intestinal bacteria and trigger inflammatory responses. Considering this state of affairs and knowing that propolis, a resin present in bee honey, has anti-inflammatory and anti-microbial action, the present study was designed to evaluate the effect of propolis supplementation on the intestinal microbiome and inflammatory biomarkers of mice pre-conditioned with a high-fat diet. Forty mice of the C57BL/6 strain were randomly divided into four groups (n = 10): control group ¿ diet based on the AIN 93-G; high-fat group ¿ diet with 37% fat; and two other groups treated with high-fat, HFP2 and HFP5, that were supplemented with 0.2% propolis during two and five weeks preceding sacrifice, respectively. Blood and muscle samples were collected for biochemical analyses and inflammation markers, the cecal contents were extracted for DNA sequencing of the intestinal microbiota¿s genome. The results showed no differences in weight gain among the experimental groups, but treatment with propolis for 5 weeks effectively reverted the dysbiosis caused by the HF diet with respect to the Firmicutes and Proteobacteria phyla. The levels of serum lipopolysaccharide (LPS), and Toll-like receptor-4 (TLR4) expression, and proinflammatory cytokines in muscle were reduced by the longer propolis treatment. In addition, this intervention improved serum glucose and serum triacylglycerol levels. The present results suggest that ingested propolis exerts its beneficial action, first modifying the intestinal microbiota, which limits intestinal wall permeability and controls the translocation of bacterial components into the bloodstream and thus averting inflammatory cytokine overexpression
Subject: Microbioma gastrointestinal
Obesidade
Inflamação
Citocinas
Própolis
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FEA - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Roquetto_AlineRissetti_M.pdf2.1 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.