Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/254288
Type: TESE
Title: Desenvolvimento e validação de metodologia analitica, utilizando a CLAE, para determinação de vitamina C em frutas e seus principais produtos
Title Alternative: Development and validation of analytical methodology, using the HPLC for determination of vitamin C in fruits and its main products
Author: Aldrigue, Mauro Luiz
Advisor: Godoy, Helena Teixeira, 1957-
Abstract: Resumo: Atualmente, a vitamina C é a mais importante dentre as vitaminas comercializadas. Destaca-se por sua eficiente ação antioxidante, empregada em alimentos e seu largo uso como fármaco. Entre os compostos que apresentam esta atividade vitamínica, o ácido L-ascórbico (AA) é a forma mais difundida e comercializada, embora o produto de sua oxidação, o ácido desidroascórbico (DHAA) possua a mesma atividade vitamínica. Já, com cerca de 5% desta atividade, o ácido isoascórbico (IAA) é adicionado a vários alimentos, o, que leva a necessidade de métodos eficientes também para o seu controle. Para melhor avaliar o potencial vitamínico de fontes naturais de vitamina C, que são as frutas, os legumes e seus produtos, busca-se desenvolver métodos que determinem simultaneamente estas formas ativas, o que constitue em um dos grandes desafios metodológicos na atualidade. Assim, a metodologia para análise das formas ativas de vitamina C (AA, DHAA e lAA) foi estabelecida com a técnica de Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE), utilizando coluna Spherisorb ODS-2, 5Jµm,150x4,6mm, fase móvel aquosa com 2,5mmol/L de cetrimida e 25mmol/L de acetato de amônia, pH 5,60 ajustado com ácido acético e vazão de 0,80mL/min, utilizando detector de arranjo de diodos, operando a 263nm. A quantificação foi feita por padronização externa, através das curvas analíticas. Os limites de detecção e quantificação estabelecidos foram de 0,5Jµg/mL e 1,0µg/mL, respectivamente, tanto para o AA DHAA e lAA. As taxas de recuperação foram de 97,8; 98,8 e 117,1% para o AA DHAA e lAA, respectivamente. Os testes de repetibilidade apresentaram coeficientes médios de variação abaixo de 6,0%. Concomitantemente, uma outra condição cromatográfica de análise foi desenvolvida, com os mesmos objetivos, empregando uma coluna PLRP-S, 5µm,100A, 250x4,6mm, fase móvel aquosa com 250mmol/L de NaH2P04,pH 3,30, ajustado com HCl, vazão de 0,50mL/min, utilizando o mesmo sistema de detecção. Os limites de detecção e quantificação, para esta nova condição, foram 0,35µg/mL e 1,0µg/mL, respectivamente para todas as formas de vitamina C estudadas e os coeficientes de variação abaixo de 10,0%. Para a detecção de DHAA, em ambas as condições, foi utilizada a reação com DL-homocisteína e a quantificação por diferença entre duas injeções. Estudou-se também a reação do DHAA com o-fenilenodiamina (o-PDA), para detecção em uma única injeção, porém obteve-se menor sensibilidade e maior tempo de reação. Na aplicação em amostras optou-se pela metodologia desenvolvida com coluna C18, principalmente por apresentar uma melhor resolução e um menor custo. O método foi aplicado na determinação de vitamina C total (AA e DHAA) em caju, cujo teor variou de 207,0 a 300,8mg/l00g em frutos maduros. Nos produtos de caju a concentração variou entre 148,5 a 243,0mg/100g em sucos comerciais; 118,0mg/100g em polpa congelada comercial; 229,0 a 318,5mg/100g em polpa congelada artesanal; e 170,7mg/100g em néctar. Os frutos de acerola apresentaram teores médios de 1229,2mg/100g em frutos maduros a 3498,lmg/100g em frutos verdes. Nos sucos comerciais os valores obtidos variaram de 710,0 a 881,2mg/100g; 1141,1 a 1375,2mg/100g na polpa congelada comercial e 282,3mg/100g no néctar. Outras matérias-primas também tiveram seu teor de vitamina C determinado, como uva e suco de uva comercial, goiaba vermelha, ameixa, figo-da-índia e beterraba. O DHAA foi detectado exclusivamente em ameixa e uva niágara e com teor elevado em frutos de caju (45,7%) e frutos maduros de acerola (20,7%). Os resultados foram comparados com o método oficial de titulação com 2,6-dicloroindofenol. O estudo de validação do método desenvolvido com a coluna C18, apresentou resultados bastante satisfatórios para recomendá-Io na aplicação da determinação de vitamina C em trutas e seus produtos, além de oferecer duas vantagens em relação ao método oficial: não apresenta interferência em matrizes coloridas e possibilita a determinação do DHAA, que é imprescindível em alguns casos

Abstract: Currently, amongst commercially available vitamins, vitamin C is the most important. Due to its efficient antioxidant action, it is used in foods and widely in farmaceuticals. Of the substances which present this vitaminic activity, L-ascorbic acid (AA) is a well known and commercialized form, though its oxidation product, dehydroascorbic acid (DHAA) possesses the same amount of antiascorbutic action. Isoascorbic acid (IAA) which possesses about 5% of this activity is added to various foods, thus requiring efficient methods for its control. To better evaluate the vitaminic potential of the natural sources of vitamin C, i.e. fruits, legumes and their products, the need to develop methods which could simultaneously determine these active forms imposes a great methodological challenge. Thus, a methodology for the analysis of the various active forms of vitamin C (AA, DHAA, IAA) was developed, using a High Performance Liquid Chromatography (HPLC) technique, and using a Spherisorb ODS-2 column, 1,5µm particle size, 15cmx4.6mm i.d. The aquous mobile phase was 2.5mmol/L of cetrimide and 25mmol/L of ammonium acetate, pH 5.60 adjusted with acetic acid and a flow rate of 0.8mL/min, using a diode array detector (DAD) operating at 263nm. Quantitative data were obtained using calibration curves constructed by plotting peak area versus concentration. Detection and quantification limits were 0.5 and 1.0µg/mL for AA, DHAA and IAA, respectively. The recovery was 97.8% for AA, 98.8% for DHAA and 117.1% for IAA. Reapeated injections showed a relative standard deviation lower than 6.0%. Concomitantly, another method was also developed, with the same objectives, with a PLRP-S column, 5µm particle size, 100A pore size, 25cmx4.6mm i.d., mobile phase of 250mmol/L NaH2P04, pH 3.30 adjusted with HCI, flow rate of 0.50mL/min and DAD (?=263nm). Detection and quantification limits were 0.35µg/mL and 1.0µg/mL respectively. The relative standard deviation was lower than 10.0%. For the detection of DHAA, in both methods, the reaction with DL-homocistein was used and quantification by difference, using two injections. A reaction of DHAA with o-phenylenediamine (o-PDA) was also studied, for detection with single injection, but with lower sensitivity in the UV detection and a reaction which consumed much time. For application in the samples we opted for the methodology developed using the CI8 column, mainly for presenting a better resolution and being less expensive. The determination of total vitamin C (AA and DHAA) was carried out in cashew fruit, which varried from 207.0 to 300.8mg/100g in mature fruits and 148.5 to 243.0mg/100g in commercial juices. Commercial frozen cashew pulp presented 118.0mg/100g and artesanal pulp 229.0 to 318.5mg/100g, while a nectar presented 170.7mg/100g. The West Indian cherry fi-uitspresented a variation trom 1229.2mg/100g in mature fruits to 3498.1mg/100g in green fruits. Commercial juices varried trom 710.0 to 881.2mg/100g; frozen commercial pulp from 1141.1 to 1375.2mg/100g and nectar 282.3mg/100g. Vitamin C was determined in other samples: grape, grape juice, prune, red guava, figo-da-Índia and beeroot. DHAA was only detected in prune and niagara grapes and at higher concentrations in cashew fruits (45.7%) and mature West Indian cherry fruits (20.7%). The results were compared with the official method of titration with 2,6- dichloroindophenol. The study of the validation of the method developed with the C18 column, presented satisfactory results thus being recommended for the determination of vitamin C in fruits and their products, besides offering the advantages in relation to the method of AOAC in matrixes which present interference with the color during titration, and it also offers the possibility of determining of DHAA, which is necessary in some cases
Subject: Vitamina C
Cromatografia líquida de alta eficiência
Frutas
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1998
Appears in Collections:FEA - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Aldrigue_MauroLuiz_D.pdf4.71 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.