Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/253970
Type: TESE DIGITAL
Title: Inclinações, erotismo, pederastia e práticas masturbatórias : uma análise dos prontuários clínicos dos campineiros internados no sanatório Pinel da década de 1930
Title Alternative: Inclination, erotism, pederasty and practices masturbatory : an analysis of clinical records from Campinas hospitalized in Sanctorius Pinel 1930s
Author: Santos, Paulo Reis dos, 1956-
Advisor: Fontes Junior, Joaquim Brasil, 1939-
Abstract: Resumo: Fundamentada nos estudos foucaultianos, a presente pesquisa, em nível de doutoramento, buscou estudar o discurso médico-higienista-psiquiátrico, formulado por cientistas europeus no final do século XIX e início do XX, acerca das práticas sexuais dissidentes ao padrão heteronormativo, e como esse arcabouço teórico influenciou a nascente psiquiatria brasileira e, principalmente, qual o impacto causado a seus praticantes. No final do século XIX a medicina-higiênica, e posteriormente a medicina psiquiátrica alemã, inglesa e francesa, nomeou e classificou as práticas sexuais dissidentes como uma patologia, propondo a cura de seu práticante por meio de tratamento adequado. Por conseguinte, no início do século XX, no Brasil, a ortopedia do dispositivo da sexualidade fez com que homens e mulheres que apresentassem estas anomalias sexuais fossem asilados em enfermarias, sanatórios e hospícios. Ao analisarmos 10 prontuários clínicos de moradores da cidade de Campinas, no interior do estado de São Paulo, que foram internados no Sanatório Pinel de Pirituba/SP., nos anos de 1930, por apresentarem práticas sexuais dissidentes, procuramos evidenciar o impacto do discurso da ordem e da higiene na vida e subjetividade desses pacientes. Concluímos que, apesar dos esforços em higienizar as práticas sexuais, a partir do formato procriativo heterossexual, o dispositivo da sexualidade produziu (e ainda hoje produz) sujeitos que permanecem na borda da heteronormatividade instituída como padrão/norma hegemônica para homens e mulheres. Diante deste fato, o que se coloca é que, apesar da dissidência à heterossexualidade não ser mais um signo de patologia para o discurso psiquiátrico, percebemos que ainda assim, esta patologização permanece no imaginário social. Portanto, para além do esvaziamento dos conteúdos e argumentação contrária aos discursos que compõe o dispositivo da sexualidade, há a necessidade de demonstrarmos o quão danoso foi e ainda é o investimento sociocultural neste dispositivo para a subjetivação, para as relações sociais e para a construção de uma sociedade mais igualitária

Abstract: Based in Foucault studies, this PhD. research sought to study the medical-hygienist-psychiatric discourse, made by European scientists in the late nineteenth century and early twentieth, about sexual practices dissidents to heternormative standard, and how such theoretical framework influenced the Brazilian psychiatry and especially the impact caused in its practitioners. In the late nineteenth century medicine, hygienic, and later the English, French and German psychiatric medicine named and classified the dissident sexual practices as a pathologies, proposing the healing of the practitioner through proper treatment. Therefore, in the early twentieth Century, in Brazil, the form of the sexuality device made men and women present these sexual abnormalities were granted in asylums, sanatoriums and hospices. By analyzing 10 clínical records of residents of the city of Campinas, in the state of São Paulo, who were admitted to the Sanatorium Pinel of Pirituba / SP., in the 1930s, because of dissident sexual practices, we seek to highlight the impact of speech order and hygiene in life and subjectivity of these patients. We conclude that, despite efforts to sanitize the sexual practices, from heterosexual procreative format, the sexuality device produced (and still produces) subjects who remain at the edge of heteronormativity established as standard / hegemonic norm for men and women. Given this fact, what arises is that, despite dissent to heterosexuality no longer a pathology sign for psychiatric discourse, we realize that still remains in this pathological social imaginary. Therefore, in addition to emptying the contents and arguments contrary to the speeches that make up the sexuality device, there is a need to demonstrate how damaging was and furthermore is the socio-cultural investment in this device for subjectivity, to social relationships and the construction a more egalitarian society
Subject: Psiquiatria
Sexualidade
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FE - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santos_PauloReisdos_D.pdf3.37 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.