Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/253369
Type: TESE
Title: Fome : ideologia e capitalismo
Author: Azoubel, Lina Maria de Oliveira
Advisor: Demange, Nilson Joseph, 1933-
Abstract: Resumo: Procuramos realizar um estudo sobre a fome levando em conta a estrutura político-econômica-social vigente no país, com a preocupação de como ela se reflete na educação, alimentação e trabalho. A fome é um tema pouco estudado e por nós considerado não apenas um fenômeno natural, mas principalmente resultado de uma determinação política, econômica e social. Em outras palavras, procuramos dar uma visão a respeito da fome não só do ponto de vista biológico, em que é estudada como desnutrição, mas como estando altamente comprometida com um processo político-econômico-social mais abrangente. De um lado temos conhecimento que ela se en­contra nos países periféricos de todo o mundo, entre eles o Brasil. De outro é sabido que o ano 87/88 foi contabilizado um sucesso da produção mundial, uma vez que na terra existe neste ano o estoque de mais ou menos 400 milhões de toneladas grãos o que equivale a 7 vezes a última safra brasileira de grãos. Segundo dados oficiais essa quantidade seria suficiente para suprir as deficiências calóricas, durante 2 anos, dos 730 milhões de famintos que povoam o planeta. É fundamental dar conhecimento de que os armazéns comunitários da Comunidade Econômica Européia (C.E.E.) a­cumulam desde o ano passado: 16,4 milhões de toneladas de cereais, 1,4 milhã­o de toneladas de manteiga, 1 milhão de toneladas de leite em pó, 0,6 milhão de toneladas de carne bovina, 0,25 milhão de toneladas de azeite de oliva, e para isso gasta 2 bilhões de dólares de aluguel para armazenar estes alimentos. Por sua vez, no Brasil 85% da população ganha até 5 salários mínimos para sobreviver com seus dependentes, o que os coloca em uma das três fases da manifestação da fome. Isso ocorre em conseqüência da política-econômica-social de um capitalismo dependente imposta aos brasilei­ros por um capitalismo desenvolvido e opressor. Em vista disso, teceremos algumas considera­ções a respeito do descomprometimento do governo em relação a fome, assim como das diversidades dos condicionantes da fome, relacionando-a com o desenvolvimento e a política. Trabalharemos também com as questões envolvi­ das com a fome a nível regional, nacional e internacional. Consideramos que a fome é um processo organi­zado como uma grande indústria que por sua vez é subsidiada pelas indústrias da seca, enchente, exploração da propriedade da terra, educação excludente, salário mínimo e exploração direta do trabalhador. Como não poderia deixar de ser terminamos com uma análise da fome a Nível Internacional e das propostas dos Órgãos Internacionais

Abstract: A study on hunger was conducted taking into consideration the political and socioeconomic structure of Brazil, focusing on its repercussions on education, feeding and work. Hunger is a little studied topic which we consider not only as a natural phenomenon, but mainly as the result of a political, economic and social determination. In other words, our objective was to provide a picture of hunger not only from a biological point of view, which sees it as malnutrition, but also as a phenomenon involved in amore encompassing political and socioeconomic process. On the one hand, we know that hunger exists in alI peripheral countries in the world, Brazil among them, and on the other we know that year 1987/88 represented a great worldwide success in terms of grain production, since approxi­mately 400 million tons of grains were stocked all over the world during this period, i. e. the equivalent of 7 times the latest Brazilian grain crop. According to official data, this quantity would be sufficient to satisfy for two years all the caloric needs of 730 million individual suffering from starvation all over the world. It is of fundamental importance to inform that the community storage sites of the European Economic Community have accumulated the following amounts of food since last year: 16,4 million tons of cereals, 1,4 million tons of butter, 1,0 million tons of powdered milk, 0.600 million tons of beef, 0.250 million tons of olive oil, and that 2 billion dollars in rental expenses are being paid to store this food. In Brazil, 85% of the population earns an amount of money equivalent to up to 5 times the minimum monthly wage to support a full family, which means that this sec­tion of the population is in one of the three phases of hunger manifestation. This is the result of a socioeconomic policy based on dependent capitalism which has been imposed on the Brazilians by a developed and oppressive capitalism. In view of the above, we comment on the lack of action on the part of the government with respect to hunger and on the diversity of the factors conditioning hunger, rela­ting them to development and politics. The questions involved in hunger at he regio­nal, national and international leveI are also discussed. We consider hunger to be an organized process similar to a large industry, which in turn is subsidized by the industries of drought, flooding, exploitation of land ownership, elitist education, minimum wage and direct worker exploitation. Finally, we conclude with an analysis of hunger at the international level and of the proposals presented by International Agencies
Subject: Fome - Aspectos sociológicos
Fome - Aspectos econômicos
Capitalismo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1988
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Azoubel_LinaMariadeOliveira_M.pdf6.79 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.