Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/253283
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Mulher e trabalho : problematizando o trabalho academico e a maternidade
Author: Fabbro, Marcia Regina Cangiani
Advisor: Heloani, José Roberto Montes, 1956-
Abstract: Resumo: Trata-se de uma pesquisa qualitativa que teve como objetivo analisar como a mulher-mãe-professora universitária vivencia o trabalho/carreira acadêmica ao lado do exercício da maternidade. O que pode significar, para a constituição da identidade feminina, a cisão de papéis para responder às demandas do espaço doméstico, em particular da maternidade e do trabalho acadêmico? Como poderá essa mulher ultrapassar os condicionamentos sociais e fazer valer seu desejo e valor? Essas foram algumas questões iniciais. Utilizou-se a abordagem histórico-dialética subsidiada pela história oral. A linha condutora dessa discussão foi a história de vida de cinco professoras de uma universidade pública do interior do Estado de São Paulo, com idade média de 45 anos. A estratégia para coleta de dados contemplou a narrativa da história de vida e a entrevista reflexiva. A análise dos dados foi dirigida por três planos, a saber: identidade, trabalho e gênero que foram sistematizadas em dois eixos: a história de ¿cada uma¿ e a história de ¿todas elas¿. Este último eixo resultou nas categorias empíricas. Os referenciais teóricos que apoiaram essa discussão foram: Berger e Luckmann (1991), Ciampa (1994), Habermas (1983), Goffman (1963), Foucault (1984, 1986), Heloani (1991, 1997, 2003, 2004), Kergoat (1989, 1996, 1997, 2002) e Sarti (1997, 2002). Com a análise demonstrou-se que o trabalho proporciona realização profissional, manutenção de um padrão da vida familiar e adquire um sentido particular de honra e de afirmação de si como indivíduo. Contudo, mostrou-se também sedutor e escravizador concorrendo, assim com o papel de mãe. Argumentou-se que ocorreu uma cristalização identitária da personagem profissional/provedor, personagem fetichizado pelo estereótipo da ¿mulher bem-sucedida¿, que originou a identidade-mito e a necessidade obrigatória de ser bem sucedida profissionalmente, ser mãe exemplar e de se mostrar forte. Porém, a afirmação de si como profissional pode ser abalada porque se subordina ao universo familiar e relacional que referenda, sustenta e apóia as realizações individuais. Argumentou-se, também, que as mudanças no trabalho para atender a flexibilização e racionalização do trabalho acadêmico num contexto neoliberal impedem a constituição de identidades autônomas, inviabilizam seu processo de emancipação e mantêm encoberto o conflito capital-trabalho. A maternidade representou um ponto de inflexão em todas as histórias. No exercício desse papel essas mulheres se deparam com a dificuldade de se confrontar com o modelo tradicional. E os limites que tal papel coloca à personagem profissional/provedora é o elemento desencadeador de um certo grau de questionamento a essa personagem, instigando-as a refletir sobre si mesmas, sobre seu trabalho, sua relação com os filhos e com os maridos/companheiros e desta reflexão nasceu um certo grau de consciência e a necessidade de mudança

Abstract: This qualitative research has the objective of analyze how a woman-mother-university teacher lives the job/academic career together with the exercise of motherhood. What can the seizure of roles to attend the demands of the domestic space specially the motherhood and the academic job mean to the constitution of the feminine identity? How can she overcome the social conditionings and make her wills and virtues become worth? These were some initial questions. The historic-dialectic approach subsidized by the oral story was used. The leading line of this discussion was the life story of five teachers of a public university in the interior of the State of São Paulo, with an average age of 45 years old. The strategy for collecting data contemplated the life story telling and the reflexive interview. The data analysis was directed by three plans; identity, work and gender and systematized in two axels: the story of ¿each of them¿ and the story of ¿all of them¿. This latter resulted in the empiric categories. The theoretical references that supported this discussion were: Berger and Luckmann (1991), Ciampa (1994), Habermas (1983), Goffman (1963), Foulcault (1984, 1986), Heloani (1991, 1997, 2003, 2004), Kergoat (1089, 1996, 1997, 2002) and Sarti (1997, 2002). The analysis showed that the job gives them professional satisfaction, maintenance of family standards and gives them a private sense of honor and assertiveness as individuals. But it also showed to be seductive and slaving and thus competing with the role of being a mother. The argument was that an identitary crystallization of the character professional/provider fetichized by the stereotype of the ¿successful woman¿ was created originating the myth-identity and the mandatory need for being successful professionally, being an exemplary mother and proving to be strong. However this self-assertiveness as a professional can be shaken because it is subordinated to both the family and the relational universes that validate, support and maintain all individual accomplishments. It was also discussed that the changes at work in order to attend the flexibility and the rationalization of the academic work in a neo liberal context, hinder the constitution of autonomous identities, making the process of emancipation not viable and keeping the conflict capital-work covered. Motherhood represented an inflection point in all the stories. While exercising this role, these women realize the difficulty to face the traditional model. And the limits established by the motherhood to their professional/provider character is the triggering element of a sort of questioning in relation to this character. That instigated these women to reflect about themselves, their work, their relationship with their husband/partners and kids and from this reflection came some awareness and the necessity of changing
Subject: Mulheres
Trabalho feminino
Identidade
Família
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fabbro_MarciaReginaCangiani_D.pdf1.66 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.