Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/253018
Type: TESE
Title: O ensino de ciencias na problematica da contradição ou coexistencia entre ciencia e religião
Author: Jorge, Maria Tereza Soler
Advisor: Schnetzler, Roseli Pacheco, 1946-
Schnetzier, Roseli Pacheco
Abstract: Resumo: Neste trabalho analisa-se o papel do ensino de ciências na problemática da contradição ou coexistência entre ciência e religião. Trabalhando como professora de química no CEFAM (Centro Especifico de Formação e Aperfeiçoamento do Magistério Campinas, a observação do comportamento dos alunos pentecostais - passivos frente à Idéias científicas abordadas no meu ensino que contradiziam suas crenças religiosas - motivou-me a Investigar como tais alunos enfrentam o conflito entre concepções sobre os fenômenos da natureza ensinados nas aulas de ciências e Idéias e crenças desenvolvidas através de sua formação religiosa. Através de entrevistas com esses alunos e da análise de participações em um debate sobre Teorias da Evolução constatei que eles convivem de forma não conflituosa com Idéias científicas e religiosas. Isto porque para eles as explicações científicas são Importantes para resolver problemas do dia a dia enquanto que as concepções religiosas fornecem as explicações para as questões de valores e para as finalidades da existência. Eles, conseqüentemente defendem a necessidade da neutralidade do professor e da escola frente a concepções diferentes, consideram papel do professor ensinar sem se posicionar valorativamente sobre o que ensina. Passei a me perguntar que concepção de ciência vem predominando no ensino escolar de forma a permitir aos alunos considerarem os ensinamentos científicos úteis para o dia a dia, porém não Importantes para pensar sobre grandes questões da existência. Seria a profunda religiosidade dos pentecostais a responsável por esta concepção de ciência essencialmente utilitarista Ou esta seria decorrente do ensino de ciências como vem sendo ministrado na escola? A busca de respostas para tais questões levou-me a ampliar a Investigação junto a um grupo de 28 alunos, ingressantes no CEFAM em 1994, religiosos mas não exclusivamente pentecostais e mesmo não religiosos. Foram utilizados como procedimentos investigativos: entrevistas, questionários, debates e análise e produção de textos pelos alunos. Esta segunda parte da pesquisa velo confirmar resultados obtidos na Investigação exploratória, Isto porque: i) não só os alunos pentecostais mas também aqueles ligados à religiões menos inseridas no cotidiano dos fiéis mostraram desconfiança em relação às explicações científicas quando comparadas às explicações da Bíblia Sagrada; U) foi comum entre os demais alunos, mesmo aqueles que se dizem sem religião, a associação entre conhecimento científico e valor utilitário; 111) predominou a Idéia de que a ciência é construída a partir de observações seguras e objetivas dos fenômenos da natureza e que seus postulados são afirmações sempre comprovadas experimentalmente; Iv) foram explicitadas pelos alunos, não só os religiosos. a função da escola e do professor como essencialmente burocráticas. Essas constatações levaram-me a questionar se a visão utilitarista de ciência e a concepção burocrática da função do professor manifestadas pelos alunos estão ligadas à concepção de ciência que vem predominando no ensino escolar. Nessa perspectiva considerei ser necessária a busca de explicações na análise da epistemologia subjacente ao ensino de ciências. Três autores embasaram a formulação das conclusões: Horkheimer, com seu trabalho de caracterização da razão instrumental. em oposição à razão especulativa; Heller. através de suas categorias de análise do pensamento cotidiano. e Bachelard. com suas obras sobre a construção do conhecimento clentff1co como processo de ruptura e oposição ao conhecimento comum. Na análise desenvolvida a escola aparece como Instituição eficientemente. Incorporada às necessidades da razão instrumental. trabalhando principalmente como difusora de idéias "úteis" para o desempenho adequado das funções exigidas pela sociedade contemporânea. Neste contexto, o ensino escolar continua enfatizando a concepção de ciência empirista-indutivista associada a uma prática escolar cujo papel favorece as formas de pensar do cotidiano. Propõe-se. ao final. a necessidade de reflexão sobre cursos de ciências abertos à especulação criadora. que possibilitem aos alunos formas de pensar diferentes daquelas cotidianas. Com Isto. não se tem a pretensão de que os alunos abandonem suas crenças religiosas, mas sim a de abrir-Ihes outros caminhos para a busca de explicações sobre questões de fundo valorativo e ético e para a construção de utopias

Abstract: This research seeks to identify some of the relations established by students In CEFAM - a school destined to form teachers of the 1st. grade between the concepts in science they learn in their classes and their religious belles. The research follows the usual methodology in cases like these. I interviews. questionnaires. debates. written texts and their analyses. The results from the Inquiry were manly that for these students science Is as It were a kind of tool they may use to solve their dally needs. and not as something that may Inform their global view of nature and themselves. Therefore they can go on and keep their religious views of man and nature without any sense of conflict or anxiety. One may ask therefore whether this situation Is so widespread as to become the predominant kind of science teaching in the first and second degree today. If this is the case. we may not have been teaching after ali. And this leads to another question: what has happened to the concept of reason which should underlie the scientific concepts in the western world? Perhaps the answer has to be looked for In some of the analyses made by thinkers like Horkhelmer. Ágnes Heller and Bachelard. Bachelard posits the construction of scientific knowledge as opposed to the common knowledge - which we called "common sense knowledge"; Heller helps us to understand the forms of knowledge In our dally Life as opposed to those that constitute science; In Horkhelmer we find the characterization of reason in two kinds: the objective reason. that should underlet scientific knowledge, and the Instrumental reason, which can be circumstantially used or discarded and that Is predominant nowadays even In science. The conclusions are: without being aware of this, the school today carries with It this last form of knowledge - the Instrumental - and therefore Is taught through a emplriclst-Inductlvlst view and kind of thought that Is associated to that view: the way people use In their dally Life. Our final conclusion is that the teaching of science has to be brought to a change and lead the students to new ways In search of understanding natural word that may put before them a speculative and ethical form of thought
Subject: Religião e ciência
Ciência - Estudo e ensino
Ensino
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1995
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Jorge_MariaTerezaSoler_M.pdf7.71 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.