Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/252952
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: A superficie ex-cri(p)ta em professores e professoras : curri, corre, colares, dores simulando silencios ensurdecedores
Title Alternative: The surface written in teachers curricular corridores simulating deafening silences
Author: Andrade, Elenise Cristina Pires de
Advisor: Amorim, Antonio Carlos Rodrigues de, 1968-
Abstract: Resumo: Resmas que se resumem em restos Tu és pó e ao pó ¿reverteres¿ que se estrangulam e se repetem e a mim desde dentro produzindo a diferença pura. Em verdade é só isso que queres Fluxos e movimentos em silêncios ensurdecedores de uma quase-tese escrita por onde o tema das (im)possibilidades de discussão sobre o humano que perpassa um arquivo de Power Point foi apresentado, rememorado, esgarçado pela ex-crita, pelos professores e professoras Vem do Sol o que queima e as cores (dez ao todo) que se encontraram comigo no primeiro semestre de 2004 e me encantam desde dentro em seus cantos que calam e, no entanto, cantam com Gilles Deleuze na Lógica do Sentido que na Diferença e Repetição multiplica-se em Conversações que percorrem Crítica e Clínica não sem antes convidar Kafka, por uma literatura menor que escorrega pelos Mil platôs encontrando Anne Dufourmantele convida Jacques Derrida a falar de hospitalidade. Peripécias por metamorfoses em um nada curricular em ruína Amanhã o teu pó serão flores que resiste à necessidade de preencher, habitar sempre, com vozes,idéias, conhecimentos, contradições reais, concretas, palpáveis esse nada que insiste em permanecer incorpóreo. Quando sinto no pescoço um nó Incorporeidade que se descola deslocando a cripta do jogo da representação e elege o teatro da diferença pura ao propor um gaguejar desde dentro da escrita/pesquisa como experiência. Ex-cri(p)ta que insiste na fluidez, materializada no papel pela exigência acadêmica, que invade a evanescência, presa pela encadernação. Quasetese desde dentro. Vem o vento e me sopra, eu sou pó. (Poema PÓ da autoria de Beto Brasiliense que Oswaldo Montenegro musicou no CD ¿Letras brasileiras¿)

Abstract: Fluxes and movements in deafening silences of an almost-thesis written by the theme of the human (im)possibilities that passes over a power point file presented, remembered, teared as by the written as by ten teachers with whom I met in 2004 and who enchant me with their songs: shutting up and, however, singing with Gilles Deleuze and Jacques Derrida. Peripetia by metamorphosis in a no-school-program that resists to the need of filling, always, with voices, ideas, knowledges, real and material contraditions: this "nothing" that insists in staying bodiless, ruined. Written that insists in fluidity, materialized in the paper by the academic exigence, that invades the evanescence confined in the bookbinding. Almost-thesis from inside
Subject: Imagem
Pós-modernismo
Currículos
Simulacro
Linguagem
Escrita
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Andrade_EleniseCristinaPiresde_D.pdf5.78 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.