Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/252592
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Tempo e consciencia
Author: Gomes, Paulo de Tarso
Advisor: Teixeira, João de Fernandes, 1955-
Teixeira, João de Fernandes
Abstract: Resumo: O objeto de nossa investigação é a questão da consciência e sua temporalidade interna, aplicada ao problema do pensamento em autômatos. Iniciamos pela insuficiência do cogito cartesiano como fundamento para o reconhecimento da consciência do outro, considerando o critério comportamental em Turing e o critério da consciência em Searle. Analisamos a questão da consciência humana, examinando as hipóteses de substância e propriedade. Esta última nos leva a discutir a relação entre processamento semântico e experiências vividas, numa compreensão evolutivo-biológica. Examinamos o vínculo entre a continuidade orgânica e a temporalidade interna, tendo como fundamentos o critério de Leibniz para a distinção entre autômatos naturais e artificiais e o conceito bergsoniano de duração. Segue-se uma discussão sobre a ontologia do mental como uma ontologia de primeira pessoa e da multiplicidade. Finalmente, procuramos situar o fenômeno da consciência em bases naturais e compatíveis com uma compreensão científica do universo, através do princípio antrópico e de uma interpretação do problema do observador consciente, considerando a consciência uma propriedade cosmológica. Deste modo, a construção da simultaneidade é compreendida dentro dos limites biológicos do organismo humano, restringindo a compreensã.o bergsoniana de simultaneidade. Ainda assim, obtemos da temporalidade interna à consciência um limite para o processamento semântico e, conseqüentemente, para o desenvolvimento de autômatos. Além disso, compreendemos a liberdade como uma necessidade já presente no sujeito epistemológico, que é, portanto, autônomo

Abstract: The object of this investigation is the question of consciousness and its inner temporality, applied to the problem of thought in automata. Considering the Cartesian cogito to be an insufficient foundation for the recognition of the consciousness of the other, we take into account Turing's behavioral approach and Searle's consciousness approach. Our analysis, then, centers on the subject of human consciousness, and, as we examine the substance and property hypotheses, we are led to discuss the relationship between semantic processing and lived experiences, what, in turn, obliges us to face the question from the perspective of an evolutionary-biological understanding. We proceed to discuss the nexus between the organic continuity and the inner temporality; taking Leibniz's criterion to distinguish artificial from natural machines and the concept of the Bergsonian duration. It follows a discussion of the ontology of the mental as an ontology of the first person and of the multiplicity. Finally, we place the phenomenon of the consciousness on compatible bases with a scientific understanding of the universe, approaching the question from the anthropic principIe and from an interpretation of the conscious observer's problem and, thus, considering consciousness a cosmological property. The construction of simultaneity is therefore understood within the biological limits ofthe human organism, implying a restriction to the Bergsonian simultaneity concept. Nevertheless, inner temporality is seen as a limit to semantic proccessing and, consequently, to the development of automata. Moreover, freedom is understood as an ever present need in the epistemological subject who is, therefore, autonomous
Subject: Consciência
Tempo
Automação
Filosofia da mente - Bibliografia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1998
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Gomes_PaulodeTarso_D.pdf9.34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.