Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/252569
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: O trabalho como principio educativo do ensino
Author: Zanella, Jose Luiz
Advisor: Sanfelice, José Luís, 1949-
Abstract: Resumo: Este estudo tem como objetivo analisar as determinações do trabalho e do mundo do trabalho no ensino escolar público. Mostra, a partir da filosofia da práxis, que a defesa da centralidade do trabalho está relacionada a defesa do ensino e da ciência ao mesmo tempo. Para tanto, a análise busca explicitar os pressupostos teórico-metodológicos da filosofia da práxis, mostrando que a defesa do ensino do concreto como sendo o ensino do conceito, este entendido como sendo o conceito cientifico e filosófico, pressupõe, para o professor, clareza ontológica, antropológica, epistemológica e de práxis. A defesa do ensino a partir da defesa do trabalho, neste estudo, expressa uma primeira aproximação de crítica as tendências de ensino denominadas de ¿ensino reflexivo¿, ¿professor pesquisador¿ e ¿construtivistas¿. Mostra que estas tendências de ensino negam a centralidade do trabalho, ao mesmo tempo que negam o ensino da ciência na perspectiva da filosofia da práxis e articulam-se com o trabalho flexível da reestruturação do capitalismo. São, portanto, tendências do ensino do capital que expressam uma visão de mundo neoliberal e, na maioria dos casos, pós-moderna. A ênfase da tese consiste em investigar o processo de trabalho a partir da ¿teoria do valor¿, primeiramente no pensamento de Ricardo e, depois na constituição da filosofia da práxis em Marx. A pesquisa científico-filosófica de Marx sobre o processo de trabalho nas suas diferentes mediações e dimensões, bem como a forma da organização do trabalho numa determinada sociedade, é crucial para a apreensão do que seja o homem como ser de trabalho e das formas que o processo de trabalho assume na sociedade capitalista. Com base em Marx, torna-se possível a historicização da categoria trabalho no desenvolvimento da sociedade capitalista. Na perspectiva do materialismo dialético faz-se uma breve análise do trabalho no século XX demarcando sua passagem - em processo - do fordismo ao pós-fordismo no sentido de verificar que há uma tendência positiva de avanço da tecnologia enquanto materialização das ciências nas atividades produtivas. Este avanço está na tendência de ampliação do trabalho imaterial que traz consigo exigências de qualificação tecnológica. Mas, estas transformações do processo de trabalho ocorrem na lógica de desenvolvimento da sociedade capitalista. Ampliam-se as contradições entre riqueza produzida e exclusão social e entre a possibilidade concreta de trabalho livre emancipador e trabalho flexível precarizado. Permanece a alienação do trabalho e a classe que vive do trabalho vê-se cada vez mais fragmentada. Estas determinações do trabalho trazem determinações a escola pública através de diferentes mediações. Na ótica do capital, a escola pública restringe-se a formar o trabalhador coletivo para atender as demandas do processo produtivo tal como requer a organização do trabalho. No pós-fordismo, trata-se de formar o trabalhador polivalente. Na ótica da classe trabalhadora, a escola pública tem no trabalho concreto industrial mais desenvolvido seu princípio educativo. A formação requerida é omnilateral, tecnológica, de emancipação humana e social. A presente tese retoma e reafirma os postulados da filosofia da práxis sobre as relações entre processo produtivo, escola e ensino para mostrar que o ensino do concreto ocorre como uma atividade no e do pensamento, pela mediação do trabalho como princípio educativo

Abstract: This thesis has an objective to analyse the determinations of the working and the world of working in the public school system. It shows, from the praxis philosophy, that the defense of working centrality is related to the defense of teaching and the science both at the same time. In order to do so the analysis intends to explicit the theoretical-methodological framework of the praxis philosophy. It will show that the teaching of concreteness defense is the teaching of concept, the latter considered as a scientific and philosophical concept, which assumes, to the teacher, knowledge of ontologic, anthropologic, epistemologic and praxis. The defense of teaching from the defense of working, in this thesis, states a first criticism approach to the as named ¿reflexive teaching¿, ¿researcher teacher¿, and constutivists trends. It also shows that these teaching trends deny the centrality of working, at the same time deny the teaching of science based on praxis philosophy perspective, besides that it is articulated with the flexible working from capitalism restructuration.These trends are, therefore, trends of capitalism teaching which states a neo liberal view of the world, and in most of the cases a pos modern view. The thesis emphasis is based on the working process investigation from a ¿theory of the value¿, based mainly on Ricardo thinking, afterwards on the praxis philosophy constituition in Marx. The Marx scientific-philosophic research about the working process in its different mediations and dimensions, as well as the way of organization of working in a determined society, is fundamental to the comprehension of what means to be a human being as a working being and the ways that the process of working takes on a capitalist society. Based on Marx, it is possible the work category historicization on the capitalist society development. In the dialectic materialism perspective a brief analysis of working during the xx century is made in order to delimit the production process changing from the fordism to the pos fordism. It has been done in order to verify that there is a positive technology development trend as a science materialization on the productive activities. This advance is on the trend of non-material working development that brings technological qualification demands. However these working process transformations happen based on the capitalist society development. The contradictions between richness production and social exclusion are broader and this relation is also broader between the real possibility of a free and empowerment work and the conditions of working more flexible and precarious. The working alienation and the class which lives from these works remains and it is more and more divided. These working determinations affect the public by different mediations. Following the capitalist point of view, the public school must produce the collective worker in order to supply the productive process demands just like the working organization demands. Following the pos fordism point of view, the public school must produce a multi skilled worker. Following the working class point of view, the public school has developed its educative principles in the concrete industrial working. The formation demanded is multiple, technological and human and socially empowered. This thesis review and re-states the praxis philosophy foundations about the relations between the productive process and school and teaching in order to show that teaching of concrete takes place like an activity, from and on the thinking, by the working mediation as a educative principle
Subject: Educação e trabalho
Ensino
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2003
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Zanella_JoseLuiz_D.pdf1.54 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.