Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/252216
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Carnaval, identidade etnico-cultural e educação não formal
Author: Antonio, Carlindo Fausto
Advisor: Simson, Olga Rodrigues de Moraes Von, 1943-
Abstract: Resumo: A intenção da nossa pesquisa foi estudar, no carnaval e em dois períodos: 1842 - 1900 e 1982- 1992, as possibilidades de educação não formal e a construção de identidade étnico- cultural. Constatada tal possibilidade, isto é, a existência de educação não formal no espaço carnavalesco e também a construção de identidade étnico-cultural, vamos agora destacar os pontos centrais desse processo educativo. Vimos , no século XIX, a partir de 1850, o Entrudo e o Carnaval Veneziano disputarem a hegemonia pelos modos de festejar o carnaval. Trajeto, aliás, que acompanha as transformações sociais e as atividades festivas e recreativas do mesmo período, em Campinas. No capítulo inicial, constatamos os recursos e os meios utilizados pela imprensa, setor comercial e a camada elevada enriquecida com a lavoura do café para tentar "civilizar" as camadas populares. Não há ainda no século XIX manifestações de rua típicas e brasileiras. Temos ,de um lado, como observa a pesquisadora Olga von Simson ," o Carnaval Veneziano, mais requintado, cópia dos carnavais europeus, em que membros das camadas mais elevada da população desfilavam, ricamente fantasiados, diante do povo, que apenas assistia mas não participava.,,1 E, do outro, o Entrudo, manifestação popular, desde o Brasil colônia mas, da mesma forma, tradição copiada dos europeus. Na intervenção do afoxé Ylê Ogum, no ano de 1982 ,pudemos constatar, numa manifestação criada pela camada popular e negra, elementos típicos e culturais diferenciados dos padrões europeus. Vimos não apenas os aspectos lúdicos e de lazer, mas uma forma de intervenção organizada no espaço festivo e com ênfase pedagógica não formal para conscientizar os negros e também para construir novas concepções de carnaval, de tradição e de identidade negra. O lugar da festa carnavalesca tem, dessa forma , um significado social mais amplo e repensa tradições e matiza o que muitos convencionaram como o ápice das manifestações populares e negras, as escolas de samba ( ou um modelo em especial de escola de samba)
Subject: Carnaval - Campinas (SP) - 1842-1900
Carnaval - Campinas (SP) - 1982-1992
Festas populares
Usos e costumes
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1997
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Antonio_CarlindoFausto_M.pdf12.36 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.