Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/252093
Type: TESE
Title: Aprendizagem de operações: adquire-se experimentalmente?
Author: Uemura, Emiko
Advisor: Sisto, Fermino Fernandes, 1949-
Abstract: Resumo: O presente trabalho teve como objetivo investigar até que ponto crianças que aprenderam: a noção de conservação experimentalmente, transferem-na para outros materiais e conteúdos. A pesquisa foi realizada através de pré e pós-testes e processo exploratório de material para aprendizagem. Nas duas primeiras, utilizamos o mesmo material, com a finalidade de estudar a questão do conceito de conservação descontínua, enquanto que para o processo explorator10 de material para aprendizagem, utilizamos outro tipo de material, com o intuito de investigarmos a noção de conservação contínua mantendo-se a mesma estrutura operatória subjacente nas três situações. Trabalhamos com crianças institucionalizadas, por entendermos que um dos elementos de influência sobre o ritmo de aquisição das estruturas operatórias seria o fator sócio-econômico. Os sujeitos foram distribuídos aleatória e equiprovavelmente em dois grupos: controle (GC) e experimental (GE). Enquanto GE se submeteu ao processo exploratório de material para aprendizagem, GC não participou de nenhuma atividade programada. Utilizamos o método clínico proposto por Piaget, entrevistando os sujeitos individualmente. Os diálogos mantidos entre o experimentador e a criança, encontram-se registrados nos protocolos, alguns dos quais, estão descritos no trabalho. Parte dos protocolos obtidos foi considerada, nesta etapa do trabalho, como impossibilitada de interpretação,uma vez que não continham dados suficientemente detalhados para que pudessem ser encaixados dentro dos critérios classificatórios estabelecidos. Isto porque a maioria das respostas das crianças ficou restrita a um "Porque sim", levando-nos a algumas dificuldades para classifica-los. Para efeito de analise dos dados obtidos pelos sujeitos, aplicamos duas provas estatísticas: U de Mam-Whitney e a de Kruskal-Wallis, para testarmos a hipótese de homogeneidade dos grupos. Ao analisarmos o progresso das crianças no pós-teste te, observamos que os sujeitos que se submeteram ao processo exploratório de material para aprendizagem, obtiveram maior sucesso do que aqueles que não passaram por esse processo. Verificamos também que as variáveis sexo, idade e proveniência, analisadas tanto separada como conjuntamente, não provocaram diferenças estatisticamente significativas nos resultados apresentados pelos sujeitos nos dois grupos. o fato de termos utilizado, no processo exploratório de material para aprendizagem, material e conteúdo diferentes das pré e pós-testagens, diferenciou esta pesquisa da maioria dos trabalhos publicados nas duas últimas décadas, conforme apresentamos na Revisão Bibliográfica. Além de tratarmos da questão da "transferência", investigamos também o progresso dos sujeitos, problema que não se apresenta em nenhum desses trabalhos

Abstract: Not informed.
Subject: Ensino
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1983
Appears in Collections:FE - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Uemura_Emiko_M.pdf21.36 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.