Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/251409
Type: TESE
Title: Culturas infantis = crianças brincando na rua e em uma pré-escola na cidade da Praia (Cabo Verde)
Title Alternative: Peer culture in the early years : children playing on the street and at a preschool in Praia city (Cabo Verde)
Author: Santos, Dijanira Noemy Vieira Lopes dos
Advisor: Faria, Ana Lúcia Goulart de, 1951-
Abstract: Resumo: Este estudo etnográfico teve como propósito a observação e reflexão sobre as brincadeiras de crianças nas ruas, como também as realizadas no cotidiano de um jardim infantil na cidade da Praia, capital de Cabo Verde - África. A pertinência deste estudo se insere no coletivo de produções acadêmicas com criticas ao colonialismo, que vem sendo empreendidas no Brasil e em nível internacional sobre infâncias e crianças, pequenas e grandes, fundamentadas nos referenciais teóricos da Sociologia da Infância na busca incessante de notar as crianças como sujeitos de direito, produtoras de cultura, e protagonistas da construção social, histórica e cultural. A pesquisa envolveu crianças de diversas idades, com enfoque para as de zero a seis anos. Dentre os procedimentos metodológicos adotados para análises constam: documentos escritos, entre eles, poemas e textos literários, no intuito de compreender a infância caboverdiana a partir das múltiplas representações sociais; entrevistas (história oral) com homens e mulheres caboverdianos sobre suas infâncias; observações nos espaços da rua e de um jardim de infância, para devidas anotações no caderno de campo; e imagens fotográficas e filmagens. Ao longo da investigação foi possível observar que a rua constitui-se também como espaço de educação, onde crianças de idades diferentes interagem reproduzindo, inventando, imitando e produzindo as culturas infantis. Essas ações se entrecruzam com o pertencimento de origem - língua materna (crioulo caboverdiano), música, gastronomia, dança, contexto geográfico, e outros artefatos ressignificados num encontro entre o novo e o legado deixado por gerações anteriores. Com isso verifica-se que culturas infantis denotam uma hibridação nas diversas formas em que meninos e meninas apropriam-se de repertórios de brinquedos e brincadeiras, universalmente conhecidos. A rua torna-se, então, um dos lugares privilegiado de socialização de crianças pequenas em Cabo Verde, estejam elas participando ou não, de jogos e de brincadeiras na interação com os pares, crianças maiores e adultos, e também, sozinhas. A presença de crianças com menos de seis anos, bebês, confirmou a hipótese inicial de que elas estariam na rua, ainda que no colo de alguém. O espaço da rua, de acordo com a pesquisa, se evidencia como espaço da resistência para os pequenos que por vezes, em jogos e brincadeiras são preteridos pelas crianças maiores em virtude da idade, tamanho ou destreza física, mas que nem por isso deixam de usufruir desse espaço. Com relação ao jardim de infância, a pesquisa revelou que, com crianças dos quatro aos cinco anos, a cultura se manifesta na construção de ações com significados partilhados, mesmo sob o controle dos adultos, demonstrando a coexistência de relações de poder, conflitos, solidariedade entre os pares nas suas reproduções e criações. Em suma, é possível, a partir deste estudo na África, afirmar concordando com pesquisas realizadas em outros continentes, que é na produção das culturas infantis que as crianças entre elas, e com os adultos e adultas formulam e mostram sua interpretação da sociedade que as cercam.

Abstract: The purpose of this ethnographic study is to observe and reflect on the games that are played by children in the streets, as well as those played in a kindergarten in Praia, capital city of Cape Verde, Africa. The pertinence of this study is based on the group of academic productions that criticize the colonialism that has been carried out in Brazil, and around the world, related to childhood and children, young or older, based on theoretical references of Sociology of Childhood in the continuous search to identify the children as right-holders, who produce culture and who play a leading role in social, historical, and cultural construction. This survey has included children of different ages, especially those between zero and six years old. The methodological procedures adopted for the analysis are: written documents such as poems and literary texts, in order to understand Cape Verdean childhood from the several social representations; interviews (oral history) with Cape Verdean women and men about their childhood; observations in the street and in a kindergarten, written down in the notebook; and pictures and films. Throughout the survey, it was possible to observe that the streets are also an educational place where children of different ages can interact, reproduce, create, imitate, and produce childhood cultures. These actions cross mutually with original belonging - mother tongue (cape Verdean creole), music, gastronomy, dance, geographical context, and other re-significant artefacts where new things meets the legacy of past generations. Therefore, it is possible to verify that childhood cultures denote an interbreeding in the different ways that girls and boys catch hold of the universally known repertories of toys and plays. The street becomes a privileged place for young children socialization in Cape Verde, even participating or not, a place of games and plays, a place to interact with the partners, older children and adults, and also alone. The presence of children under six (babies) has confirmed the initial hypothesis: that they would be in the streets, even carried by someone else. According to the survey, the street is a place of resistance for those small ones that sometimes are excluded by older children due to their age, height, or physical skill. However this does not stop them from enjoying this space. With regard to kindergarten, the survey has proved that, in relation to children between four and five years old, the culture is revealed in the construction of actions with shared meanings, even when controlled by adults, revealing the coexistence of relations of power, conflicts, and solidarity between the partners in their reproduction and creation. To sum up, from this study in Africa, it is possible to confirm and agree with the surveys carried out in other continents that it is in the production of childhood cultures that the kids, and with the adults, create and show their interpretation of the society that surround them.
Ruzumu: Kel studu itinografiku li, djobi ozerba y rafleti brinkaderas di mininus na rúa y n'un járdin di mininus na sidadi di Práia, kapital di Kabu Verdi - Afrika. Kel studu e'nportánti, djuntu k'otus ki ta kritika kolonialismu, ki stá fazedu na Brazil y otus kabu sobri nfansia y mininus, pikinóti ku grándi, finkadu na Susiologia di Nfansia, ta buska mostra mininus sima algén di diretu ki ta fazi kultura y ta partisipa na kunstruson susial, di stória y di kultura. N'es piskiza staba mininus di txeu idadi, ku distaki na kês más pikinóti. Pa kelá uzadu algun prusidimentu métudolojiku: puema y téxtu ku obijetivu di ntendi nfansia kauberdianu dentu di si riprizentason; ntrivista (stória oral) d'ómis y mudjeris sóbri sis mininésa; ozerbason na rúa y n'un járdin di mininus, pa pódi rajista na kadernu di kampu; y fotu ku filmaji. Kel nvistigason li mostra ma rúa e' un kabu d'idukason, pundi mininus di kalker idadi ta rapruduzi, inventa, imita y fazi sis kultura. Pa fazi tudu es kuza, es ka ta poi di ladu sis lingua (kriolu kauberdianu), múzika, kumida, dansa, lugar y obijetu ki es ta da otu siginifikadu. Ku kelí t'odjadu ma kultura ki mininus ta fazi ten mustura di brinkadera y brinkedu konxedu n'otus kabu. Rúa e' di kês kabu ki mininus pikinóti na Kabu Verdi ta prendi, s'es partisipa o nau na djogu ku brinkadera ku kolegas, minis grándi y algen grándi, y es sô. Ipotizi ma ta atxada mininus pikinóti, ki ten menus di sais ánu, na rua ta krinka kaba pa konfirma. Rúa, podi flá, ma e' un kabu di razistensia pa mininus pikinóti, ki mésmu kês ka dexa-s brinka pamodi sis idadi, tamanhu o forsa, es ta kontinua na rúa. Na járdin di nfansia piskiza ta mostra ma mininus di kuátu ku sinku ánu ta fazi kultura ku siginifikadu ki es ta dividi entri es, mésmu ki algen grándi stá ta kontrola-s, es ta mostra ma na kuza k'es ta fazi ta atxadu rilason di puder, di prublemas y di djunta-mon. Purtántu, ta partidu di kel studu li ki fazedu na Afrika, ki ta kondorda ku kes otus ki fazedu na otus kontinenti pa flá ma oras ki mininus ta brinka, fazi sis kultura es ku es, y ku algen grándi es ta mostra sis manera d'odja susiedadi ki es ta vivi.
Subject: Brincadeiras
Jardim de infancia
Infância
Lingua crioulo - Cabo Verde
Africa - Línguas
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santos_DijaniraNoemyVieiraLopesdos_M.pdf1.71 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.