Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/251365
Type: TESE
Title: As políticas de educação de jovens e adultos no Brasil e suas formas institucionais e históricas no município de Paulínia-SP = as contradições e potencialidades do conceito de trabalho como princípio educativo emancipatório
Title Alternative: Education policies for youth and adults in Brazil and its forms in institutional and historic town of Paulinia-SP : the contradictions and potentialities of the concept of work as an educational principle emancipatory
Author: Mialchi, Nadeje Martins da Rocha
Advisor: Nunes, Cesar Apareciddo, 1959-
Nunes, Cesar Aparecido, 1959-
Abstract: Resumo: A formação do trabalhador nas últimas décadas tem sido alvo de discussões e polêmicas, entre a sociedade civil e política, envolvendo a categoria trabalho. Isto porque neste período a crise estrutural do capital exigiu do campo produtivo um processo de reestruturação, que foi acrescido pelos avanços tecnológicos da automação e da informação. Suas conseqüências no campo social e educacional foram solicitações, cada vez maiores, ao desenvolvimento de capacidades intelectuais e multifuncionais promulgando um novo trabalhador ao mesmo tempo em que criou o desemprego estrutural, a intensificação e a precarização dos postos de trabalho restantes. Neste contexto encontram-se os alunos da EJA e esta, como política educacional denuncia que os desdobramentos da ação do Estado têm se dado por meio de políticas compensatórias. Historicamente sabemos que estas não garantem aos alunos a reinserção ao mundo do trabalho como produtores autônomos, tampouco o exercício de uma cidadania crítica e participativa, afirmam somente o compromisso com o capital, deixando assim, a mercê da manutenção de sua lógica os trabalhadores como dependentes da pobreza e da exclusão. A afirmação destas políticas tem ainda, como escopo ideológico, apontado para saídas conjunturais, que não comprometem a manutenção da expansão e do acúmulo da riqueza por poucos. O poder público, empresarial e alguns segmentos da sociedade civil se unem e desenvolvem teses que, no contexto da educação como mercadoria, torna a educação escolar um produto unilateral ao sucesso da qualificação técnica profissional. É na congruência destes fenômenos que surge como concepção pedagógica à EJA o termo empregabilidade. Esta pesquisa, como integrante deste contexto, objetiva em sua investigação as imbricações históricas e os desdobramentos atuais da política educacional para a EJA. Como hipótese credita a incapacidade da mesma em equacionar, como se propõe, as condições de homens e mulheres alunos da EJA, via educação escolar, impugnando à mesma o termo empregabilidade. Como contraponto defende como tese, que o papel social da EJA, como uma das instituições de atuação na formação do trabalhador, se encontra como processo transitório entre o fim da EJA, como política compensatória de um tempo perdido, e a constituição da Escola do Trabalho. Esta é o permanente exercício da conquista e desenvolvimento do domínio intelectual, manual, estético, ético, político, social e, sobretudo econômico do mundo produtivo pelos trabalhadores que se formam como produtores livremente associados, pela articulação entre a formação no trabalho e a educação escolar. Ambos como campos de conhecimento que ao interagir no âmbito da prática, creditam uma educação para a emancipação.

Abstract: The worker education in the last decades has been grounds for discussion and controversies among civil and politics society, involving the work category. This happens because in this period, the structural crisis in the capital required a reestructuration process in the productive field, which was followed by the technological advances of automation and information. Its consequences, in the educational and social field were requests that were bigger and bigger, to the development of intellectual and multifunctional skills, creating a new worker, at the same time that created the structural unemployment, the intensification and the deterioration of the job posts that remained. In this context, there are the EJA students and EJA, as its educational politics, denounces that the developments of the state actions have been happening through compensatory policies. Historically we know that these do not assure to the students neither the reinsertion in the work world as autonomous producers, nor the exercise of a critical and participative citizenship, but assure only the commitment with the capital, leaving, to the will of the maintenance of the logical of the workers as dependent on the exclusion of poverty. The establishment of these politics have also the ideological scope, pointed to conjunctural exits, that do not compromise the maintenance of the expansion and of the accrual of the wealth by only a few. The public power, businessmen and some segments of civil society get together and develop thesis that, in the context of education as a kind of good, make the school education a unilateral product to the success of professional technical qualification. It is in the congruency of these phenomena that the term employability arose as pedagogical conception to EJA. This survey, as part of this context, has as its investigation purpose, the historical implications and the current developments of the educational politics to EJA. As hypothesis, supposes that the inability of EJA to equate, as proposed, the conditions of women and men students of EJA, through school education, questioning the employability term usage by EJA. As a counterpoint, it defends, as a thesis, that the social role of EJA, as one of the institutions that act in the worker education, is found as a transitory process between the EJA end, as compensatory policy of a lost time, and the Work School constitution. This is the permanent exercise of the acquisition and development of the intellectual, manual, aesthetic, ethics, politics, social and, above all, economics domain in the productive world of the workers that are graduated as producers freely associated, by the articulation between the formation in the work and the school education. Both as fields of knowledge which, when interacting in the scope of the practice, believe in an education for emancipation.
Subject: Educação de jovens e adultos
Trabalhadores - Formação profissional
Políticas públicas
Empregabilidade
Emancipação
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FE - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Mialchi_NadejeMartinsdaRocha_D.pdf1.79 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.