Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/251195
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: O discurso moderno sobre educação, diversidade e tolerância = os documentos da UNESCO e a crítica de Marcuse
Title Alternative: The modern discourse on tolerance, diversity and education : UNESCO documents and criticism of Marcuse
Author: Silva, Lenildes Ribeiro da
Advisor: Goergen, Pedro Laudinor, 1944-
Abstract: Resumo: Este trabalho objetiva analisar criticamente os conceitos de diversidade e tolerância, presentes nas propostas de políticas de educação no mundo, publicadas a partir de 1990. Busca-se pensar esses conceitos relacionados à estrutura da sociedade capitalista em processo de mundialização e globalização, focando, mediante análise teórico/histórica, seu sentido e relevância na contemporaneidade. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e de análise documental que, além da retomada histórica e filosófica dos conceitos, se propõe fazer uma análise de sua incidência nos relatórios e nos documentos mundiais sobre educação, publicados pela UNESCO. O texto se divide em três partes: na primeira, busca-se perfazer uma retomada histórica da defesa da tolerância no nascimento da modernidade, trazendo autores como Las casas, Locke, Voltaire e Stuart Mill. Esta retomada visa compreender os fundamentos filosóficos políticos e sociais que marcaram a defesa liberal da tolerância, identificando aproximações e distanciamentos desta defesa com o ressurgimento da necessidade do conceito de tolerância nos séculos XX e XXI; a segunda parte traz as reflexões críticas de Marcuse, relacionando os conceitos de diversidade e tolerância com as promessas de liberdade, autonomia, entre outras, na sociedade sem oposição. Marcuse interroga a tolerância de um ponto de vista crítico, ressaltando seu aspecto ideológico, afinado com uma sociedade opressora. O autor considera os limites, ambigüidades e contradições internas do conceito e relacionadas à sociedade em que se constitui, chegando a denunciar a tolerância pura como falsa e regressiva, porquanto não atenta para o intolerável para o progresso humano; sob o referencial de Marcuse, a terceira parte vem com a análise dos documentos que tratam da diversidade e tolerância a partir do contexto do pós-guerra. Mais especificamente, são abordados o relatório Educação: Um tesouro a descobrir, a Declaração sobre os princípios da tolerância e a Declaração sobre a diversidade cultural e ainda as discussões levantadas na Conferência sobre a tolerância na América Latina e no Caribe e a Conferência de Educação para a Tolerância em Lisboa. A partir dessa análise, o trabalho tematiza o esmaecimento do debate sobre a tolerância nos documentos da UNESCO e nas discussões a respeito da educação no mundo que sucedeu à efervescência da temática na década de 1990. Chega-se à conclusão de que, na tentativa de não ignorar as críticas realizadas e, ao mesmo tempo, sem abandonar a idéia de tolerância enquanto conceito matricial da UNESCO, preserva-se o conceito na forma de uma discussão menos enfática. Ameniza-se o debate a respeito da tolerância paulatina pela inserção de questões menos conflituosas como o respeito à diversidade, à proteção do patrimônio e à questão dos direitos humanos. Entende-se que a tolerância é um conceito ambíguo e contraditório, entretanto, não superado, permanecendo nos debates acadêmicos, nos documentos mundiais, nas práticas educativas e no senso comum, o que torna, todavia, necessária sua constante interrogação e crítica, desviandose de um sentido consensual e ideológico para um sentido crítico e progressivo.

Abstract: This paper aims to critically examine the concepts of diversity and tolerance, present in the proposed education policies in the world, published since 1990 and that influence educational policies. The aim is to think about these concepts related to the structure of capitalist society in the process of globalization, focusing upon theoretical/historical analysis their meaning and relevance in contemporary times. This is a bibliographic search and document analysis that, besides the resumption of the historical and philosophical concepts, proposes to make an analysis of its impact on global reports and documents on education published by UNESCO. The text is divided into three parts: the first, we try to make up a resume of the historical defense of tolerance in the birth of modernity, bringing authors such as Las Casas, Locke, Voltaire and Mill. This return is to understand the philosophical underpinnings of political and social changes that marked the liberal defense of tolerance, identifying similarities and differences of this defense with the resurgence of the concept of the need for tolerance in XX and XXI centuries; the second part presents the critical reflections of Marcuse, relating the concepts of diversity and tolerance with the promises of freedom, autonomy, among others, into society without opposition. Marcuse questioned the tolerance of a critical point of view, stressing its ideological aspect, in tune with an oppressive society. The author considers the limitations, ambiguities and internal contradictions of the concept and related to the society in which it is, coming to denounce as false and regressive the pure tolerance, because no attention to the intolerable to human progress; under the reference of Marcuse, the the third part comes with the analysis of documents dealing with diversity and tolerance from the post-war. More specifically are discussed the report Education: A Treasure Within, the Declaration on the principles of tolerance and the Declaration on cultural diversity and also the discussions raised at the Conference on tolerance in Latin America and the Caribbean and the Conference on Education for Tolerance in Lisbon. From this analysis, the paper deals fading debate over tolerance in UNESCO documents and discussions about education in the world that succeeded the effervescence of this issue in the 1990. We come to the conclusion that, in order not to ignore the criticisms made, at the same time, without abandoning the idea of tolerance as a concept matrix of UNESCO, preserves the concept in the form of a discussion less emphatic. Softens up the debate about tolerance by gradual insertion of fewer conflicting issues such as respect for diversity, protection of assets and the issue of human rights. It is understood that tolerance is an ambiguous and contradictory concept, however, not overcome, remaining in academic debate, documents in the world, educational practices and common sense, which makes, however, required his constant questioning and criticism, diverting is a consensual and ideological sense for a critical sense and progressive.
Subject: Marcuse, Herbert, 1898-1979
Unesco
Educação
Diversidade
Tolerância
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: SILVA, Lenildes Ribeiro da. O discurso moderno sobre educação, diversidade e tolerância = os documentos da UNESCO e a crítica de Marcuse. 2011. 174 p. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/251195>. Acesso em: 18 ago. 2018.
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_LenildesRibeiroda_D.pdf1.69 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.