Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/250827
Type: TESE
Title: Da efervescência cultural ao obscurantismo ditatorial : a história da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Preto sob o olhar da intervenção de 1964
Title Alternative: From the cultural effervescence to the obscurantism dictatorial regime : the history of the Faculty of Philosophy, Sciences and Letters of the São José do Rio Preto under view of the intervention in 1964
Author: Florido, Caroline Maria, 1977-
Advisor: Sanfelice, José Luís, 1949-
Abstract: Resumo: A dissertação apresentada resultou de uma pesquisa que buscou analisar a história da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Preto sob o olhar da intervenção da ditadura civil-militar em 1964. O estudo insere-se na linha de pesquisa de História das Instituições Escolares, dentro do Grupo de Pesquisa "História, Sociedade e Educação no Brasil - HISTEDBR", do Programa de Pós-Graduação da FE/UNICAMP. A fonte primária de consulta e análise foi o Inquérito Policial Militar (IPM) aberto para averiguar atividades subversivas na Faculdade. Buscou-se interpretar porque a existência da faculdade foi considerada ameaçadora para os projetos das classes dominantes. A Faculdade de Filosofia, conhecida como FAFI, nasceu como proposta de "universidade" municipal em 1955 e iniciou suas atividades em 1957. Após inúmeras dificuldades de funcionamento foi estadualizada em 1959, sendo essa história contada por outros pesquisadores, que destacaram sua singularidade institucional. Durante o início dos anos 1960 era organizada em departamentos, com a participação dos estudantes nos órgãos colegiados e teve profícuo envolvimento de estudantes e professores com os movimentos sociais do período. Dentre esses movimentos destacam-se a Campanha em Defesa da Escola Pública, a defesa da Reforma Universitária e o Movimento de Cultura Popular, pela atuação local do Movimento Popular de Cultura (MPC) e do Grupo Universitário de Trabalho Artístico (GRUTA). No auge das práticas de difusão cultural e alfabetização, a ditadura interveio no projeto da instituição no dia 1º de abril de 1964 e professores e estudantes foram presos e processados, encerrando o ciclo de efervescência cultural. A atuação da FFCL de São José do Rio Preto na sociedade local foi restringida e esta se transformou, de fato, em um instituto isolado, carregando consigo ao longo dos anos a fama de "centro comunizador do interior paulista". Do IPM aberto na intervenção da faculdade foram extraídos relatos, documentos e testemunhos que montam um quebra-cabeça sobre a criação da instituição e de que forma ela se articulava com os debates político-pedagógicos e as propostas de reformas em âmbito estadual e nacional. Ao final, dentre algumas conclusões, acredita-se que a tentativa de questionamento da realidade pela concretização de uma "práxis educativa" sendo combatida pelos grupos locais que, oportunamente, com sua aproximação das alas conservadoras da polícia e exército, decidiram colocar um fim no projeto da instituição, teria sido o principal motivo para a intervenção.

Abstract: This dissertation resulted from a survey that found analyses the history of the Faculty of Philosophy, Sciences and Letters of São José do Rio Preto (SP) under the view of the intervention of the civil-military dictatorship in 1964. The study builds on research of the History of School Institutions, within the research group "History, Society and Education in Brazil - HISTEDBR", postgraduate program of FE/UNICAMP. The primary source of query and analysis was the Military Police Investigation (IPM) open to investigate subversive activities in college. Looking for interpret the motive the existence of the college was considered threatening to the projects of the dominants classes. The Faculty of Philosophy, known as FAFI, was born as a proposal of "university municipal" in 1955 and began operations in 1957. After numerous operating difficulties was stating in 1959, being this story told by other researchers, who highlighted its uniqueness. During the early 1960 was organized into departments, with the participation of students in collegiate organisms and had fruitful involvement of students and teachers with the social movements of the period. Among these movements include the campaign in defense of the public school, the defense of University Reform and Movement of Popular Culture, by local action of Culture Popular Movement (MPC) and University Group of Artwork (GRUTA). At the height of the cultural diffusion and literacy practices, the dictatorship intervened in the institution's project on April 1 of 1964, when teachers and students were arrested and prosecuted, ending the cycle of cultural effervescence. The performance of FFCL of São José do Rio Preto in local society has been restricted and this became, in fact, a isolated institute, carrying you over the years the reputation of "comunizator center of São Paulo". IPM open when College intervention were extracted reports, documents and testimonies that assemble a puzzle about the creation of the institution and how she connected with the politicalpedagogical debates and proposals for statewide and national reforms. At the end, some conclusions, it is believed that the attempt of questioning of reality by achieving a "educative praxis" being fought by local groups that, in due course, with its conservative wing approach of the police and army, decided to put an end to the institution's project, it would have been the main reason for the intervention
Subject: Faculdade de Filosofia, Ciencias e Letras de São Jose do Rio Preto
Inquérito policial
Ditadura
Movimentos sociais
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:FE - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Florido_CarolineMaria_M.pdf19.37 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.