Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/250474
Type: TESE
Title: Degradação de cabelo causada por tensoativos : quantificação por meio da análise das soluções de lavagem por espectrofotometria UV¿Vis
Title Alternative: Hair damage caused by surfactants: quantitative determination by UV¿Vis spectra of washing solutions
Author: Pires-Oliveira, Rafael, 1985-
Abstract: Resumo: Sabe-se que tensoativos (surfactantes) de xampus causam degradação da fibra capilar. Entretanto, não há na literatura estudos para quantificar os danos decorrentes do uso de tensoativos comerciais, que são impuros. Este trabalho avalia e compara a degradação de cabelo induzida pela ação de 16 tensoativos comerciais. Cabelo-padrão Caucasiano castanho escuro foi imerso em soluções aquosas de 16 tensoativos comerciais, de dodecil sulfato de sódio (SDS) e de água destilada, em condições que imitam às do banho (38 °C, agitação constante). Obtiveram-se os espectros UV¿Vis das soluções de lavagem. O método de Lowry foi utilizado para estimar a quantidade de proteínas extraída por SDS e por água destilada. As soluções de cabelo em todos os tensoativos e em água tornam-se coloridas após tempo prolongado (dias) de contato com os cabelos. A intensidade da cor varia de acordo com o caráter iônico do tensoativo e, somente no caso dos tensoativos, aumenta com o tempo de contato. Os espectros UV¿Vis obtidos mostram que o grau de degradação da fibra capilar varia de acordo com o índice HLB (detergência) dos tensoativos. Aniônicos extraem em maior quantidade (ou mais rapidamente) as substâncias do cabelo, anfotéricos degradam menos e não-iônicos degradam na mesma intensidade que a água. A degradação se dá pela extração proteínas, fragmentos de cutículas e grânulos de melanina, sem que haja alteração de cor do cabelo. Os espectros UV¿Vis das soluções de lavagem apresentam bandas em 275 nm (proteínas) e de 525 a 625 nm (melaninas). Estas bandas correlacionam-se com a estimativa de proteína pelo método de Lowry. A partir desta correlação, a degradação de cabelos devido ao uso de tensoativos pode ser quantificada e comparada pelos espectros UV¿Vis das soluções de lavagem com os tensoativos comerciais

Abstract: It is well known that shampoo's surfactant causes degradation of human hair. However, studies that quantify hair damage caused by commercial surfactants are lacking in scientific literature. This work investigates and compares hair damage induced by 16 commercial surfactants. Standard virgin dark-brown Caucasian hair was immersed in aqueous solutions of 16 commercial surfactants, sodium dodecyl sulfate (SDS), and distilled water under conditions that imitate bath (38 °C, constant shaking). UV¿Vis spectra were recorded of the washing solutions. Lowry method estimated the amount of protein extracted by SDS and distilled water. All surfactants solutions and water become colored after prolonged (days) contact with the hair. The color intensity varies with ionic character of the surfactant and, only in the case of surfactants, increases with contact time. UV¿Vis spectra show that the degree of hair damage varies according to the HLB index (detergency) of the surfactants. Anionics extract a greater amount (or faster) of hair substances, amphoterics extract fewer, and non-ionics degrade at the same intensity as water. The degradation is caused by the extraction of proteins, fragments of cuticle and melanin granules, without change hair color. UV¿Vis spectra of washing solutions show bands at 275 nm (proteins) and 525¿625 nm (melanins). These bands correlate with protein evaluation by the Lowry method. From this correlation, hair damage due to surfactants can be quantified and compared through UV¿Vis spectra of washing solutions of commercial surfactants
Subject: Xampu
Proteínas
Espectrofotometria
Cosméticos
Detergente
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:IQ - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Pires-Oliveira_Rafael_M.pdf1.8 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.