Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/21506
Type: Artigo de periódico
Title: Formas deficitária e não deficitária da esquizofrenia não diferem quanto à sazonalidade de nascimentos nas regiões Sul e Sudeste do Brasil
Title Alternative: Deficit and non-deficit schizophrenia do not differ regarding season of birth in Brazilian Southern and Southeast regions
Author: Lopes, Victor M. V.
Banzato, Cláudio E. M.
Dantas, Clarissa R.
Abstract: Objectives: There is a 5%-10% excess of births in winter and spring among the patients with schizophrenia born in the northern hemisphere. However, in patients with the deficit syndrome of schizophrenia, there is a slight over-representation of births in summer. In this study, we aimed at verifying whether the same patterns are found in patients with schizophrenia born in the Brazilian South and Southeast regions. Methods: Seventy-six patients with schizophrenia were assessed for demographics and psychopathology and also categorized for the presence of deficit syndrome. Patients with deficit and non-deficit schizophrenia were compared for the season of birth. In addition, we compared psychopathological variables between patients born in all four seasons. Results: There was no significant difference in the distribution of births according to the seasons. Although two thirds of the patients with deficit syndrome were born in the summer and autumn, this over-representation did not reach statistical significance. We found no differences regarding psychopathology between patients born in all four seasons. Conclusion: In the South and Southeast regions of Brazil, there was no significant excess of births in the summer between schizophrenic patients with deficit syndrome, neither was an excess of births in winter and spring in the overall sample of patients with schizophrenia.
Objetivos: Entre os pacientes com esquizofrenia originários do hemisfério norte, observa-se um excesso de 5%-10% de nascimentos no inverno e na primavera. Entretanto, entre os pacientes com a forma deficitária da doença, há uma pequena sobrerrepresentação de nascimentos no verão. Neste estudo, buscou-se verificar se tais associações se repetem entre os pacientes com esquizofrenia nascidos nas regiões Sudeste e Sul do Brasil. Métodos: Setenta e seis pacientes com esquizofrenia foram avaliados quanto a características sociodemográficas e psicopatológicas e categorizados quanto à presença da síndrome deficitária. Pacientes com e sem síndrome deficitária foram comparados quanto à estação de nascimento. Adicionalmente, compararam-se características psicopatológicas entre pacientes nascidos nas quatro estações do ano. Resultados: A distribuição de nascimentos de acordo com as estações não apresentou diferenças significativas. Entre pacientes com síndrome deficitária, dois terços nasceram no verão e outono, mas essa diferença não alcançou significância estatística. Não foram encontradas diferenças psicopatológicas relacionadas à estação do ano de nascimento. Conclusão: Nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, não foi observado o excesso de nascimentos no verão entre pacientes ESquizofrênicos com síndrome deficitária, bem como não foi constatado excesso de nascimentos no inverno e primavera no grupo geral de pacientes com esquizofrenia.
Subject: Esquizofrenia
estações do ano
psicopatologia
epidemiologia
Schizophrenia
seasons
psychopathology
epidemiology
Editor: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0047-20852011000400016
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0047-20852011000400016
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852011000400016
Date Issue: 1-Jan-2011
Appears in Collections:Artigos e Materiais de Revistas Científicas - Unicamp

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0047-20852011000400016.pdf99.31 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.