Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/16044
Type: Artigo de periódico
Title: Avaliação cefalométrica da posição do osso hióide em crianças respiradoras bucais
Title Alternative: Cephalometric assessment of the hyoid bone position in oral breathing children
Author: Ferraz, Maria Julia Pereira Coelho
Nouer, Darcy Flávio
Teixeira, José Ricardo
Bérzin, Fausto
Abstract: MATERIAL AND METHODS: because of its anatomical and functional relationship with the craniofacial complex, we assessed the cephalometry of the hyoid bone position in relation to the respiratory pattern of these 53 female children, with average age of 10 years; 28 of them are nasal breathers and 25 are oral breathers. Horizontal, vertical and angular cephalometric measures were used in order to determine the hyoid bone location. The Student t and the Pearson correlation tests were used in order to compare the groups and the variables. RESULTS: We did not see statistically significant differences in mandible and hyoid bone positions and the respiratory pattern. In the hyoid triangle, the 0.40 correlation coeficient was significant between AA-ENP (distance between the Atlas vertebrae and the posterior nasal spine) and C3-H (distance between the third cervical vertebrae and the hyoid bone) showing a positive relation between the bony limits of the upper and lower air spaces. For cranial measures we have suggested a relationship between the hyoid bone position and the mandible morphology. CONCLUSION: The results led us o conclude that the hyoid bone keeps a stable position, probably in order to secure correct ratios in the airways, and it does not depend on the respiratory pattern.
MATERIAL E MÉTODOS: em função das relações anatomofuncionais do osso hióide com o complexo craniofacial, realizou-se avaliação cefalométrica da posição do osso hióide em relação ao padrão respiratório. A amostra consistiu de 53 crianças, gênero feminino, com idades médias de 10 anos, sendo 28 respiradoras nasais e 25, bucais. As medidas cefalométricas horizontais, verticais e angulares foram utilizadas com a finalidade de determinar a posição do osso hióide. Estabeleceu-se uma comparação entre os grupos por meio do teste t de student, bem como correlação de Pearson entre as variáveis. RESULTADOS: Observou-se que não ocorreram diferenças estatísticas significativas para a posição mandibular e posição do osso hióide e o tipo do padrão respiratório. No Triângulo Hióideo, o coeficiente de correlação de 0,40 foi significativo entre AA-ENP (distância entre vértebra atlas e espinha nasal posterior) e C3-H (distância entre a terceira vértebra cervical e osso hióide) demonstrando uma relação positiva entre os limites ósseos do espaço aéreo superior e inferior. Para as medidas cranianas sugeriu-se uma relação entre a posição do osso hióide com a morfologia mandibular. CONCLUSÃO: Os resultados permitiram concluir que o osso hióide mantém uma posição estável, provavelmente, para garantir as proporções corretas das vias aéreas e não depende do padrão respiratório predominante.
Subject: cefalometria
osso hióide
respiração bucal
cephalometry
hyoid bone
oral breathing
Editor: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0034-72992007000100008
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72992007000100008
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-72992007000100008
Date Issue: 1-Feb-2007
Appears in Collections:Artigos e Materiais de Revistas Científicas - Unicamp

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0034-72992007000100008.pdf1.27 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.