Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/12510
Type: Artigo de periódico
Title: Epilepsy perception amongst university students: a survey
Title Alternative: Percepção de epilepsia em estudantes universitários: uma enquete
Author: Caixeta, Juliana
Fernandes, Paula T.
Bell, Gail S.
Sander, Josemir W.
Li, Li M.
Abstract: PURPOSE: To evaluate the information that university students have on epilepsy and to compare the differences in attitudes and perception among groups with different levels of information. METHODS: A questionnaire with 13 questions regarding knowledge, attitudes and perception about epilepsy was completed by first, third and sixth year medical students and to students from Arts and Science courses. RESULTS: First year medical students gave inadequate answers, especially with regard to information about epilepsy and actions to take during seizures. Answers of third and sixth year medical students were more adequate. Arts and Science students gave the poorest responses in relation to specialist information and attitudes regarding epilepsy. DISCUSSION: This study suggests that there is an inverse relationship between knowledge and stigma on epilepsy. Nevertheless, the best results did not reflect an ideal situation, revealing an urgent need for an improved level of overall health education programs. This can be achieved by implementing educational policies, training programs and the universal inclusion of these subjects in the global educational program.
OBJETIVO: Avaliar os conhecimentos de estudantes universitários sobre epilepsia e verificar se há diferenças entre atitudes e percepção em grupos que são submetidos a diferentes graus de informação. MÉTODO: Foram aplicados questionários contendo 13 questões sobre conhecimentos, percepção e atitudes em epilepsia em alunos da Unicamp, divididos em: primeiro, terceiro e sexto anos de medicina, e alunos de cursos da área de exatas e humanas. RESULTADOS: os alunos do primeiro ano de medicina apresentaram muitas respostas inadequadas, principalmente às relacionadas ao conhecimento sobre epilepsia e atitudes durante a crise. Os alunos do terceiro e do sexto ano apresentaram respostas mais adequadas para percepção e atitudes. Os alunos de ciências exatas e humanas apresentaram os piores níveis de resposta para os aspectos de conhecimento técnico e atitudes. DISCUSSÃO: O estudo mostrou que existe uma relação inversa entre conhecimento e estigma. Entretanto, a melhora destes índices não reflete uma condição ideal, existindo a necessidade imediata de melhorar o nível de educação sobre saúde em geral, o que pode ser feito mediante a implantação de políticas educacionais, programas de capacitação e até mesmo da inclusão destes assuntos transversalmente em toda a trajetória de ensino.
Subject: estigma
epilepsia
preconceito
stigma
epilepsy
prejudice
Editor: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0004-282X2007001000007
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2007001000007
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-282X2007001000007
Date Issue: 1-Jun-2007
Appears in Collections:Unicamp - Artigos e Outros Documentos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0004-282X2007001000007.pdf82.17 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.