Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/335795
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Anatomia ecológica do limbo foliar e de coléteres de espécies da tribo Coussareeae Benth & Hook. F. (Rubiaceae)
Title Alternative: Ecological anatomy of leaf blades and colleters from species of tribe Coussareeae Benth & Hook. F. (Rubiaceae)
Author: Gonçalves, Rhaniel Nicholas Lisowski, 1994-
Advisor: Calió, Maria Fernanda Aguiar, 1980-
Abstract: Resumo: As condições ambientais de um determinado domínio fitogeográfico influenciam fortemente a estrutura de organismos sésseis, como as plantas, e variações nestas condições podem desencadear diferentes respostas nos organismos. Assim, diferentes órgãos podem apresentar variações estruturais de acordo com as condições em que a planta se encontra. A tribo Coussareeae (Rubiaceae) encontra-se distribuída em uma ampla variedade de domínios fitogeográficos e, como consequência, espera-se encontrar variações nas características morfoanatômicas de suas espécies, que representam respostas as diferentes pressões ambientais a que são expostas. Para compreender quais são essas respostas, foram avaliados os seguintes aspectos: se os atributos qualitativos e quantitativos das folhas apresentam diferenças entre diferentes ambientes; como as espécies se comportam em análises de agrupamento e se os tipos de coléteres variam em relação às condições ambientais. As amostras foram analisadas utilizando métodos usuais em anatomia vegetal, incluindo microscopia de luz e microscopia eletrônica de varredura. Dados qualitativos das características morfoanatômicas foram comparadas e relacionadas aos ambientes. Análises estatísticas, incluindo testes de modelos mistos, diferenças entre espécies congenéricas e análises de agrupamento (Cluster e PCA) foram realizadas utilizando dados quantitativos. Os resultados das análises morfoanatômicas do limbo foliar indicam variações que podem ser interpretadas como respostas as condições ambientais onde cada amostra foi coletada, especificamente: a posição das folhas (imbricadas ou horizontais); presença de uma camada de células subepidérmicas apenas em "Hindsia ibitipocensis"; presença ou ausência de cutícula espessada e tricomas tectores; estrutura do mesofilo (tipos de mesofilo e número de camadas do parênquima clorofiliano); curvatura da margem foliar e presença de compostos fenólicos em idioblastos ou nas células do parênquima clorofiliano. O teste de modelos mistos mostrou que, levando os agrupamentos de gêneros taxonômicos em consideração, folhas de sol tendem a ser mais espessadas do que folhas de sombra, com diferença estatística significativa (P > 0.05) para o parênquima paliçádico e espessura total do mesofilo. Os resultados dendrograma de Cluster e a análise de PCA foram inconclusivos, com grupos de espécies de diferentes gêneros mas de condições ambientais semelhantes e também de espécies próximas encontradas em diferentes condições ambientais. Os coléteres foram observados principalmente na face adaxial das brácteas ou próximos ao receptáculo floral. Em todas as nossas amostras avaliadas, foram classificados como o tipo "standard", comumente encontrando na família Rubiaceae. Com base nos resultados, é possível inferir que o tipo de coléter não é uma característica relacionada com as condições ambientais em que a planta se encontra

Abstract: The environmental conditions of a particular phytogeographical domain strongly influence the structure of sessile organisms, such as plants, and variations in these conditions may trigger different responses in the organisms. Thus, different organs may show structural variations according to the conditions where the plant occurs. The tribe Coussareeae (Rubiaceae) is distributed in a broad variety of phytogeographical domains and, as a consequence, we expected to find variations in the morphoanatomical traits of its species that represent different responses to the environmental pressures to which they are exposed. To understand these possible different responses, we evaluated: whether qualitative and quantitative leaf traits show differences among different environments; how the species behave in group analysis and whether the colleter types show variation in relation to the environmental conditions. The samples were analyzed according to usual methods in plant anatomy, including light microscopy and scanning electron microscopy. Qualitative data of the morphoanatomical traits were compared between species and then compared to the environments. Statistical analysis, including Mix Models tests, using differences between congeneric species and group analysis (Cluster and PCA) were conducted based on the quantitative data. The results from the morphoanatomical analysis of the leaf blade indicate variation that may be interpreted as responses to the environmental conditions where each sample was obtained, specifically: the position of the leaves (imbricated or horizontal); the presence of one layer of subepidermical cells only in "Hindsia ibitipocensis"; presence or abscence of a thickened cuticle and non-glandular trichomes; mesophyll structure (mesophyll types and number of layers of the chlorophyll parenchyma); curvature of leaf margin and presence of phenolic compounds in idioblasts or inside the cells of the chlorophyll parenchyma. The mixed models test shows that, when considering the taxonomic genus grouping, sun leaves tend to be thicker than shade leaves, with significant statistical difference P < 0,05) for the palisade parenchyma, and for the total thickness of the mesophyll. The results of the Cluster dendrogram and the PCA analyses were inconclusive, with groups of species from different genera but from similar environmental conditions and also with closely related species found in different environmental conditions. The colleters were observed mainly in the adaxial face of the bracts or next to the floral receptacle. For all the our samples, they were classified as the standard type, commonly found within the Rubiaceae family. Based on these results, it is possible to infer that the colleter type is constant regardless the environmental conditions where the plant is collected
Subject: Anatomia vegetal
Folhas
Rubiacea
Inflorescências
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: GONÇALVES, Rhaniel Nicholas Lisowski. Anatomia ecológica do limbo foliar e de coléteres de espécies da tribo Coussareeae Benth & Hook. F. (Rubiaceae). 2018. 1 recurso online (71 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Goncalves_RhanielNicholasLisowski_M.pdf3.43 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.