Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/333180
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Título : Território de afetos : práticas femininas antirracistas nos quilombos contemporâneos do Rio de Janeiro
Otros títulos : Territory of affections : anti-racist female practices in Rio de Janeiro Contemporary quilombos
Autor : Almeida, Mariléa de, 1973-
Advisor: Rago, Luzia Margareth, 1948-
Resumen : Resumo: Visibilidade atual das mulheres quilombolas é o ponto de partida desta tese, que pergunta sobre os modos femininos de fazer política, especialmente a dimensão antirracista dessas ações. O recorte temporal parte do final de 1980, quando foi criado o direito territorial para as comunidades remanescentes de quilombo. O trabalho focaliza práticas de quilombolas do Rio de Janeiro que, ao transmitirem saberes, fortalecem os laços entre as pessoas e os territórios onde vivem. Essas ações, compreendidas como territórios de afetos, ampliam espaços de subjetivação por meio dos deslocamentos de sentimentos provocados pelos dispositivos racistas, sexistas e classistas que incidem sobre seus corpos e territórios. As análises desdobram-se em três vértices: o primeiro debruça-se sobre as abordagens teóricas que permitem ver as singularidades das ações; o segundo situa as condições históricas e as práticas femininas que favoreceram a redefinição dos territórios de comunidades negras como quilombolas; o terceiro descreve experiências que extrapolam a reivindicação territorial por meio de ações no campo da educação, da religiosidade e da formação política. O trabalho fundamenta-se teoricamente nas análises sobre corpo, afeto e política, inspiradas nas teorias feministas interseccionais e nos enfoques da Filosofia da Diferença

Abstract: The current visibility of quilombola women is the starting point of this thesis that asks about feminine ways of doing politics, especially the anti-racist dimension of their practices. The timeframe starts in the late 1980s, when the territorial rights of the descendants of quilombola communities were created. The work focuses on the practices of quilombola women from Rio de Janeiro, who, in transmitting knowledge, strengthen the bonds between people and the territories they inhabit. These actions, understood as territories of affection, expand spaces of subjectivity through the shifting feelings provoked by racist, sexist and classist dispositifs that affect their bodies and territories. The analysis unfolds in three vertices: the first focuses on the theoretical approaches that allow us to see the singularity of feminine actions; the second situates the historical conditions and feminine practices that made possible the redefinition of black community territories as quilombos; the third describes experiences in the areas of education, religion and politics that go beyond the territorial claim. The work is theoretically based on an analysis of the body, affection, and politics, inspired by intersectional feminist theories and approaches to the Philosophy of Difference
Palabras clave : Educação - Rio de Janeiro (RJ)
Quilombolas
Negros - Rio de Janeiro (RJ) - Identidade étnica
Tradição oral
Memória
Umbanda - Rio de Janeiro (RJ)
Language: Português
Editorial : [s.n.]
Citación : ALMEIDA, Mariléa de. Território de afetos: práticas femininas antirracistas nos quilombos contemporâneos do Rio de Janeiro. 2018. 1 recurso online (302 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP.
Fecha de publicación : 2018
Aparece en las colecciones: IFCH - Tese e Dissertação

Ficheros en este ítem:
Fichero Tamaño Formato  
Almeida_MarileaDe_D.pdf3.28 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Los ítems de DSpace están protegidos por copyright, con todos los derechos reservados, a menos que se indique lo contrario.