Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/325799
Type: TESE DIGITAL
Title: Limites do humor : o funcionamento discursivo da polêmica
Title Alternative: Limits of humor : the discursive functioning of the controversy
Author: Souza, Alan Lobo de, 1984-
Advisor: Possenti, Sírio, 1947-
Abstract: Resumo: Nesta tese, busco examinar o debate sobre os limites do humor a partir das manifestações dos leitores publicadas na seção "Comentários" em versões eletrônicas de quatro jornais impressos que, em meio virtual, são os mais acessados e com maior número de comentários em suas colunas. São eles: os jornais eletrônicos brasileiros, Estadão e Folha, e dois dos maiores jornais franceses, Le Monde e Le Figaro. A análise compreende dois casos polêmicos: o debate sobre as publicações do jornal satírico francês Charlie Hebdo, em que se nota uma discussão sustentada por um atravessamento dos discursos políticos e religiosos na relação entre limites e liberdade de expressão no humor; e, no Brasil, o caso Rafinha Bastos ¿ um caso menos emblemático se comparado ao caso francês ¿ alimentado pela discussão em torno dos limites (atribuído ao discurso do politicamente correto) e da liberdade de expressão. A escolha pelos comentários, em vez das colunas dedicadas aos casos, deve-se, sobretudo, à observação de que o debate sobre o humor é engendrado a partir do constante enfrentamento observado nos comentários em meio eletrônico. Defendo a hipótese de que a esfera pública, assim recortada no espaço do comentário, é o lugar em que se manifesta a controvérsia na contemporaneidade. O ponto em comum aos casos é a discussão em torno do que não faz rir. E essa polêmica desdobra-se em dois debates distintos: de um lado, a tentativa de definir o que é humor (ter, ou não, graça é um dos argumentos utilizados por determinado grupo de comentadores), de outro, o questionamento de que esse humor deveria ter limites (isto é, se deveria ser divulgado em determinados horários, a que público, explorar quais temas ou se certos temas podem ser objeto de piada). Após a descrição e a análise desses debates, pude compreender que as práticas que constroem e mantêm o imaginário coletivo em relação aos limites do ato humorístico articulam-se de modos distintos: de um lado, a compreensão de que a trama das relações históricas envolvidas nas polêmicas promove uma discussão para além do campo do humor, e, de outro, a observação de que os dois debates são distintos e interdependentes. A partir dessas observações, estabeleço algumas considerações sobre o "político" nos discursos sobre o humor

Abstract: In this thesis, I aim to examine the debate about the limits of humor from the statements of the readers published in the section "Comments" in electronic versions of four printed newspapers which, in a virtual environment, are the most accessed and with the largest amount of comments in their columns. They are: the Brazilian electronic newspapers, Estadão e Folha, and two of the largest French newspapers, Le Monde and Le Figaro. The analysis comprises two controversial cases: the debate on the publications of the French satirical newspaper Charlie Hebdo, in which there is a discussion sustained by a crossing of the political and religious discourses in the relation between limits and freedom of expression in the humor; And in Brazil, the case Rafinha Bastos - a case less emblematic when compared to the French case - fueled by the discussion around the limits (attributed to the speech of the politically correct) and freedom of expression. The choice for the comments, rather than the columns dedicated to the cases, is mainly due to the observation that the debate about humor is generated from the constant confrontation observed in the comments in electronic media. I defend the hypothesis that the public sphere, thus cut in the space of the commentary, is the place in which the controversy manifests itself in contemporaneity. The point in common to the cases is the discussion around what does not make them laugh. And this controversy unfolds in two distinct debates: on the one hand, the attempt to define what is humor (having or not, fun is one of the arguments used by a certain group of commentators), on the other hand, the questioning that this Humor should have limits (that is, whether it should be released at certain times, to which audience, to explore which themes or if certain themes can become jokes). After describing and analyzing these debates, I was able to understand that the practices that build and maintain the collective imagination in relation to the limits of the humor act articulate in different ways: on the one hand, the understanding that the plot of the historical relations involved in the controversies promotes a discussion beyond the field of humor, and, on the other hand, the observation that the two debates are different and interdependent. From these remarks, I propose some considerations about the "political" in discourses about humor
Subject: Jornais brasileiros - Seções, colunas, etc. - Humor, sátira, etc.
Jornais franceses - Seções, colunas, etc. - Humor, sátira, etc.
Jornais eletrônicos - Brasil
Jornais eletrônicos - França
Leitores - Reação critica
Liberdade de expressão
Análise do discurso - Aspectos políticos
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Souza_AlanLoboDe_D.pdf8.81 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.