Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286270
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Inovação e desigualdade no desenvolvimento da agricultura paulista
Author: Chabaribery, Denyse
Advisor: Kageyama, Angela Antonia, 1950-
Kageyama, Angela
Abstract: Resumo: Por definição, o desenvolvimento econômico deveria elevar o nível de vida das populações, incluindo da agrícola. A modernização da agricultura paulista, apesar de ser considerada a mais avançada entre os estados brasileiros, não ocorreu de forma homogênea em todo o seu território, de maneira a resultar em uma elevação do nível de vida de toda a população agrícola. O objetivo desta tese foi demonstrar a desigualdade social e econômica que o processo de desenvolvimento da agricultura gerou no espaço agrário paulista. O desenvolvimento é compreendido como um processo que produz e reproduz desigualdades. no espaço, pois é um processo de busca de inovações que provoca assimetrias tecnológicas que se expressam em diferentes capacitações técnicas e gerenciais das unidades produtivas em uma região. Nosso argumento é que por ser um fenômeno misto, que envolve as decisões dos atores sociais em investir na expectativa de auferir lucro, e é propiciado por fatores institucionais, que formam as condições contextuais de infra-estrutura, organizacionais, sociais, entre outros, deve ser alvo de políticas públicas que podem contribuir para a redução das desigualdades. A hipótese geral da pesquisa é que diferentes condições históricas, sociais, econômicas e naturais - que são as bases sobre as quais o desenvolvimento se processa são encontradas nas extensões geográficas e, ao longo do tempo, os efeitos assimétricos provocados pelas inovações difundem-se heterogeneamente no espaço, reforçando disparidades regionais. Argumentamos que a história recente do desenvolvimento da agricultura paulista pode ser interpretada como sucessões de inovações que se disseminaram no espaço configurando regiões especializadas, e marginalizando regiões que não conseguiram oportunidade para adotar e difundir inovações. Apreendemos a desigualdade espacial desse desenvolvimento, combinando estatísticamente indicadores econômicos, sociais e ecológicos, e fazendo um recorte de seus municípios, encontrando 12 classes que expressam a heterogeneidade estrutural da agricultura paulista. A tipologia construída permite argumentar que os efeitos econômicos do modelo agrícola produtivista não foram suficientes para reduzir as disparidades no espaço agrário paulista, e que a falta de mecanismos naturais que induzam a sua superação, dados os fortes condicionantes econômicos e sociais de várias regiões, impõe a necessidade de políticas sociais

Abstract: By definition, economic development should improve the leveI of standard of living of populations, including the agricultural ones. Although the agricultural modemization in São Paulo is deemed the most advanced among Brazilian states, it has not occurred homogeneously throughout its territory and thereby it has not improved the standard of living of the entire agricultural population. The aim of this thesis was to show the social and economic inequality the agricultural development process generated in the agrarian space in São Paulo. Development is usually understood as a process of producing and reproducing inequalities in the space, inasmuch as it is a process of searching information that wiIl provoke technological asymmetries, expressed in the different technical and managerial skills of the productive units of a region. In our view, it is a mixed phenomenon depending not only on the social agents' decisions to invest for profit, but also on the institutional factors that make up the infra-structural, organizational and social contextual conditions, among others. As such, it must be a target of public policies that would help curb inequality. The guiding hypothesis of this research is that the different historic, social, economic and natural conditions - the bases on which development occurs - are found in the geographical extension and thus, over time, the asymmetric effects brought about by innovations are heterogenically diffused in space thereby reinforcing regional disparities. We contend that the recent history of the agricultural development in São Paulo may be interpreted as successions of innovations diffused in the space setting up some specialized regions and setting aside the regions that could not adopt and diffuse the innovations. We could grasp the spatial inequality of this development statistically by combining economic, social and ecological indicators, and making a cutout of its municipalities. We thus found twelve classes expressing the structural heterogeneity of the agriculture of São Paulo state. This typology allows us to argue that the economics effects of productivist agricultural models have not been enough to curb disparities in the agrarian space of São Paulo. Moreover, visa-vis the lack of natural mechanisms to smooth them out due to the strong spatial and economic conditioners of several regions, the need for social policies is imperative
Subject: Desenvolvimento economico - São Paulo (Estado)
Bem-estar social
Agricultura - Mecanização
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CHABARIBERY, Denyse. Inovação e desigualdade no desenvolvimento da agricultura paulista. 1999. 205f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Economia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/286270>. Acesso em: 24 jul. 2018.
Date Issue: 1999
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Chabaribery_Denyse_D.pdf6.22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.