Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/285945
Type: TESE
Title: Os desafios do desenvolvimento da engenharia genética na agricultura = percepção de riscos e regulação
Title Alternative: Challenges of genetic engineering development in agriculture : risk perception and regulatory policies
Author: Borges, Izaias de Carvalho
Advisor: Silveira, José Maria Ferreira Jardim da, 1955-
Abstract: Resumo: Nos últimos 15 anos a engenharia genética vem sendo usada para o desenvolvimento de cultivos geneticamente modificados (GM) com diversos atributos de interesses para a produção agrícola, tais como tolerância a herbicidas, resistência a insetos e modificações nas características nutricionais de diversos cultivos. Os cultivos GM estão sendo utilizados na produção de produtos de grande importância no mercado mundial de commodities agrícolas, tais como algodão, milho e soja. Agricultores de diversos países, incluindo dos grandes produtores agrícolas mundiais, como Argentina, Brasil, Estados Unidos, China e Índia, estão sendo beneficiados com o uso de cultivos GM. Além dos benefícios econômicos, como a redução dos custos de produção e das perdas causadas pelos ataques de pragas, os cultivos GM estão apresentando também benefícios ambientais e sociais, ambos associados com a redução no uso de pesticidas. Mas a despeito da ampla aceitação pelos agricultores e dos benefícios ambientais e sociais observados, os cultivos GM estão enfrentando rejeição por uma parte da opinião pública e diversos governos estão adotando políticas regulatórias de restrições à produção, à importação e ao uso dos cultivos GM para a produção de alimentos. Assim, o objetivo desta tese foi entender as razões pelas quais tanto a opinião pública quanto os governos de diversos países estão se posicionando contra o uso dos cultivos GM na produção agrícola, a despeito dos benefícios observados pelos agricultores. Os estudos de opinião pública mostram que a rejeição aos cultivos GM é maior do que a rejeição as aplicações da engenharia genética em outras áreas, como por exemplo, na indústria farmacêutica. Esta diferença sugere que a rejeição aos cultivos GM está relacionada com as peculiaridades dos cultivos GM. A primeira é que na maioria dos casos eles são utilizados na produção de alimentos, um segmento no qual a variável segurança tem um grande peso nas decisões dos consumidores. A segunda característica é que a maior parte dos cultivos GM produzidos atualmente foram desenvolvidos para melhorar o processo produtivo, o que resulta em uma assimetria de percepção dos seus benefícios ao longo da cadeia produtiva, ou seja, os agricultores tendem a perceber mais os seus benefícios do que os consumidores. Uma terceira característica dos cultivos GM é que ao contrário das aplicações da engenharia genética na indústria farmacêutica, eles são expostos ao meio ambiente. Estas três características resultam em grande percepção de riscos, tanto para a saúde humana quanto para o meio ambiente, e baixa percepção dos benefícios. Entre os especialistas - público não leigo - também existem rejeição aos cultivos GM, embora em menor grau do que entre o público leigo. Um estudo empírico realizado no Brasil como 65 especialistas, incluindo pesquisadores de instituições públicas de pesquisa, professores universitários e profissionais de empresas privadas, mostrou que entre eles não só há discordância quanto aos benefícios e aos riscos dos cultivos GM, mas principalmente quanto aos tipos de riscos e de benefícios que devem ter maior peso nas decisões políticas com relação à estes cultivos

Abstract: Over the past 15 years genetic engineering has been used to develop genetically modified crops (GM) with several attributes of interest to agricultural production, such as herbicide tolerance, insect resistance and changes in nutritional characteristics of different crops. GM crops are being used to produce products of great importance in the agricultural global market, for commodities such as cotton, corn and soybeans. In several countries, including the world's major agricultural producers like Argentina, Brazil, United States, China and India, farmers are having the benefits of GM crops use. Besides economic benefits such as reduced production costs and reduced losses from pest attacks, GM crops are also presenting environmental and social benefits, both associated with a reduction in pesticide use. But despite the wide acceptance by farmers and the observed environmental and social benefits, GM crops are facing rejection by part of the public and many governments are adopting policies of regulatory restrictions on production, importation and the use of GM crops for food production. The purpose of this thesis was to understand the reasons why the public opinion and the governments of several countries are positioning themselves against the use of GM crops in agricultural production, despite the benefits observed by farmers. Studies of public opinion show that the rejection of GM crops is greater than the rejection of genetic engineering applications in other areas, such as the pharmaceutical industry. This difference suggests that the rejection of GM crops is related to their peculiarities. The first peculiarity of GM crops is that in most cases they are used in food production, a segment in which food safety weighs heavily on consumers' decisions. The second peculiarity is that most of the GM crops currently produced were made to improve the production process, resulting in an asymmetry in the perception of their benefits throughout the supply chain, ie, farmers tend to perceive more of such benefits than consumers. A third peculiarity of GM crops is that, because they are produced in extensive contact with nature, they arouse concerns about possible impacts on biodiversity. These three features result in increased awareness of risks for both human health and for the environment, and low perceived benefits. This study aimed to analyze the perception of risk and benefits of GM crops in Brazil. The methodology used was the application of questionnaires to experts. We used a multiple criteria method of hierarchical analysis for the preparation of the questionnaire. The results showed that among Brazilian specialists there is disagreement about the benefits and risks of GM crops, and especially regarding the types of risks and benefits that should have greater weight in policy decisions related to the use of GM crops in Brazilian agriculture
Subject: Engenharia genética - Política governamental
Agricultura e Estado
Análise multivariada
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:IE - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Borges_IzaiasdeCarvalho_D.pdf3.89 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.