Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/251811
Type: TESE
Title: Interações dos universitarios com os pares e envolvimento academico : analise atraves da modelagem de equações estruturais
Title Alternative: University students interactions with peers and academic involvement : analysis through structural equation modeling
Author: Fior, Camila Alves
Advisor: Mercuri, Elizabeth Nogueira Gomes da Silva, 1952-
Abstract: Resumo: As interações que os universitários estabelecem com os seus pares influenciam a aprendizagem e o desenvolvimento. Sabe-se que as características destas interações modificam-se ao longo da graduação e o seu impacto sobre a formação do estudante também é distinto. Além disso, o papel das interações com os principais agentes de socialização, incluindo os pares, pode não ocorrer de maneira direta, mas mediada pelo envolvimento acadêmico, entendido como a quantidade e a qualidade de energia investida pelos estudantes nas atividades. Assim, o presente trabalho analisou o ajuste dos dados empíricos ao modelo teórico no qual as interações acadêmicas e sociais estabelecidas pelos estudantes com os seus pares influenciam o envolvimento acadêmico de ingressantes e concluintes. Participaram do estudo 1070 universitários matriculados em um dos campi de uma universidade confessional localizada na região Sudeste do Brasil. Para a coleta de dados foram construídos dois instrumentos e o estudo psicométrico dos mesmos, realizado através das análises fatoriais exploratórias e confirmatórias, indicou que os itens da Escala de Interação com os Pares agrupam-se em quatro fatores: interações acadêmicas nas quais há discussão e oferecimento de auxílio, interações acadêmicas nas quais há colaboração e recebimento de ajuda, interações sociais e de lazer e interações íntimas. O estudo confirmou a estrutura fatorial da Escala de Envolvimento Acadêmico em dois fatores: envolvimento com as atividades obrigatórias e com as não obrigatórias. A análise do impacto das interações sobre o envolvimento acadêmico foi realizada através da modelagem de equações estruturais. Os principais resultados sugerem que as interações que o estudante estabelece com os seus pares, bem como o seu envolvimento acadêmico são distintos entre ingressantes e concluintes, refletindo características das transições vividas e da rede social. Além disso, constatou-se o ajuste dos dados ao modelo teórico no qual as interações influenciam o envolvimento acadêmico, tanto para ingressantes como concluintes. Para ambos os estudantes, as interações acadêmicas nas quais há discussão e oferecimento de ajuda contribuem para o envolvimento, sendo a magnitude da relação mais forte para o aluno de final de curso (? = 1,82, p<0,01; ? = 1,55, p<0,01) do que para o de início de curso (? = 1,35, p<0,01; ? = 1,40, p<0,01) tanto para o engajamento nas atividades obrigatórias como nas não obrigatórias, respectivamente. Já as interações acadêmicas nas quais há colaboração e recebimento de ajuda têm um impacto desfavorável sobre o engajamento nas atividades obrigatórias para ingressantes (? = -0,74, p<0,01) e concluintes (? = - 0,41, p<0,05), sendo que tal impacto negativo também se mantém sobre o envolvimento com as atividades não obrigatórias, apresentando-se, novamente, a influencia mais desfavorável para os calouros (? = -0,64, p<0,05), quando comparados aos concluintes (? = -0,47, p<0,05). Para o ingressante, as interações íntimas tiveram um papel negativo, estatisticamente significante apenas sobre a participação nas atividades não obrigatórias (? = -1,06, p<0,01), sendo que para o concluinte os impactos negativos foram observados junto às obrigatórias (? = -1,14, p<0,01) e não obrigatórias (? = -1,03, p<0,01). Para ambos os estudantes, as interações características do convívio social influenciaram positivamente o envolvimento com as atividades não obrigatórias, sendo o impacto maior para o estudante de início de curso (? = 1,01, p<0,01) quando comparado ao concluinte (? = 0,59, p<0,01). Acredita-se que variáveis ligadas ao suporte social, bem como as transformações no componente motivacional auxiliem na explicação desta relação. Assim, os resultados sugerem que a dimensão interativa sobre o envolvimento apresenta particularidades entre ingressantes e concluintes, principalmente em termos da magnitude da relação, e reafirmam o impacto das interações entre os pares no processo de formação universitária.

Abstract: The interactions established between the university students and their peers have influenced the learning and the development. The characteristics of these interactions, though, are modified during the graduation course and their impact on the student's academic background is also distinctive. In addition, the role of the interactions might not occur in a direct way with the main socialization agents including their peers, but might be mediate by academic involvement, that's the quantity and the quality of energy spent by the students in the activities. The present article analyzed the adjustment of the empirical data to the theoretical model on which the academic and social interactions established by the students with their peers influence the freshmen and senior college students' academic involvement. 1070 enrolled students who attend classes in a campus of a confessional university located in the Southeast region of Brazil participated in the study. For collecting the data was built two instruments. The psychometric study of both which was executed through exploratory and confirmatory factor analysis indicated that the items from the Interaction Scale with the Peers get into four factors: academic interactions involving discussion and help offering; academic interactions involving cooperation and help receipt; social and leisure interactions; and, intimate interactions. The study confirmed the factor structure of the Academic Involvement Scale in two factors: involvement in compulsory and non-compulsory activities. The analysis of the impact of the interactions on the academic involvement was carried through Structural Equation Modeling. The main results suggest that the interactions established between the student and his peers, as well as his academic involvement, differ from freshmen and seniors what reflects characteristics from experienced transitions and social network. Moreover, it was confirmed the adjustment of the data to the theoretical model in which the interactions influence the academic involvement for both freshmen and senior students, sustaining what is mentioned at the literature. The academic interactions involving discussion and help offering contribute to the involvement of both groups of students. However, the magnitude of the relationship is stronger for the student at the end of course (? = 1,82, p<0,01; ? = 1,55, p<0,01) than for the ones at the beginning of the course (? = 1,35, p<0,01; ? = 1,40, p<0,01) regarding the engagement in compulsory and non compulsory activities. On the other hand, the academic interactions involving cooperation and help receipt have an adverse impact on the engagement in compulsory activities for freshmen (? = -0,74, p<0,01) and seniors (? = -0,41, p<0,05). The negative impact also is kept on the involvement in non-compulsory activities, having again a more adverse influence on the freshmen (? = -0,64, p<0,05) than the senior students (? = -0,47, p<0,05). For the freshmen the intimate interactions had a negative role, statistically relevant only on their participation in non-compulsory activities (? = -1,06, p<0,01). For the senior the negative impacts were noticed on the compulsory (? = -1,14, p<0,01) and non-compulsory activities (? = - 1,03, p<0,01). The characteristic interactions of social contact influenced positively the involvement in non-compulsory activities for both of them, but the students at the beginning of the course suffered a major impact (? = 1,01, p<0,01) comparing to the seniors (? = 0,59, p<0,01). It is believed that the variables connected to social support, as well as the changes in the motivational component might help in explaining that relationship. Thus, the results suggest that the interactive dimension on the involvement presents particularities between freshmen and seniors, especially in terms of the relationship magnitude and restate the interactions impact between the peers during the academic education process.
Subject: Estudantes universitários
Relações interpessoais
Ensino superior
Psicologia educacional
Análise multivariada
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2008
Appears in Collections:FE - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fior_CamilaAlves_D.pdf2.75 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.